Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

19
Abr13

Desafio Leitoras e Gravidez I


Sofia Serrano

O Café, Canela & Chocolate tem lançado um Desafio sobre gravidez, parto e puerpério - porque esta é uma fase importante na vida da mulher, do casal, da família. Porque partilhar experiências ajuda.
E desta vez, foram as leitoras do Café, Canela & Chocolate que responderam ao desafio. 

Neste post, vamos conhecer:

- a Sara Coelho Casqueira, tem duas filhas e mora em Portalegre
- a Cláudia Rodrigues, tem dois filhos, é dos Açores e escreve no blog micromacropuzzle
- a Mariana Seabra de Sousa, tem uma filha, é do Porto e escreve no blog Tia Cocas
- a Ana Feliciano, tem duas filhas




1- Gravidez normal ou de risco?


Sara As duas super normais. Na segunda só me senti mais cansada devido ao facto de ter uma miúda de 1 ano em casa.
Cláudiamicromacropuzzle -  Duas gravidezes normais – separadas por menos de 2 anos -, planeadas, desejadas e passadas com muito boa disposição, sem quaisquer restrições e sem “os aspectos” negativos que estão descritos.
Mariana Tia Cocas - Normal e muito tranquila.
AnaAmbas foram normais... A 1ª após a eco morfológica e como se supeitava do colo do útero curto estive 1 mês de baixa, mas depois veio a confirmar-se que foi falso alarme. Na 2ª estive os 2 últimos meses de baixa porque a tensão estava alta devido ao stress no trabalho e por precaução devido à minha doença hereditária de rins poliquísticos. O único sinal de que estava grávida de ambas as vezes foi a ausência de menstruação (e na 2ª nem isso me alertou, tão distraída que sou... pensava que estaria de umas 7/8 semanas e fui fazer a eco endovaginal: afinal estava de 11 semanas, ups!) e a barriga que entretanto começou a crescer. Não sofri de um único enjoo, má disposição.

2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?



SaraAs duas a trabalhar, excepto no ultimo mês. O peso da barriga era tanto que eu mal me mexia.
Cláudiamicromacropuzzle - Felizmente a trabalhar quase até ao fim – fiquei em casa no início do 9º mês nos dois casos.
Mariana Tia Cocas - A trabalhar, com viagens para Lisboa e a enjoar um pouco no comboio.
AnaTirando estas situações que atrás referi foram sempre a trabalhar. Na 1ª foi até ao último dia... de manhã ainda fui ao banco e aos correios e no caminho para o banco tive a primeira contracção... acabou por nascer às 23h20m. Na 2ª apesar de não trabalhar nos últimos 2 meses, continuava a ser mãe e dona de casa, como todas as mães!!


3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.


Sara Nas duas deixei de conseguir beber café. É o primeiro sinal de que estou grávida.
Na primeira gravidez a vontade de comer sushi era de tal ordem que eu tinha de ir a Lisboa de 15 em 15 dias. Na segunda gravidez passei a amar Laranja. Comia tidos os dias, eu que sempre detestei laranja. Nem podia sentir o cheiro.
Cláudiamicromacropuzzle - Confesso (já que a minha obstetra não me ouve e correu tudo bem) que não fiz restrição nenhuma… vá… o sushi era cozido.
Mariana Tia Cocas - Acho que não deixei de comer nada, a única coisa que enjoei foi o cheiro de um perfume (ainda hoje não o consigo cheirar). Alimento mais apetecido, laranja e também manga.
AnaNa 2ª gravidez deixei de conseguir comer favas (aliás, depois dessa tentativa nunca mais consegui comer favas com chouriço e coentros), mas não tive nenhum alimento que se tenha tornado mais apetecido.



4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?



SaraNa primeira fiz hidroginástica, que me fazia sentir nas nuvens. Na segunda não fiz nada.
Cláudiamicromacropuzzle - Exercício é que não: nem grávida, nem não-grávida. Sou alérgica. O exercício de andar diariamente nos corredores intermináveis do meu hospital, esse sim!
Mariana Tia Cocas -  Nada…apenas caminhava.
Ana Só continuei a fazer caminhadas e os de preparação para o parto (curso).



5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?


