Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

24
Out14

As colecções mais giras deste inverno #5


Sofia Serrano

Esta semana, é altura de vos mostrar uma das marcas portuguesas de roupa infantil pelas quais tenho mais carinho: tem peças coordenadas para pais e filhos, e para irmãos e primos, permitindo vestir toda a família de forma harmoniosa. My mini&me!
Look clássico, design moderno e pequenos detalhes que tornam as peças únicas. Uma delícia!
A Margarida é a cara por trás da My mini&me, e já foi umas das convidadas do blog (podem ler aqui). É uma verdadeira perfeccionista, por isso todas as peças são pensadas ao pormenor e têm detalhes únicos. Esta semana é lançada a nova colecção  My mini&me para a estação fria e mais uma vez não desilude. E a cereja no topo do bolo é a parceria com a Cutchi - toucas amorosas e gorros com o toque vintage tão característico desta marca (podem ver mais sobre a Cutchi aqui).
Uma colecção irresistível:













24
Out14

Para o menino blog, uma salva de palmas!


Sofia Serrano


Sou um bocado distraída com certas coisas. Sou péssima para datas, em particular se andar numa altura de muito trabalho, e na correria habitual - como nos últimos dias. 
Vai daí e nem me apercebi que ontem foi dia de aniversário aqui do blog! 

Pois, o Café, Canela & Chocolate fez 2 anos

Tem a idade do meu filho mais novo, porque começou na altura em que eu estava na segunda licença de maternidade. E como o Pedro, tem vindo a crescer nos últimos 2 anos, umas vezes devagarinho, outras vezes tem picos de crescimento. Tem muito de mim, e um bocadinho de todos nós aqui em casa. Tem acima de tudo, o meu lado de mãe, mas também de médica, de mulher, de pessoa.

Bom, isto para dizer que não organizei nem passatempo, nem mercadito, nem coisa alguma para comemorar o 2º aniversário do Café, Canela & Chocolate. 
Mas tenho a sorte de ter tido um presente ontem: 
26 276 visualizações num só dia! 
Foi para cima de espectacular! 
Acho que o SAPO (menos distraído que eu!) se apercebeu que o blog fazia anos e resolveu partilhar um dos post mais lidos se sempre "10 coisas que todas as mães fazem (mas que têm vergonha de admitir)", que subitamente se tornou viral, pela net e em particular pelo facebook!
Por isso, só tenho que agradecer, a quem anda por aqui desde sempre, aos que vão aparecendo, a todos os que deixam um comentário com uma opinião, aos leitores silenciosos, aos que me lançam desafios, aos que me dão feedback, aos que gostam e aos que não gostam. Obrigada por lerem.
Eu, deste lado, vou continuar a escrever.
E neste cantinho estão sempre convidados a tomar um café com um toque de canela, saborear um chocolate e percorrer estas páginas virtuais, escritas com o coração.
Obrigada!


23
Out14

Há dias assim


Sofia Serrano


Ando num modo em que só me apetece cair na cama e dormir. 
Mas há coisas para fazer, sempre. 
Em casa há brinquedos para arrumar, refeições para preparar, máquinas de loiça e roupa para tratar, miúdos para mimar, para ajudar com TPCs. 
No trabalho há consultas, ecografias, urgências. 
Resta-me respirar fundo, beber um café e continuar. 

E esperar pelo descanso do fim de semana e por um mergulho na praia, que com este calor vai ser um programa incontornável.
Boa quinta-feira!
22
Out14

O aniversário que não vamos querer perder!


Sofia Serrano

O Amoreiras é o Centro Comercial do nosso coração. E vai fazer 29 anos! 
A boa notícia é que estamos todos convidados para esta comemoração, que vai ser em grande: workshops, desfiles de moda, descontos, ofertas, o bolo de aniversário e um concerto com a Aurea! Vai ser claramente o melhor dia de compras do ano, por isso ninguém pode faltar! Podem ver todo o programa aqui.
Eu vou lá estar para ajudar a soprar as velas - e para comer o bolo (que espero que seja de CHOCOLATE!!)


