Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

20
Dez13

Boas ideias (vamos ajudar!)


Sofia Serrano

O Natal é acima de tudo, solidariedade. Mais que consumismo desenfreado, é a época da família, da partilha, da entreajuda. Felizmente que ainda há quem tenha boas ideias e ponha as mãos à obra para ajudar quem mais precisa.
A Refood é uma organização de atuação micro-local, criada para re-aproveitar excedentes alimentares e re-alimentar quem mais precisa.
O projeto Refood é um esforço eco humanitário, 100% voluntário, efectuado para e pelos cidadãos ao nível micro-local, com o objetivo de acabar com a fome nos bairros urbanos. Ao mesmo tempo, procura acabar com o desperdício de alimentos preparados, reforçando os laços comunitários locais. A ideia é criar uma ponte humana que liga quem tem uma sobra diária a quem tem uma necessidade diária.
Uma ideia genial que faz todo o sentido.




E à Refood junta-se a Fundação MAPFRE, que nesta época natalícia e de solidariedade, vai ajudar a Refood a alimentar ainda mais pessoas. A Fundação MAPFRE é uma instituição sem fins lucrativos, que tem como principal objectivo contribuir para o bem estar das pessoas e da sociedade. É um dos principais parceiros e patrocinadores da Refood, e tem permitido o normal funcionamento do projecto e a abertura de novos núcleos em diferentes zonas.
Todos podemos ajudar! 
Como? É muito simples: 1 click equivale a 1 euro doado pela Fundação MAPFRE para a Refood. Basta clicar aqui para ajudar.
Vamos ajudar a alimentar quem mais precisa!



19
Dez13

Esta coisa de sermos bons pais


Sofia Serrano




Não faço a mínima ideia o que significa ser um bom pai – ou uma boa mãe. Mas desde que pensamos em ter filhos, e por toda a vida deles, esforçamos-nos por o sermos. Quando os sentimos mexer na barriga, quando lhes tocamos a primeira vez, quando os vemos tão crescidos. A todo o instante. Queremos ser bons pais.
Porque bons pais implicam bons filhos. Ou não?
Às vezes fico a pensar como é que eles serão quando crescerem. E de repente apercebo-me que provavelmente o nosso papel – de mãe, de pai, de pais – é o mais importante na vida deles. Aquele que vai determinar se são boas ou más pessoas.
Mas é difícil decidir o que é ser “um bom pai”.
É comprar-lhes as melhores roupas, as melhores fraldas e os melhores brinquedos, ou herdarem as roupas e os brinquedos dos primos e aprenderem valores como a partilha? É terem o último grito da tecnologia em jogos e tablets ou passarem a tarde na rua, a esfolarem os joelhos enquanto jogam à bola? É andarem em escolas de elite, com professores de topo ou nas escolas públicas e terem amigos de todas as cores e feitios? É levá-los a mil e uma actividades depois da escola ou deixá-los brincar à vontade em casa? É pagar-lhes as melhores explicações para terem ajuda diferenciada nos trabalhos de casa e estudos para os exames, ou sentarmo-nos com eles e ajudarmos nós, apesar de não nos lembrarmos do nome de todos os rios de portugal ou de como se fazem contas de dividir sem máquina de calcular? É levá-los àquele restaurante que adoram ou fazer uma pizza em casa, apesar de não sair tão boa como se gostaria? É convidar os amigos deles para brincarem em casa no fim de semana ou passarmos uma tarde de cócoras com eles a montar legos e a pentear barbies? Não sei, sinceramente.
Mas sei quando os meus filhos estão felizes. E é isso que me faz pensar que estou perto de ser uma boa mãe. O resto, só o futuro o dirá.







