Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

22
Jun14

Querida bailarina (carta de uma mãe a uma filha)


Sofia Serrano

Minha querida, espero que saibas que cada dia que passa, tenho mais orgulho em ti. 
Sei que achas que sou má quando me zango contigo quando te portas mal, ou quando insisto para arrumares o teu quarto e ajudares o resto da família nas tarefas diárias. Esta coisa de ser mãe é difícil e vou fazendo o que acho ser melhor - para ti e para nós todos enquanto família. 
Gostava que crescesses sempre feliz, com esse teu maravilhosos sorriso sempre presente. Gostava que fosses boa pessoa, que te preocupasses com os outros, que conseguisses seguir os teus sonhos e que nunca deixasses de os ter. As tuas conquistas são sempre um bocadinho minhas, ou pelo menos, o orgulho é tão grande que as sinto como minhas - mas o mérito é todo teu.
Sei que quando eras mais pequena dizias que querias ser "médica-de-ajudar-a-nascer-os-bebés", como a mãe. E também cantora (como a Madonna, que sempre admiraste, desde a primeira vez que a viste na televisão). Sei que quando a mãe esteve naquele estudo super-intensivo para o exame de final da especialidade ("o" exame!), começaste a perceber que ser médico não era fácil. Que era preciso saber de cor e salteado todos aqueles livros de mais de 500 páginas que estão agora na estante lá de casa, mas que na altura ocupavam todas as divisões, que era preciso ficar a estudar em vez de ir para a praia ou passear, que era preciso acordar mais cedo e deitar mais tarde para conseguir saber tudo (ou quase tudo). Achaste que aquilo já era muita complicação. E vieste-me dizer, a medo, que se calhar já não querias ser médica, só cantora - e se eu me importava. O mais importante na vida é sermos felizes, e isso passa muito por fazermos o que gostamos - não, não me importo nada que sejas feliz, é mesmo isso que desejo.
Lembro-me da tua primeira festa da escola, ainda não tinhas dois anos, e assim que pisaste o palco, cantaste e dançaste com um sorriso na cara. E nas outras festas seguintes foi sempre assim (com uma mãe incapaz de conter as lágrimas na plateia). E depois começaste na escola de dança e todos os dias me surpreendes.
Este ano, mais uma vez, foi assim. Senti-te feliz, a fazer o que gostas - cantar e dançar. E isso é o que eu mais quero.
Ainda és pequena, e é cedo. Tens uma vida pela frente, muitos caminhos, muitas decisões, mas uma das coisas que gostava de te conseguir ensinar é a seguir os teus sonhos e a fazer sempre o que gostas - porque assim, sei que vais ser feliz.

A mãe.




5 comentários

Comentar post

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.