22
Out14

Então e o cabelo?


Sofia Serrano

Depois do Verão terminar, há sempre uma certa vontade de mudar um bocadinho o look. Andei a pensar em cortar o cabelo - e muito indecisa quanto ao corte a fazer. E como me andaram a perguntar "Afinal cortaste ou não? Mostra lá!", resolvi que estava na altura de mostrar toda a verdade.
Bom, a verdade é que eu sou uma medricas do pior no que toca aos cm a abater - perguntem à minha cabeleireira, que me vê duas vezes por ano para eliminar as pontas espigadas (num ano de loucura, umas três!).
Portanto, o que aconteceu foi isto:


O antes (bom, sempre estava com uma cor mais engraçada e com ar descansado das férias!): compridão.


O depois (dia pós-urgência de 24h, o que não favorece muito o look, sem maquilhagem....mas enfim): comprido na mesma, mas mais aparado.

20
Out14

Aprovado pela família #2


Sofia Serrano

Pronto, este título não é bem verdade. Aliás, é meia verdade.
Eu e o R. deliciámo-nos com estas Veg Crisps Tyrrell`s, que são para cima de divinais, quando os miúdos estavam a dormir. Por isso foi só aprovado por metade da família, já que a outra metade nem teve hipótese;)
Nunca pensei que fosse possível AMAR beterraba, mas este pacote definitivamente convenceu-me! E as batatas são absolutamente de chorar por mais. Experimentem e digam-me.


(para quem perguntou, estão à venda no Pingo Doce mas vão começar a aparecer noutros super)
20
Out14

Segundas que podiam ser terças


Sofia Serrano



O problema de trabalhar ao fim de semana é que nem se dá pelo descanso. Hoje é segunda e podia bem já ser terça, ou esta semana vai ter mais um dia. Por agora, sabe bem o café da manhã, e o dia promete reforços múltiplos. 
E como dizem que vem aí o verão, quem sabe a tarde não se torna interessante, com um saltinho a uma esplanada na praia?
Carpe diem. O meu lema.
Boa segunda feira!
19
Out14

Nascer neste tempo


Sofia Serrano


Está calor e bem que podíamos ter ido para a praia hoje.
Mas não, hoje foi dia de trabalhar. Eles ficaram com o pai ( e divertiram-se muito, pelo estado em que está  casa agora!), a mãe foi ajudar a nascer bebés (como eles dizem).
E para não fugir à regra, tivemos um dia agitado. E com novas emoções.
Hoje fiz um lindo parto, de um bebé enorme, que o pai viu pela primeira vez através do Skype, pelo telemóvel da mãe. E mesmo à distância, a emoção foi sentida por todos naquela sala - as lágrimas de emoção são as melhores, mesmo a milhares de kms de distância.
Partos modernos, famílias modernas. A mesma emoção - pura felicidade.


18
Out14

Congelar a maternidade para "depois"


