Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

18
Mar14

Coisas em que uma mãe pensa quando vai passar uns dias sem os filhos


Sofia Serrano

Uns dias fora de casa, mesmo que seja em trabalho, parecem apetecíveis a mães que andam exaustas, que não conseguem jantar descansadas sem se levantar 30 vezes e que acabam por comer a comida fria, ou que já não dormem uma noite seguida há....cerca de 5 anos (a idade da filha mais velha, basicamente).
Portanto, uns dias fora de casa parecem um presente! Ou não?

Bom, isto é mais ou menos o que se passa na mente desta mãe quando vai passar uns dias fora (em trabalho) e deixa os miúdos com o pai:


1. YUUUPPPIIIIIII!!!!


2. (será que vou morrer de saudades?)


3. YUPPPPIIIII!!!!


4. (será que ainda consigo dormir uma noite inteira???)


5. YUPPPIIIII!!!!!


6. (será que o pai não se esquece de nada?)


Posto isto, esta mãe resolver deixar mil-e-um-recadinhos pela casa, com indicações da farda da escola, lanches e jantares, doses de xaropes em caso de febre, pega na sua mala e põe-se a caminho.

Claro que pelo caminho, há vários telefonemas: apesar de tudo pré-organizado, desaparecem casacos, a miúda não se entende com o pai quanto ao penteado a fazer  (nota mental : ensinar o pai a fazer tranças!) e o mais pequeno insiste que quer levar as botas da neve para a escola...Lá se orientam as coisas e esta mãe começa a descontrair.
E depois de um dia de trabalho/ciência, há tempo para relaxar na piscina - jactos de água, umas braçadas e parece que estive 15 dias de férias...



...mas depois lá aparece uma família com 2 filhos, de idades muito semelhantes aos meus, e de repente, já não apetece estar ali a relaxar, mas sim andar a brincar com os miúdos - com os MEUS miúdos (que devem andar a desarrumar a casa e a por o pai de cabelos em pé!). Pronto. Menos de 24 horas depois, começam as saudades.
Pontos positivos: consigo jantar sem interrupções, sem comida pelo chão e com conversas de adultos ( mas não consigo evitar pensar que eles iam adorar aquela sobremesa e passo o tempo todo a mostrar fotos deles).
E quando penso que vou finalmente dormir uma noite inteira, acordo uma série de vezes, que esta coisa de ser mãe é a tempo inteiro e é difícil desabituar a mente.
Dia seguinte: tomo o pequeno almoço descansada e volto ao trabalho. A pensar quando é que posso voltar para casa para ter beijos lambuzados e abraços. E olho à volta e só tenho vontade de, na próxima vez, os trazer também.

Bolas, que esta coisa de ser mãe é complicada.







17
Mar14

Não há nada como o sol! ( e um passatempo!)


Sofia Serrano

Finalmente chegaram os dias bons! 
Depois de um inverno frio e chuvoso, eis que chegam finalmente aqueles dias cheios de sol brilhante e cheirinho a primavera! 
 Já todos andamos a sonhar com a praia e o mar. E é inevitável não andarmos já a pensar em roupa e acessórios para o tempo quente.
Por isso, para comemorar a chegada do sol, o Café, Canela & Chocolate juntou-se com as marcas mais giras para o tempo quente e traz um fantástico passatempo. Prémios fantásticos para as mães e as crianças, com artigos cheios de pinta!

O vencedor deste passatempo vai ganhar:
- uma capa para os livros By Deva
- um colar Alameda Turquesa
- uns brincos Hipiie Chic
- uma t-shirt para 3-6 meses Cutchi
- uns calções iLike
- uma cesta média Missanga
- uma clutch Suuim
- uma mochila impermeável Maria Café



Como é que se podem habilitar a este magnífico prémio?

Basta seguir os seguintes passos:
- ser seguidor do blog Café, Canela & Chocolate
- fazer "gosto" no Café, Canela & Chocolate 
fazer "gosto" no By Deva
- fazer "gosto" no Alameda Turquesa
- fazer "gosto" na Hipiie Chic
- fazer "gosto" na Cutchi
- fazer "gosto" no iLike
- fazer "gosto" na Missanga
- fazer "gosto" na Suuim
- fazer "gosto" na  Maria Café

Depois têm de partilhar a foto com os prémios no facebook (partilha pública) e deixar em comentários o nome de 3 amigos. A foto vai estar na página de facebook do Café, Canela & Chocolate.
Podem participar as vezes que quiserem, desde que cumpram todos os passos, entre 17 e 23 de Março.
O vencedor será apurado por random.org

Boa sorte e aproveitem o sol! 










