Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

04
Mai17

Coisas que uma mãe deve ensinar a um filho


Sofia Serrano

 

Dia da Mãe (8).JPG

 

Queremos que o nosso miúdo seja mesmo um príncipe encantado? Então, não nos podemos esquecer disto:



1. Ensiná-lo a dizer o que sente. Expressar os sentimentos é das coisas mais importantes para que cresça bem e feliz.


2. Incentivá-lo em todas as coisas. Assim, ele vai acreditar em si e querer sempre ir mais além.


3. Ensiná-lo a tratar da roupa. Deixá-lo ajudar a levar a roupa para a máquina, a estender a roupa, a guardar a mesma. Ajudar nas tarefas domésticas é importante.


4. Ler para ele e ler com ele. A imaginação cresce com a leitura.


5. Incentivá-lo a dançar. Crianças que dançam vão ser adultos felizes.

6. Assegurarmo-nos que ele tem como exemplo homens e mulheres que se destacaram pela sua inteligência, determinação e integridade e não só pelos músculos ou beleza. Para além do Hulk, também lhes devemos apresentar o Einstein.


7. Ensiná-lo a ser educado: por favor, obrigado, bom dia, até mais logo. Para que ele ajude a tornar este mundo num lugar melhor.


8. Dar-lhe algo em que acreditar. Mesmo nas alturas difíceis, para que ele saiba que tem pessoas que o amam mais que tudo e que vão sempre fazer tudo por ele.


9. Ensiná-lo que é preciso ser meiguinho, mesmo que ele seja o nosso menino irrequieto: com os bebés, com os animais, com outras crianças, com os sentimentos, com o mundo.


10. Deixá-lo sujar-se e estragar as roupas. Faz parte do crescimento dos rapazes, não vale a pena andarmos zangados - e dentro em breve ele cresce e tudo passa.


11. Jogar com ele futebol. Ou aprender os nomes dos carros da série preferida dele. Para que ele saiba que estamos na vida dele a sério, não somos só observadores.


12. Deixá-lo brincar na rua. Desligar a televisão, os computadores, deixar o telemóvel a carregar e brincar com ele, lá fora. É quase mágico, brincar na rua, explorar, andar de bicicleta.


13. Deixá-lo perder. É uma chatice perder. Mas não se pode ganhar sempre. Na vida, ele vai ter derrotas. E é preciso aprender a lidar com elas. Devemos explicar que é mesmo assim, umas vezes ganhamos, outras perdemos....mas não devemos nunca desistir.


14. Dar-lhe oportunidade de ajudar outros. Não obrigar, mas sim mostrar que pode ajudar - e devemos ser nós o exemplo. Darmos a outras famílias roupas que já não usamos, ajudar os vizinhos nas mudanças, partilhar.


15. Lembrar-lhe que a prática leva à perfeição. E que isto não se aplica só ao futebol, a desenhar ou a ler, mas a outras coisas do dia-a-dia, como fazer a cama ou cozinhar.


16. Responder sempre quando ele pergunta "Porquê?". E se não soubermos a resposta, procurar com ele uma resposta. Para que ele perceba que devemos sempre procurar respostas para as nossas dúvidas.


17. Construir castelos com ele. Ou transformar a sala num acampamento, com lençóis entre sofás e almofadas no chão. As coisas do dia-a-dia têm um potencial mágico e ele vai-se lembrar disso para o resto da vida.


18. Levá-lo a sítios novos. Conhecer novos lugares e pessoas expande o horizonte - e o coração.


19. Beijá-lo. Sempre, muitas vezes. As mães de rapazes sabem que eles são agitados e muito brutos a brincar a maior parte do dia - mas têm um lado meigo e charmoso que nos derrete. E adoram os beijios da mãe, sempre.


20. Ser o seu porto seguro. Mostrar-lhe que a mãe vai ser sempre o porto seguro dele. Quando está doente, quando está feliz, quando está nervoso. Mesmo quando crescer, casar e tiver filhos. A mãe será sempre a mãe e estará sempre lá, para o melhor e para o pior.

 

 

13
Fev17

Coisas que as pessoas adoram dizer às grávidas


Sofia Serrano

Não sei como foi convosco, mas muito provavelmente aconteceu algo muito parecido a isto.


Assim que ficamos grávidas, de repente, toda a gente SABE o que vai acontecer, o que podemos ou não fazer, o que podemos comer. E pelo nosso ar, ou pelo formato da barriga, ou pelo alinhamento das estrelas, de CERTEZA que conseguem prever tudo.

Reconhecem isto?

"Ah...tem a barriga em bico, de certeza que é um menino!!!" (50% de hipóteses de acertar...)