SaraNão. Fiz sempre a minha vida normal.
Cláudiamicromacropuzzle -  Não: sempre levei uma vida regrada, sem excessos ou consumos não aconselhados. No entanto habituei-me a ingerir mais água – hábito que mantenho ainda hoje; ando sempre de garrafa atrás – no mínimo dos mínimos 1,5L/ dia.
Mariana Tia Cocas - Não. Nunca deixei de conduzir, trabalhar, passear, viajar…aliás fiz uma lista de coisas que queria fazer antes da minha filha nascer e que sabia que nos primeiros meses não iria conseguir fazer. Claro que no final do tempo a barriga era grande a mobilidade menor, mas nada de transcendente.
AnaSim, na alimentação: obriguei-me a cumprir a regra de não passar mais de 2 horas sem comer e de beber quase 2 litros de água por dia.


6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?


SaraNa primeira foi tudo, do principio ao fim. Mas principalmente da atenção e dos mimos.
Na segunda foi poder partilha-la com a minha filha mais velha.
Cláudiamicromacropuzzle - Das fotos de barriguinha, da 1ª vez que ouvi o coração dos babies, de todas as ecos e saber que estava tudo bem.
Mariana Tia Cocas - Sentir a minha filha a mexer, falar com ela…sim eu falava com ela ;-)
AnaA espera... o gostar de alguém mesmo sem o conhecer... depois o sentir que realmente está lá alguém... e a preocupação quando passamos mais de x horas sem sentirmos um único pontapé... Acho que todas as mulheres ganham uma luminosidade... só comparável às mães! Acho que todas as mulheres grávidas e mães ficam lindas!!



7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?

SaraAmbos foram normais, mas na primeira foi preciso usar ventosa.
Não alterava em nada os partos. Gosto tanto que saio da sala de partos sempre a dizer que quero mais outro filho.
Cláudiamicromacropuzzle -  O 1º parto demorou 16 horas e acabou por ser distócico – uso de ventosa. O 2º levou metade do tempo, desde a 1ª contracção dolorosa e foi eutócico. Com epidural nas duas vezes a meu pedido e fiquei super fã. Recomendo a todas! A ruptura da bolsa foi sempre feita no hospital e não perdi rolhão mucoso – tudo muito limpinho! Não poderia desejar melhor, de facto. O Simão nasceu na data exacta prevista do parto e o Francisco a 20 minutos de entrar no dia 21 de Março, a sua data prevista – no entanto, os colegas do hospital quiseram acelerar a coisa… não fosse isso, ele nasceria também no dia em que eu faria 40 semanas!
Mariana Tia Cocas - Cesariana. Mas queria que fosse natural, só que depois de um dia inteiro nunca tive dilatação suficiente.
Ana Ambos foram partos naturais sem epidural, por opção. Se pudesse escolher, teria escolhido o que acabou por acontecer.Mas o parto da primeira gravidez foi mau... senti tudo, é verdade... mas quando deveria estar a sentir: ver a minha princesa nos braços do pai... estava mais para lá do que outra coisa... só passada uma meia hora é que assimilei que aquela coisinha pequena era a minha, a nossa filha... ou seja estava extenuada e não consegui viver e aproveitar o momento após a expulsão. Na 2ª gravidez aproveitei e consegui “viver” o momento... lindo... e claro que por ser a 2ª não foi tão extenuante... Se houvesse a 3ª acho que poderia mesmo dizer que seria fácil, não? Quem sabe!?


8- Era capaz de ter um parto em casa?




SaraNão. A segurança do hospital para mim é fundamental. Se algo correr mal sei que estou no sítio certo.
Cláudiamicromacropuzzle - Ai, isso não. Sou um pouco medricas e quero epiduraaaaaallll!!!!
Mariana Tia Cocas  -  Não.
AnaNão... nunca! Confio na medicina, algo que temos a sorte de ter à nossa disposição nos dias de hoje e que milhões não o tiveram no passado.


9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?