16
Mar14

Os 6 segredos para emagrecer a tempo do Verão


Sofia Serrano

Mal começa o sol a brilhar e se sente no ar aquele cheirinho de primavera, começamos todos a olhar para o espelho. E para a balança. Meio mundo corre para os ginásios, e outro meio mergulha nos livros de dietas e em receitas saudáveis. 
Mas afinal, qual é o segredo para conseguirmos emagrecer e mantermos-nos com o peso ideal? 




Ficam aqui os meus principais truques:

1. Motivação. 
Este é o principal segredo. Se não estivermos motivados, de certeza que vamos desistir da dieta ou do ginásio ao fim de um dia ou dois, ou nem sequer começamos. A proximidade da praia e as roupas frescas são uma boa motivação para aderirmos a um estilo de vida saudável. Temos de querer mesmo mudar, ou nem vale a pena começar. Muitas pessoas experimentam as mesmas dietas e só algumas conseguem ter força de vontade suficiente para conseguirem os seus objectivos.

2. Ser realista.
Não vale a pena achar que vamos ficar com um corpo como o da Miranda Kerr, porque provavelmente temos um estilo de vida completamente diferente do dela (e uma genética também!). E não temos um massagista pessoal ou tempo para duas horas de ginásio diárias. 
Também não vale a pena acharmos que  vamos perder os 20 kgs a mais em 3 semanas. Devemos estabelecer metas realistas, por exemplo, 1 a 2 kgs por mês. 
Para além disso, não vale a pena aderir a uma dieta com receitas específicas a serem cumpridas se todos os dias comemos fora de casa e não conseguimos tempo para cozinhar previamente a comida a levar para o trabalho. 

3. Arranjar companhia.
Para manter a motivação e conseguir perder peso, é sempre bom termos quem nos acompanhe: pode ser o marido, uma amiga, uma colega. Vai haver momentos em que apetece desistir e é sempre bom ter alguém que perceba o que estamos a passar e nos incentive - e outras vezes, seremos nós a fazer o mesmo. E também é bom ter companhia para o exercício físico regular.

4. Não ir em cantigas.
Há mil e uma coisas no mercado a prometerem corpos de sonho em poucas semanas, desde sumos a ampolas a comprimidos. Uns mais naturais que outros, mas todos garantem que se emagrece. Se isto fosse verdade, éramos todas Kates Moss por esta altura. A maioria dos produtos acaba por ter diuréticos ou laxantes, mas na realidade a perda de peso será transitória. 
A melhor solução para emagrecer de facto ( e manter o peso)? 
COMER DE FORMA SAUDÁVEL E EQUILIBRADA. Algumas dicas:
- beber pelo menos 2 litros de água por dia (ou chás, sem açúcar)
- cortar os refrigerantes, molhos, fritos e doces
- reduzir os hidratos de carbono, dando preferência aos integrais, que saciam durante mais tempo e ajudam ao funcionamento intestinal
- manter as proteínas, mas tentar acompanhar sempre a carne e peixe com legumes
- não passar muitas horas sem comer

5. Fazer exercício físico regularmente.
Não há dietas que funcionem sem algum exercício. Pode ser uma caminhada diária de 20 minutos, para quem detesta ginásios, corridas e afins. O tempo bom está a chegar e ao fim do dia sabe bem um passeio - até pode ser com os miúdos, eles de bicicleta, nós em passo acelerado. Para além disso, o exercício físico tonifica o corpo, que é um dos pontos fundamentais para nos sentirmos bem e conseguirmos vestir o bikini. 
Correr está na moda, talvez porque é um dos desportos mais completos e mais barato - que é um factor fundamental nos dias que correm. Quase todas as cidades têm muitos grupos que se juntam ao fim do dia para correr.
Se for possível ir ao ginásio, melhor ainda. As aulas de grupo também são boas para perder peso, tonificar e descomprimir do stress diário.

6. Uma boa noite de sono e 2 quadradinhos de chocolate preto.
Estarmos descansados é essencial, e dormir ajuda a regularizar o peso. E o chocolate preto melhora o humor, é anti-oxidante e ajuda a perder peso porque tem poucas calorias. Este é essencial na minha dieta! :)





13
Mar14

Festa Black & White


Sofia Serrano

Em 1966, Truman Capote organizou uma das festas mais exclusivas da história. Toda a gente que era alguém em Nova Iorque, queria fazer parte da guest list do Black & White Ball.
O Plaza Hotel em Nova Iorque foi o local escolhido e foi a editora do The Washington Post, Katharine Graham, a convidada de honra escolhida. Depois, Capote arranjou um pequeno livro a preto e branco onde escreveu a lista de convidados durante os 3 meses que antecederam a festa, riscando nomes e acrescentando outros constantemente. 
O Black & White Ball foi considerado o "pináculo da história social de Nova Iorque".





