Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

05
Out16

Sobre miomas


Sofia Serrano

dores-regia-o-pelvica.jpg

 

Os miomas são formações nodulares que surgem a partir da parede muscular do útero. São tumores benignos, muito frequentes nas mulheres : mais de metade das mulheres com 35 anos ou mais tem miomas.

Nem todos os miomas dão sintomas, sendo que a existência de muitos só é descoberta na consulta de ginecologia de rotina anual. No entanto, os mais frequentes são:

 

- menstruações intensas e prolongadas, muitas vezes com coágulos, que podem levar a anemia, que pode ser grave

- aumento do volume abdominal, com sensação de peso ou pressão na zona pélvica

- sensação de pressão na bexiga, com necessidade de urinar mais frequentemente, ou obstipação

- dor nas relações sexuais

 

imgHandler.ashx.jpeg

 

Os crescimento dos miomas está dependente dos estrogénios, por isso são mais frequentes na idade fértil, e começam a regredir espontaneamente na menopausa. Têm tamanhos diversos e podem ser submucosos, intramurais ou subserosos, dependendo da sua localização no útero.

 

 

Para se diagnosticar um mioma, é preciso que se faça um exame pélvico, durante uma consulta de ginecologia, complementado com uma ecografia, que é geralmente supra-púbica e endovaginal, para uma boa caracterização das alterações no útero. Nalguns casos pode ser necessário fazer uma ressonância magnética.

 

Quanto ao tratamento, nem todos os miomas precisam de ser tratados. Se forem pequenos e não derem sintomas, devem ser somente vigiados na consulta anual de ginecologia.

Os miomas sintomáticos eram tradicionalmente tratados sempre por cirurgia, através de uma histerectomia,ou seja, retirava-se o útero da mulher, ou nos casos possíveis, só os miomas. Isto implica uma anestesia geral, vários dias de internamento, uma recuperação prolongada, e claro, quando o útero é retirado, a incapacidade de ter mais filhos, e alguma interferência na vida sexual.

Atualmente há outras opções disponíveis, mais simples, confortáveis e eficazes para as mulheres.

O acetato de ulipristal é um medicamento que permite tratar os sintomas moderados a graves dos miomas. A maioria dos miomas tem uma redução importante com esta medicação. Pode ser usado para tratamentos de 3 meses, e eventualmente repetido, ou usado para reduzir miomas antes de uma cirurgia para facilitar o procedimento.

A embolização uterina dos miomas permite, através da radiologia de intervenção, e de forma minimamente invasiva, tratar os miomas e conservar o útero. Não necessita de anestesia geral, como a cirurgia, nem de internamento, e o tempo de recuperação é bem mais rápido. E o útero é conservado.

 

 

Devem sempre esclarecer estas questões com o vosso médico, e ele melhor que ninguém saberá indicar o melhor para o vosso caso.

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.