"Ah, tem uma barriga tão grande! De certeza que vão ser dois!"...e duas horas mais tarde, outro "alguém" igualmente sábio "Ah, que barriga tão pequenina! Vai ser um bebé muito magrinho, é melhor descansar!" (alguém precisa de óculos ou de uma fita métrica)


"Está óptima esta gravidez, não aumentou nada de peso!" e cinco minutos depois outro comentário "Está tão gorda e inchada! Já aumentou muito de peso, não foi?" (melhor usar tabela ao pescoço com aumento total de peso na gravidez)


"Ah, está com um ar resplandecente, é menino de certeza!" e dias depois ouve-se "Tem a pele e o cabelo lindos, é porque vai ser menina, aposto!"(...)


"Se continua a trabalhar vai nascer antes de tempo, de certeza!"


"Com essa barriga vai ter um bebé de 5 kg, vai ver que tem de ser cesariana"...(só obstetras...)

Solução : SORRISO...silêncio...e continuar a SORRIR.


Claro que depois de o bebé nascer, ainda há mais médicos/psicólogos/educadores por aí, que têm sempre a receita milagrosa para os problemas do dia-a-dia:

"Ah...esse choro deve ser fome, de certeza!O melhor é dar leite em pó, o menino está a ficar com fome só com a mama!" ou então "O menino vai ficar muito gordinho com esse leite, porque é que não dá mama?" (nunca ninguém está satisfeito...)


"Colo? Está a habituá-lo mal!Ele depois quer sempre colo!" (sim, aos 18 anos deve querer muito colinho...)


"Nem pensar em deixá-lo dormir na cama dos pais! Olhe que ele depois habitua-se!" (sim, sim, ouvi falar de miúdos de 20 anos a levarem as namoradas para a cama dos pais.

E blábláblá...wiskas saquetas.


E pronto. É por isso que eu gosto de sorrir. 

 

Captura de ecrã 2017-02-13, às 11.39.51.png

 

09
Mar16

Um filho bem comportado? O nome importa.


Sofia Serrano

image.jpeg

 

 

Escolher o nome para o filho é das tarefas mais difíceis para os futuros pais. Há quem encontre rapidamente um nome que ambos adoram, mas depois há o significado do nome, a letra porque começa e o possível lugar na escola, a opinião da família e tantos outros factores. Agora surge uma nova variável nesta escolha: foi feito um estudo para perceber quais os nomes mais frequentes nas crianças "bem comportadas" e quais os nomes mais frequentes dos "pestinhas".

 

Um sistema de recompensa chamado School Stickers pediu a cerca de 60.000 crianças para gravarem digitalmente os adesivos que receberam na escola para bom comportamento. Foi depois monitorizado o comportamento das crianças com base num milhão de entradas e, depois de analisar os dados, divulgou uma “lista rebelde” das crianças com maior probabilidade de se comportarem mal.

 

Top 10 das Meninas mal-comportadas

1. Alice

2. Sofia

3. Beatriz

4. Laura

5. Júlia

6. Ágata

7. Gabriela

8. Rafaela

9. Sara

10. Ana

 

Top 10 dos Meninos mal-comportados

1. Vasco

2. Artur

3. Gabriel

4. Bernardo

5. Guilherme

6. Pedro

7. Miguel

8. Gustavo

9. Henrique

10. Rafael

 

Top 10 das Meninas bem-comportadas

1. Bruna

2. Isabel

3. Mariana

4. Juliana

5. Diana

6. Débora

7. Jessica

8. Raquel

9. Joana

10. Érica

 

Top 10 dos Meninos bem-comportados

1. David

2. Nuno

3. Daniel

4. Eduardo

5. Bruno

6. Tiago

7. João

8. Samuel

9. Diogo

10. Hugo

 

 

Confirmam?

Por aqui tenho um Pedro e uma Mariana, e parece-me que ambos têm dias em que são perfeitos anjinhos, e outras alturas deixam-me os cabelos em pé :)

 

17
Dez15

São as mães que curam as gripes


Sofia Serrano

Muita coisa se poderia dizer sobre uma gripe.

E se me tivessem pedido para falar sobre gripe na semana passada, eu falava da parte científica, que inclui vírus, 3-4 dias de febre alta, dor no corpo, arrepios, tosse, falta de apetite. E sublinhava que o que é preciso é ficar em casa, baixar a febre, hidratar e esperar que passe, que é mesmo assim a vida.

Mas eis que a maldita gripe resolveu instalar-se por aqui. Começou pela miúda, no dia seguinte ficou o mais pequeno e depois os pais - a nossa primeira gripe familiar. Não sei bem qual é a letra da gripe este ano, mas é das chatas.

Uma autêntica festa. Em particular porque ter duas crianças com febre alta e a precisar de tomar xaropes para baixar a febre de 4/4h, em horários diferentes, é coisa para levar uma mãe quase à loucura. Já para não falar de ranhos e tosses, e de eu e eles fechados em casa quase uma semana. 

