Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

09
Out17

Quando a vida nos troca as voltas


Sofia Serrano

_96887457_gettyimages-629111916.jpg

 

A vida é tramada. Prega-nos partidas quando menos esperamos, puxa-nos o tapete debaixo dos pés quando estamos distraídos a admirar o brilho da lua cheia numa noite de outono com sabor a verão.

Testa-nos.


Porque na realidade as reviravoltas inesperadas são só uma oportunidade de mostrarmos que podemos fazer melhor. Que conseguimos dar a volta por cima, e encontrar o caminho mesmo que nos troquem as voltas.

Acredito nisso, do fundo do coração.

 

É segunda feira e não sei bem o que reserva o futuro. Mas acredito que isso é só mais um desafio desta vida.
E que o inesperado vai trazer coisas boas. Mesmo que seja preciso arriscar.

25
Abr17

A corrida das mães!


Sofia Serrano

Dia da Mãe (44).JPG

 

Os dias são uma constante corrida. E a classificação das mães é, quase sempre, esta:

- As mães são sempre as primeiras a ouvir a tosse do filho durante a noite, ou o choro por ter perdido a chucha ou por ter tido um pesadelo.

São as primeiras a chegar juntos dos filhos quando começam a ter febre.

São as primeiras a levantarem-se de manhã, porque mesmo que os filhos já tenham acordado, precisam sempre da ajuda da mãe para ir à casa de banho, vestir-se ou ligar a televisão.

- As mães são sempre as últimas a ficar prontas de manhã - porque primeiro preparam as mochilas dos filhos, ajudam-nos a lavar a cara, os dentes, a pentear-se, fazem o pequeno almoço, ajudam a vestir, resolvem birras matinais e só depois, nuns míseros cinco minutos porque já não há tempo para mais, ficam prontas para sair para o trabalho.

- As mães são sempre as primeiras a saber que o seu filho está a ficar doente, porque mesmo que ainda não tenha febre nem tosse, há alguma coisa que lhe diz que há algo errado.

- As mães são sempre as últimas a terminar uma refeição - porque durante a mesma, serviram os filhos, ajudaram a comer a sopa, cortaram a carne, ajudaram a terminar os legumes e ainda descascaram a fruta.

E só depois conseguiram avançar para o seu prato e terminar a refeição, com a comida já fria, claro.

 

03
Abr17

Sobre o tempo que passa depressa demais (e não volta para trás)


Sofia Serrano

DSC_0433.JPG

 

Ora bem, sou só eu que tenho a sensação de que o tempo está a passar a uma velocidade vertiginosa?

Ainda ontem era Natal e já estamos em abril?

A verdade é que entre consultas, cirurgias, levar e buscar miúdos à escola, atividades, aproveitar dias bons, os dias e as semanas desaparecem num ápice.

Muitas vezes tento desacelerar: só aquele momento de fechar os olhos e respirar. Mas a verdade é que são poucos segundos, porque pouco depois há outra consulta para fazer ou um miúdo a chamar pela mãe, um telefonema para responder ou um compromisso inadiável.

Dou por mim, muitas vezes, a pensar como seria um mundo com calma. Sem horários nem tarefas obrigatórias. Com tempo. Tempo para tudo: para acordar, para fazer um pequenos almoço e comer com calma, em família. Tempo para aprender nas escola, sem metas curriculares nem pressão, a conversar tranquilamente sobre temas interessantes. Tempo para os pais estarem com os filhos. Tempo para os miúdos brincarem sem pressas. Tempo para não fazermos nada e só ficarmos a sentir o quente do sol na pele e a brisa a soprar no cabelo. Tempo para adormecer com os dois no colo, no sofá, depois de uma história daquelas grandes, que lemos durante vários dias, mas que nunca nos apetece parar.

Já tentei mil e uma maneiras para ter mais tempo, mas sinto que ele me escapa por entre os dedos. Sinto que a vida passa depressa demais. Tenho a sensação de estarmos neste carrossel colorido, que tomou balanço e anda cada vez mais depressa.