18
Dez13

Mesas de Natal


Sofia Serrano

Está na altura de começar a pensar no Natal e na decoração da mesa para a Ceia. Quer se escolha um estilo mais simples, quer uma decoração mais arrojada, os elementos desta estação do ano marcam presença sob a forma de folhas e frutos, como o azevinho e as romãs, e as folhas podem ser uma boa ideia para marcadores de lugares. As velas não podem faltar, para dar aquele toque de charme, e para dar um toque especial, postais feitos pelos miúdos para os vários convidados vão fazer as delicias de todos. 
Para quem ainda anda a pensar como vai ficar a mesa para a Ceia de Natal, ficam aqui algumas ideias, retiradas do Pinterest:


























14
Dez13

Sobre o Natal


Sofia Serrano

Adoro as luzes, as decorações de Natal, a música. Gosto se sentir o frio e ouvir o jingle bells. Gosto de rever família e amigos.
Gosto de conversas demoradas à lareira, da casa a cheirar a bolos.
Do riso dos miúdos, dos espanto ao ver o pinheiro iluminado, das musicas de Natal que cantam (e dançam).
Mas confesso que detesto este espírito consumista que nos consome. A corrida aos shoppings, os hipermercados cheios. A maior preocupação desta época ser: já compraste as prendas de Natal? A quantidade de prendas que se compra (e a qualidade), que é o conceito que acabamos por passar para os nossos filhos. Não quero que eles pensem no Natal como a "época das prendas", quero que pensem no Natal como uma época especial e mágica, de amor e partilha.  
Se eu mandasse, as prendas (físicas) eram esquecidas. E o Natal passava a ser uma verdadeira reunião de pessoas, uma comemoração do amor. Só com abraços, com beijos, com uma boa refeição partilhada. Com conversas e risos. Com entreajuda.
Era o que eu queria este Natal.

(imagem Pinterest)?
13
Dez13

Futuro


Sofia Serrano

Há sempre esperança. Esperança de mudarmos o mundo.
E os nossos filhos podem-nos ajudar a tornar este mundo num lugar melhor.
Vale a pena ver isto.?
 

13
Dez13

Desafio Bloggers e Gravidez: Ansiedades


Sofia Serrano

É conhecida por Niki na blogosfera e é mãe de duas meninas.
Ansiosa por natureza, bem-disposta e desenrascada por opção. Adora inundar a vida das filhas com momentos especiais, marcar ocasiões, por mais banais que possam parecer. Escreve no blog Ansiedades e também escreve no portal do momento sobre Maternidade, o Mãe Querida. E aceitou o desafio de responder a 10 perguntas sobre Gravidez, Parto e Puerpério.
 


 
1- Gravidez normal ou de risco?  
Foram ambas normais até por volta das 26 semanas em que comecei com contracções e tive de passar ao repouso.

2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?
A trabalhar até às 26 semanas.

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.
Nunca deixei de conseguir comer nada, fui mais de enjoar cheiros e até músicas! Na última gravidez tinha muita vontade de comer limão e uma colega levava-me sacos que apanhava do seu limoeiro e que eu devorava enquanto trabalhava!

4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?
Não, sou muito preguiçosa no que toca a exercício!

5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?
Nem por isso, mas talvez possa referir o hábito que criei de andar sempre com sacos de plástico na carteira, porque em ambas vomitei do princípio ao fim da gravidez.

6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?
Cada vez que senti as minhas filhas mexerem. De resto foi tudo muito mau. Sim, pertenço ao grupo minoritário de mulheres para quem a gravidez é apenas o meio necessário para atingir o fim.

7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?
Ambos os partos foram induzidos mas bem rápidos a partir do momento que levei a epidural, que em mim tem o efeito acelerador.
Sempre disse que se pudesse escolheria cesariana, não pelo medo do parto, mas sim pelo medo do que as esperas e demoras do nascimento podiam fazer ao bebé.

Acho que estes receios eram provocados pelas histórias que vamos ouvindo por aí de acidentes que acontecem porque o parto foi demorado.
Hoje sei que mesmo tendo opção de escolha, voltaria a ter um parto normal que para mim custa menos que uma dor de dentes (digo eu aqui em desespero com o meu siso a nascer)

 

8- Era capaz de ter um parto em casa?
Não, jamais!

9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?
Puerpério, sem sombra de dúvida! Eu sofro imenso na gravidez, vomito quase diariamente e praticamente até ao fim, não há nausefe que me valha!