A parte boa é que as mães têm um super-poder qualquer que faz com que tenham de ter sempre extra-energia para tratar dos filhos - e por isso, as gripes das mães são coisas leves. E são os mimos e a paciência para dar água, para refrescar a testa, para ler uma história, para dizer que tudo vai passar rápido, que curam as gripes. Não, aqui os antibióticos não mandam nem curam nada, apesar de haver momentos em que tudo pareceria imensamente mais fácil se com uma colher mágica de antibiótico tudo voltasse ao normal mais depressa.

São as mães. As mães é que curam as gripes.

 

E depois de uma semana fechada em casa, devia, pelo menos, ter direito a uns bilhetes para o Star Wars - ouviste, R.? 

 

 

_DSC0355.jpg

 

05
Ago15

Já?


Sofia Serrano

 

Fui ao hipermercado para comprar uma mala de viagem para a miúda e ela, em choque, depara-se, logo à entrada com um cartaz "Regresso às Aulas!" e com um amontoado de mochilas das mais variadas cores e bonecos, dossiers, lápis e canetas e toda uma panóplia de material que torna o ar num clima de regresso à escola.
Pensei que ia querer ver as mochilas (as Elsas e Anas, Violetas e primas saltavam à vista!), mas fugiu rapidamente para outro corredor, com um comentário em tom baixo de "Estão todos loucos! Ainda agora começaram as férias já querem que volte para a escola! Não é, mãe?"
Sim, miúda, o tempo passa depressa, mas a culpa é nossa.

 

bc6a508eef981c8ba37dbb0a1b5785ae.jpg

 

05
Ago15

Vem aí festa


Sofia Serrano

Em Setembro a M. faz anos. Já anda a sonhar com a festa e anda a escolher um tema, porque quer ajudar na decoração, a escolher o bolo e preparar tudo - ela já sabe que cá em casa pomos mãos à obra.

O mais provável é isto acabar em Elsas e Anas, que a febre "Frozen" ainda não passou.

 

Captura de ecrã 2015-08-3, às 20.32.10.png

(não é espectacular???) 

 

 

20
Jul15

Diário de uma mãe a tempo inteiro (por 3 meses) #6


Sofia Serrano

 

Estamos juntos todos os dias, mas tenho a sensação que estão a crescer a um ritmo assustador. Achava que agora o tempo ia passar mais devagar, mas o tempo não pára. E os sapatos deixam de servir, as meias pontas apertam, as t-shirts deixam ver a barriga. Ela fala sobre assuntos sérios e faz perguntas sobre a origem do universo. Ele inventa histórias por qualquer pretexto e já tem um vocabulário de menino crescido. Levamo-lo a cortar o cabelo pela primeira vez (portou-se lindamente) mas no fim apercebi-me que o meu bebé tinha mesmo crescido. 
São dois meninos crescidos cá por casa, que são os melhores amigos, que brincam juntos, que partilham o quarto, os sorrisos e as lágrimas.
O verão é assim. Tempo para crescer. E o melhor mesmo é estarmos juntos.
 
 
 
13
Jul15

Diário de uma mãe a tempo inteiro (por 3 meses) #5


Sofia Serrano

Ela trocou as havaianas e as manhãs de praia pelas sapatilhas de ballet, e por estes dias há treinos intensivos. Para já, vem com este sorriso na cara, e só diz que lhe doem um bocadinho os pés - mas que está pronta para continuar. Os amores são assim.
Ele estranhou uma manhã inteira só com a mãe. Aproveitamos para ir conhecer a Rosa Chock Boutique?, a loja com mais pinta do sul, recheada de coisas giras. 
E claro, quis trazer um presente para a irmã. 
Dias bons.


Os moinhos, que lhes deixam este sorriso na cara são da Rosa Chock, que está recheada de coisas apaixonantes, desde casinhas de boneca, a cavalinhos de madeira, móveis restaurados, varinhas mágicas, tendas, candelabros, e muito mais. Vale a pena visitar.







10
Jul15

Diária de uma mãe a tempo inteiro (por 3 meses) #4


Sofia Serrano




Isto de estar de licença com os miúdos tem muito que se lhe diga. Ainda não me deu nenhuma saudade súbita das noites em claro, das olheiras ou do trabalho desenfreado. Mas penso nas grávidas e nos bebés com aos quais inevitavelmente fico ligada. E só descanso quando sei que correu tudo bem. 
Depois há o outro lado da medalha: a mãe, fica em casa, o pai trabalha. E trabalha muito, como é habitual nele. Por isso, ao fim de semana é altura de o levarmos connosco, para descontrair e poder voltar na segunda-feira com energia renovada.
Isto tudo para dizer que vamos voltar a pegar na tenda e rumar a uma noite estrelada e uma praia semi-deserta.
(é por aqui que vamos estar)

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D