Para comemorar o seu 15º aniversário, o canal História vai recriar o Black and White Ball de Truman Capote. Esta festa exclusiva vai ocorrer no dia 20 de março, no Salão Nobre do Hotel Ritz, em Lisboa, pelas 21h00.
O Café, Canela & Chocolate teve o privilégio de fazer parte da guest list e ainda poder oferecer 10 convites duplos aos seus leitores!

Como é que podem ir a esta festa?
É muito fácil:

- fazer "gosto" na página de facebook do Canal História, aqui
- fazer gosto na página de facebook do Café, Canela & Chocolate aqui
- deixar em comentário à foto do passatempo (que vai estar no facebook do Café, Canela & Chocolate) "eu quero estar na guest list da Festa Black & White!"

Só é válida uma participação por pessoa.

Os 10 vencedores vão ser escolhidos pelo random.org no Domingo à noite (participações válidas até às 23h59 de dia 16).
Os vencedores recebem convites duplos, e têm de levar identificação para poder entrar na festa. Dress code: cocktail dinatoire branco e preto.


09
Mar14

Ter um irmão (uma carta de uma mãe a uma filha)


Sofia Serrano

Minha querida,

Amei-te desde o primeiro instante. 
Desde aquele momento em que vi aparecer o segundo tracinho no teste de gravidez. Amei-te mais ainda quando te vi pela primeira vez na primeira ecografia, quando ouvimos o teu coração a bater acelerado. Quando te senti mexer, quando parecias reconhecer as nossas vozes e outros ruídos. 
Amei-te cada dia que passava, enquanto crescias e te preparavas para enfrentar este mundo. No momento do parto experimentei um misto de medo e alegria - e amei-te ainda mais quando te puseram no meu peito e senti o teu cheiro. Quando abriste muito os olhos quando o pai falou contigo, porque o reconhecias das longas conversas que tinham.
O amor foi crescendo de forma inimaginável a cada dia, a cada semana, a cada mês. E guardo comigo todos os instantes. Quando sorriste pela primeira vez. Quando choravas com cólicas. Quando adormecias no calor do meu colo. Quando começaste a gatinhar. Quando deste os primeiros passos. Quando disseste pela primeira vez "mamã". Quando te nasceu o primeiro dente. 
Cada dia que passa cresces um bocadinho (às vezes parece-me que cresces muito!). Começaste a falar correctamente muito cedo, sempre adoraste brincar ao faz-de-conta e ninguém te ganha em termos de imaginação. És teimosa e muito determinada. Tiveste de aprender a viver com uma mãe que tem de passar noites fora de casa em trabalho e foste forte o suficiente para compreender e aceitar (a até houve uma altura em que também querias ser médica-de-ajudar-a-nascer-os-bebés).
Quando te dissemos que vinha aí um irmão ficaste feliz. Entusiasmada. Ajudaste a escolher o nome. 
Mas à medida que a barriga crescia, às vezes tinhas dores de barriga. E acho que começaste a sentir que o amor gigante que nós tinhamos por ti ia mudar, mas nunca nos disseste. Que ias ter de dividir as atenções.
Mas o amor não mudou, só cresceu ainda mais.


No dia em que nasceu o mano, tiveste de ficar com os nossos queridos amigos, e recordas sempre o dia como "a festa de pijama". Nesse dia, o meu amor por ti cresceu ainda mais. O nosso amor por ti. E nunca vou esquecer a tua cara de felicidade quando viste o mano pela primeira vez, quando lhe pegaste. Querias ajudar a fazer tudo. E ao mesmo tempo, querias que tudo voltasse a ser como era antes. Não foi fácil quando te apercebeste que aquele pequeno ser precisava de mimo, atenção, leite e carinho. Que afinal o tempo todo do mundo já não era só para ti. Ele trouxe-te um presente, como a mãe tinha lido, e tu ficaste satisfeita. Mas mesmo assim as mudanças são difíceis. E às vezes (muitas vezes) fazias parvoíces para chamar a atenção. Para as pessoas deixarem de olhar para o minúsculo ser que tinha aparecido ali em casa.
Tentamos sempre que também tivesses atenção. Mantivemos rotinas e tu sentiste-te mais segura em continuar a ir à escola, estar com os amigos num ambiente que não mudou.
E entretanto, o teu mano foi crescendo. Foi-te conquistando com o seu sorriso, as suas brincadeiras. O deslizar pelo chão antes de gatinhar. Os primeiros passos e as malandrices constantes. Foram-se tornando cúmplices, inseparáveis. E agora passam os dias a brincar juntos. E têm aquela ligação inexplicável entre irmãos. 
Mas ele, o mais novo, continua a precisar mais de atenção - porque ainda é pequeno, porque ainda quer colo, porque precisa de ajuda para comer. Porque está sempre a tentar subir para todo o lado, abrir tudo o que é armário, em suma, precisa de vigilância constante. 
E a mãe e o pai gostavam de ter mais tempo - para vocês os dois. Entre o trabalho e as rotinas diárias, às vezes não nos apercebemos que os dias passam a voar. E quando te vejo a querer ajuda para comer ou a fazer outras coisas de bebé, para chamar a nossa atenção, apercebo-me de repente que precisamos de mais momentos as duas. O nosso tempo mãe-e-filha. Porque tu estás crescida, linda, esperta, mas continuas a precisar dos mimos da mãe. 
Ter um irmão é uma coisa boa. Muito boa. Nem sempre é fácil, porque tens de aprender a partilhar os brinquedos, o lanche, o espaço no quarto. Os pais. Mas o nosso amor não se dividiu pelos dois: multiplicou-se. E tu, minha querida, continuas sempre a ser muito especial, e nunca nos podemos esquecer de aproveitar tempo a duas - só nós duas. Porque vocês os dois merecem o Mundo.