SaraPuerpério. Sou uma pessoa que preciso de controlar tudo, e saber se está tudo bem. A gravidez deixa-me ansiosa, não consigo tolerar muito bem a espera entre as ecografias e a espera do momento do parto. Daí apreciar muito mais quando eles estão cá fora. Adoro o cheiro, adoro o toque, adoro ter o meu bebé nos braços e poder cuidar dele. Ver as suas feições e a sua perfeição, deixa-me super feliz.
Cláudiamicromacropuzzle -  Gravidez, claro… os primeiros dias de puerpério são completamente dispensáveis!
Mariana Tia Cocas -  Muito diferentes as 2 realidades. A fase gravidez é fantástica porque transportámos uma vida, o nosso filho, porque é só nosso. Depois de nascer tem que ser “partilhado” com os restantes, mas não deixa de ser fantástico, já está cá, já lhe conhecemos o rosto, o choro, as expressões, o cheiro, enfim…Adorei estar grávida, mas no final da gravidez estava ansiosa que nascesse. Mas confesso que apesar de adorar pegar na minha filha recém nascida, acho que a partir dos 3 meses é muito mais giro.
AnaMelhor...hummmmm... A gravidez é mais calma e o puerpério apesar de termos os nossos bebés connosco. Os primeiros 3 meses são um stress: dúvidas, ansiedades... estamos a fazer bem??? Então porque não pára de chorar???... cólicas... depois do 3º mês é maravilhoso... tudo!!! ... e cada mês que passa ainda é melhor e mais gratificante!!!


10- Amamentou? Porquê?


SaraNas duas Amamentei apenas 15 dias.
Não me condenem mas amamentar não é a melhor coisa do mundo. Para além disso, o meu leite não as deixava satisfeitas. Daí optar por introduzir o suplemento logo nos primeiro dias e ao fim de 15 dias estão a beber o leite e super felizes. E a mãe também!
Cláudiamicromacropuzzle - Completamente apologista da amamentação: o Simão foi amamentado 7 meses (deixei de me empenhar nessa tarefa quando recomecei o trabalho, por ser difícil fazê-lo, e acabou naturalmente; nunca me adaptei aos extractores de leite, logo, em todo esse tempo as minhas maminhas estiveram sempre disponíveis para o meu filho, ia comigo para todos os sítios e mamava sempre da “fonte”). O Francisco está quase com 1 mês, só maminha, e enquanto estiver de Licença será, espero, a mesma história. Depois logo se vê.
Porquê? Porque é, sem dúvida, o melhor para eles e, em muitos aspectos, para nós também, as mamãs. É um “sacrifício” (sim, não digo que é “um mar de rosas”) que os filhotes merecem.
Mariana Tia Cocas - Sim. Tinha leite e uma vez que o leite materno é a melhor opção, porque não fazê-lo. Acho que é também um momento de muita proximidade entre Mãe e filho, mas se não desse para amamentar não seria por isso que a proximidade não existiria. Deixei de amamentar aos 3 meses e confesso que em determinadas coisas foi um alivio.
Ana Sim de ambas em exclusivo até aos 4 meses e pouco, e depois da introdução dos sólidos até aos 10 meses. Em 1º lugar porque é o melhor para o bebé... é o mais natural... depois porque dizem que é bom para a recuperação da mãe (o certo é que em ambas só recuperei a minha forma após 2 anos...). Acho que as coisas estão a mudar, mas acho que existe pouco apoio às mães que não estão a conseguir amamentar... falo por mim, especialmente na primeira gravidez... acho que se não tivesse encontrado a SOS Amamentação na net e ter falado com as voluntárias não teria conseguido pois no Centro de Saúde só me diziam para introduzir o suplemento... tem pouco leite... enfim, estamos muito inseguras. Na 2ª correu tudo muito bem ela mamava bem e em 5/10 minutos... às vezes com interrupções... tinha de a tirar da mama para ir pôr a mais velha a fazer xixi...Apesar de todo o progresso... amamentar é voltarmos às origens... é sermos novamente... animais... a alimentar as suas crias da maneira mais natural possível!!! É lindo... enquanto for bom para a mãe... caso contrário deve-se ter em conta as alternativas...




Obrigado por terem aceite o desafio!
E obrigada às outras leitoras que têm partilhado as suas experiências - mais posts para breve!


Para seguir o Café, Canela & Chocolate no Facebook é aqui.


4 comentários

Comentar post

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.