Sofia Serrano


Já sabemos que o adiar da maternidade é um problema da sociedade moderna. 
A entrada no mercado de trabalho, a subida na carreira, as condições de vida, tudo isto tem influenciado as mulheres relativamente ao timming em que decidem ser mães. 
Cada vez mais escolhemos ter filhos mais tarde, e de facto, a carreira é um dos principais factores que nos influencia nesta escolha.
Gostávamos que as coisas fossem diferentes - pelo menos em Portugal. 
Apesar de tudo o que se diz em prol da maternidade, e do incentivo à natalidade, sabemos que anunciar uma gravidez no local de trabalho equivale a um sismo de 6,9 na escala de Richter. Que a trabalhadora grávida vai ter de faltar para ser acompanhada nas consultas e fazer exames. Que vai ter de tirar licença nos primeiros meses do bebé  e amamentar. Que vai faltar quando os filhos estão doentes.  
Por isso, desde o aparecimento daqueles 2 tracinhos no teste de gravidez, que a alegria de sermos mães se mistura com a hipótese muito provável de sermos aquela a quem não renovam o contrato. Ou que não é escolhida para aquele cargo de chefia com responsabilidade, porque acham que não vamos conseguir dar conta da família e da responsabilidade laboral. 
E sabemos que diariamente há uma pressão extrema de produtividade, quase bullying laboral, com exigência para fazermos horas extraordinárias para as quais poderíamos dizer não, mas que aceitamos fazer com receio de ficar desempregadas. E se explicamos que temos filhos a nosso cuidado e não conseguimos fazer aquele trabalho extra que nos propõem, somos ameaçadas com um "Olhe que não estamos interessados em fazer contrato com quem não tem disponibilidade total". Sim, isto tudo acontece. Em todas as profissões, incluindo a minha.

E nesta sociedade em que o interesse máximo vai para a produção, e os resultados (trabalho, trabalho, trabalho é o lema), eis que surgem agora empresas que oferecem às funcionárias um novo serviço para terem disponibilidade total: congelação de óvulos (podem ler aqui e aqui). A Apple e o Facebook vão ser das primeiras a garantir às funcionárias a congelação de óvulos, que custa perto de 7900 euros, mais cerca de 395 euros mensais para manter os óvulos congelados. Ou seja, estamos a promover o atrasar da maternidade para "depois", porque o "agora" é de produtividade. Na nossa sociedade não interessa promover a família, termos famílias grandes ou estarmos tempo juntos. O que interessa é produzir. E consumir.

Muita gente pode achar esta medida excelente. 
A mim leva-me para o "Admirável Mundo Novo" do Huxley, onde toda uma sociedade é criada em laboratório. E assusta-me. 
Um processo de congelação de ovócitos e processo de fertilização in vitro não são exactamente um passeio no parque (há riscos no processo, que é complicado), e devem ser feita nas situações em que é mesmo preciso, mas e nas outras? E o amor e as outras emoções? Então e queremos ser pais na altura em que devíamos ser avós? E são as entidades patronais que decidem as nossas vidas? E quando é que vai ser o timming ideal?
Parece-me tudo muito estranho. Muito artificial.

E gostava de um mundo onde se incentivassem as mulheres a ter filhos na altura em que biologicamente sentem que querem ser mães, que houvesse horários flexíveis, possibilidade de part-time nos primeiros anos dos filhos (em que é necessário um maior apoio e disponibilidade), entidades patronais compreensivas. Locais de trabalho com creche para os filhos ficarem, que estivessem abertos 24 horas se necessário (porque há casos em que fazemos turnos de 24 horas e se não tivermos ninguém com quem deixar os filhos, onde ficam?).

Não, não fico imensamente feliz e esperançada por haver empresas a pagar congelação de óvulos às suas funcionárias. Fico com a sensação que este "congelar para depois" nos vai custar muito caro - num futuro próximo. E que agora, o que precisamos é de bebés. De crianças para construir novas mentalidades. E de famílias unidas e que tenham tempo para conversa e passar tempo juntas.




18
Out14

Bom dia!


Sofia Serrano


Manhãs que começam bem: mãe na cama até mais tarde, um duche prolongado com um daqueles esfoliantes maravilhosos (descobri um de romã do continente, baratinho, que é delicioso!). Panquecas com a receita habitual (leite+ovos+açúcar+farinha+pitada de sal+canela+pitada de fermento). Família sentada à mesa, Luís Represas no rádio da cozinha. Nutella, açúcar e canela, mel, queijo e fiambre - nesta casa há quem goste de doce, há quem goste de salgado e há quem goste de tudo. Arrumações e limpezas de sábado. Unhas pintadas de vermelho. E coragem para ir fazer uma limpeza nos armários.
Bom sábado!

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D