Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

26
Nov14

A data certa para a árvore de Natal


Sofia Serrano

Quando eu era pequena, o Natal só começava a sério em Dezembro. 
Era em Dezembro que montávamos a árvore de Natal, era em Dezembro que surgiam os enfeites nas ruas, as luzes e a música. As lojas começavam a ter decorações de natal e começávamos a pensar no dia em que íamos estar todos juntos para uma refeição especial, e se tivéssemos sorte, até podia ser que o pai natal se lembrasse de nós e nos deixasse uma lembrança.
Agora, ainda mal tirámos o bikini, e já começam a aparecer chocolates e bolos de Natal nos hipermercados, mega-promoções supostamente imperdíveis para se começar a consumir logo em setembro mil-e-um-presentes que se calhar nem precisamos de oferecer. Em outubro já se começa a pensar em kits-de-natal para os mais pequenos e multiplicam-se os mercaditos recheados de ofertas natalícias imperdíveis. Em novembro, cada centro comercial comemora a chegada do seu próprio pai natal, e os miúdos andam baralhados porque afinal o pai natal só devia vir na noite de 24 ( e devia ser só um e não mais de 50, com o dobro dos ajudantes  e renas de plástico).
Quando começa o mês de Dezembro, já quase toda a gente tem a árvore de natal montada e a casa enfeitada há mais de um mês e já se perdeu a excitação de estarmos a entrar no suposto mês mais caloroso e solidário do ano.
Toda a gente se esquece que o Natal é uma comemoração do amor e da família, e estamos totalmente focados em ter a decoração mais gira, a roupa mais gira, os miúdos têm de ter o kit mais giro, temos de oferecer as prendas mais giras, e ter a mesa de natal mais gira. Tudo ultra Top.
E o resto?
Afinal, o natal não é isto. Não é este consumismo desenfreado, que nos querem fazer acreditar que é fundamental. Não é ter a sala mais trendy, nem a árvore com a decoração-último-grito-da-moda, nem a roupa com mais pinta.
Sim, eu gosto de montar a árvore para me lembrar que vem aí uma data especial. Gosto de ir na rua, sentir o frio e ouvir músicas de natal e cheiro a castanhas assadas. E claro que gosto de roupa, de presentes, de decorações. Mas acima de tudo, gosto que esta seja uma época de amor e partilha.
Por isso, aqui em casa, o Natal começa em Dezembro. Montamos a nossa árvore nessa altura (e sim, é daquelas de plástico, porque a floresta agradece!), geralmente nos primeiros dias do mês. Fazemos os presentes que oferecemos à família, porque assim têm mais significado (podem ser frasquinhos com biscoitos, como fizemos o ano passado). E acima de tudo, tentamos fazer algo pelos outros - que pode ser, simplesmente, escolher brinquedos e roupa em bom estado, que já não são usados, para dar a quem precisa. E nos dias que correm, há cada vez mais gente a precisar de ajuda.

Por isso, lanço aqui um desafio: vamos fazer a diferença neste natal. E não é pela roupa nem pela decoração, é pelo coração. Procurem em casa roupa em bom estado para adulto e criança, e brinquedos, e ofereçam a uma instituição perto de vocês, ou às famílias que sabem que têm necessidade.


8 comentários

Comentar post

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.