10- Amamentou? Porquê?
Amamentei as duas exclusivamente até aos 4 meses, depois quando regressei ao trabalho continuei a amamentar de manhã e à noite, mas rapidamente o leite foi desaparecendo.

A minha opinião sempre foi bem tranquila em relação ao tema. Eu queria amamentar, por todos os benefícios que são do conhecimento geral e por acreditar que era o melhor para nós, mas também estava preparada para o caso de não o poder fazer e não via o leite artificial como um bicho-de-sete-cabeças.

Obrigada Niki!

12
Dez13

Porque é Natal (passatempo!!)


Sofia Serrano

Faltam menos de duas semanas para o Natal. Anda tudo numa correria mas aposto que a grande maioria das prendas vão ficar para o dia 24 de Dezembro. Entretanto, aqui no blog, achamos que estava na altura de termos um passatempo especial, com cheirinho e sabor a Natal. 
E convidamos algumas marcas daquelas mesmo especiais.
O resultado é este mega-presente para o vencedor, que vai deixar o Pai Natal mortinho de inveja:

- um poncho Cutchi (tamanho 1-3 anos)
- uma pulseira Fio a Pavio
- um ó-ó Bebexik (pode ser com letras rosa ou azuis)
- uma marioneta cegonha B de Brincar
- um maxicolar ChocoMenta
- um conjunto de aventais pai & filho Cereja 
- um sling Catita Kids

 



Como é que podem ganhar este conjunto fabuloso de prémios?
É muito fácil, basta seguir as indicações:

1. Tornar-se seguidor do blog Café, Canela & Chocolate
2. Fazer "gosto" nas seguintes páginas de facebook:
    - Café, Canela & Chocolate
    - Cutchi
    - Fio a Pavio
    - Bebexik
    - B de Brincar
    - ChocoMenta
    - Cereja
    - Catita Kids
3. Partilhar a foto com o passatempo (que vai estar na página de facebook do Café, Canela & Chocolate) de forma pública
4. Deixar nos comentários o nome de três amigos.

Podem participar as vezes que quiserem, desde que cumpram todos estes passos por cada participação.
O passatempo vai decorrer de 12 a 22 de Dezembro, e o vencedor (que vai ganhar todos estes prémios!) apurado pelo random.org

Feliz Natal!







 
11
Dez13

Nada como os transportes publicos


Sofia Serrano

...ou melhor, as paragens de autocarro. Juro que hoje tive vontade de sair do carro e ficar na paragem, à espera de um 32 ou outro que tal. Mas não, lá andei a correr de um lado para o outro, entre presentes para as trocas de prendas nas escolas dos miúdos, roupas para as festas de natal e lanches para preparar.
Patrick, feliz Natal  ( e por favor, continua aqui pela cidade).




(a nova campanha da Sacoor)

07
Dez13

Out(sider)


Sofia Serrano

Começo a sentir-me uma forasteira na minha própria cidade. Aquela que me viu crescer, onde aprendi a ler, onde fiz amigos para a vida. A cidade que viu o meu primeiro beijo, a minha primeira paixão, as minhas lágrimas por desamores de adolescência. As ruas que conhecia como a palma da mão, as caras que todos os dias cumprimentava. As lojas que sempre ali estiveram, onde ia comprar 2 kg de batatas e um pão alentejano com um molho de trocos na algibeira. As ruas onde jogávamos à sirumba, os parques onde passava horas a conversar com amigos, as garagens onde faziamos as festas dos slows (e dançavamos agarradinhos).
A cidade que deixei em busca de sucesso profissional e uma nova perspectiva de vida. Em busca de novas aventuras.
Agora tenho uma nova cidade. E uma nova vida. Com um recheio diferente, de sabor diferente deste que vivi na minha cidade.
Agora sinto-me uma forasteira em cada regresso.
As lojas mudaram. As casas mudaram. As pessoas mudaram. E ao mesmo tempo está tudo tão na mesma. Sinto-me novamente uma miúda em busca de um lugar no mundo. Sinto-me uma estranha que regressa a casa.



Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.