A mãe




08
Mar14

Dia da Mulher


Sofia Serrano



Ser mulher é um desafio. Temos de ser fortes, porque queremos vencer no mercado de trabalho e ser boas naquilo que fazemos, marcar a diferença, melhorar o mundo. E ao mesmo tempo somos sensíveis e emotivas e temos um sétimo sentido, que nos guia para lá da razão. Somos mães e fazemos tudo pelos nossos filhos – e ficamos para sempre ligadas a eles, mesmo depois de cortado o cordão umbilical, largado as fraldas, dado o primeiro beijo ou saído de casa. Mas também somos esposas e amantes, com humor efervescente e hormono-dependente, seres apaixonados por natureza. Apaixonantes. Ser mulher é conseguir conciliar o trabalho de 40 horas no hospital com mais urgências e horas extraordinárias com o tempo para os filhos, para os levar à escola, ao futebol e ao ballet, lanchar com as amigas, ajudá-los a fazer os trabalhos de casa, fazer o jantar e ainda ter um copo de vinho tinto à espera do marido, para uns instantes a dois. Adormecê-los com contos de fadas e levantarmo-nos à noite para ter a certeza que estão bem. Acordar com energia depois de uma noite em branco e estarmos bonitas. É conseguir ter garra para fazer uma pós graduação em simultâneo com o ritmo de trabalho diário, e ganhar um prémio num congresso com aquela apresentação que nos deixou tantas horas sem dormir. É não desistir dos sonhos e acreditar que tudo é possível. É sermos workaholics, mães-a-tempo-inteiro, donas-de-casa, apaixonadas. E às vezes é cansativo. Mas somos mulheres, e no dia seguinte, fazemos tudo de novo – com aquele brilho nos olhos.
07
Mar14

Yes, we can


Sofia Serrano

Não tem sido fácil. O mundo é este lugar onde se continua a privilegiar o sexo masculino. Mas nós somos persistentes. Determinadas. E cada dia que passa vamos conquistando mais um pedacinho. 
Hoje podem ler mais sobre nós aqui.



05
Mar14

Esta coisa de sermos mulheres


Sofia Serrano

Ser mulher é um desafio. Temos de ser fortes, porque queremos vencer no mercado de trabalho e ser boas naquilo que fazemos, marcar a diferença, melhorar o mundo. E ao mesmo tempo somos sensíveis e emotivas e temos um sétimo sentido, que nos guia para lá da razão. Somos mães e fazemos tudo pelos nossos filhos – e ficamos para sempre ligadas a eles, mesmo depois de cortado o cordão umbilical, largado as fraldas, dado o primeiro beijo ou saído de casa. Mas também somos esposas e amantes, com humor efervescente e hormono-dependente, seres apaixonados por natureza. Apaixonantes. Ser mulher é conseguir conciliar o trabalho de 40 horas no hospital com mais urgências e horas extraordinárias com o tempo para os filhos, para os levar à escola, ao futebol e ao ballet, lanchar com as amigas, ajudá-los a fazer os trabalhos de casa, fazer o jantar e ainda ter um copo de vinho tinto à espera do marido, para uns instantes a dois. Adormecê-los com contos de fadas e levantarmo-nos à noite para ter a certeza que estão bem. Acordar com energia depois de uma noite em branco e estarmos bonitas. É conseguir ter garra para fazer uma pós graduação em simultâneo com o ritmo de trabalho diário, e ganhar um prémio num congresso com aquela apresentação que nos deixou tantas horas sem dormir. É não desistir dos sonhos e acreditar que tudo é possível. É sermos workaholics, mães-a-tempo-inteiro, donas-de-casa, apaixonadas. E às vezes é cansativo. Mas somos mulheres, e no dia seguinte, fazemos tudo de novo – com aquele brilho nos olhos.

Podem ler mais aqui.


Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.