 

 

 

 

29
Nov16

Está na altura de convocar os super heróis


Sofia Serrano

_DSC9116.jpg

 Foto Pau Storch

 

Porque é que eu não gosto do inverno? Porque para além do frio, da chuva, do vento e dos dias pequenos (que me deixam deprimida), começam aquelas doenças dos miúdos, desde ranhos e tosses a viroses e gastrenterites, que deixam crianças em baixo e pais com olheiras.
A solução?
Mudarmo-nos para um pais tropical (talvez o Brasil?)
Ou então espantar toda esta bicharada com muita fruta e o máximo de tempo possível de brincadeiras ao ar livre.
E em caso de emergência, libertar o super-herói que vive em cada um de nós!
(resmungos de uma mãe que já levou com duas viroses desde o fim de semana e espera ansiosamente pelo regresso do verão!)

 

 

 

05
Mar16

5 coisas que os pais deixam de fazer depois de terem filhos


Sofia Serrano

15629e4e79a77261f30ac3667db8563f.jpg

 

Ter filhos é uma coisa fantástica - há momentos extraordinariamente belos, outros assustadores. Acima de tudo, sermos pais significa embarcarmos numa gigantesca aventura.

A verdade é que a vida muda por completo. E é quase certo que quando nos tornamos pais, há coisas que deixamos de fazer:

 

1. Nunca mais conseguimos dormir as horas que entendermos. Primeiro há um bebé que acorda de 3 em 3 horas, depois há miúdos madrugadores, chuchas perdidas durante a noite, pesadelos. E quando chega a sábado e achávamos que iamos dormir (finalmente!) até mais tarde, às 6:00 da manhã os miúdos já estão acordados e não descansam enquanto não levantam toda a família. Pais = dormir o que se pode, quando se pode.

 

 

16
Fev16

Das coisas que importam na vida


Sofia Serrano

Passamos mais de metade dos dias preocupados com a dieta, e se podemos comer um hamburguer com batatas fritas ou se devemos ficar pela sopa, se devemos ou não comprar aquele vestido giro (e aquela carteira de marca tão cara), se conseguimos poupar para ir de férias para aquele destino paradisíaco. Passamos mais de metade dos dias com olhos postos no relógio, no telemóvel, no tablet e na internet. Preocupados em chegar a horas ao trabalho, sair a horas para ir buscar as crianças à escola, acabar aquele relatório importante, ver aquela série que estreou e que já toda a gente viu.

Passamos mais de metade dos nossos dias preocupados com coisas que pouco interessam, na realidade. Porque afinal de contas, o que conta nos momentos importantes são as pessoas. 

O que conta verdadeiramente é saber que aquela amiga de longa data que vemos poucas vezes por estar distante está lá sempre que a vida nos troca as voltas, e é mais que uma irmã. O que conta verdadeiramente é saber que aquela amiga de há pouco tempo que  mesmo que nos conheça mal, nos ajuda incondicionalmente. O que conta verdadeiramente é aquele abraço silencioso que diz tudo, de quem mais se ama.

A vida é complicada. E mais vale guardar tempo para o que realmente importa.

As pessoas. São as pessoas que importam.

E este post é para agradecer, do fundo do coração, a essas pessoas, que estão na minha vida para a tornar um lugar melhor.

(mil obrigadas!)

 

efedd148fde8d40b635adabf7db17b6c.jpg

 

04
Nov15

Coisas que uma mãe deve ensinar a um filho


Sofia Serrano

5aee50bde348e733d509fddef0aa18d3.jpg

 

Queremos que o nosso miúdo seja mesmo um príncipe encantado? Então, não nos podemos esquecer disto:

 

1. Ensiná-lo a dizer o que sente. Expressar os sentimentos é das coisas mais importantes para que cresça bem e feliz.

2. Incentivá-lo em todas as coisas. Assim, ele vai acreditar em si e querer sempre ir mais além.

3. Ensiná-lo a tratar da roupa. Deixá-lo ajudar a levar a roupa para a máquina, a estender a roupa, a guardar a mesma. Ajudar nas tarefas domésticas é importante.

4. Ler para ele e ler com ele. A imaginação cresce com a leitura.

5. Incentivá-lo a dançar. Crianças que dançam vão ser adultos felizes.

 

 

18
Out15

7 coisas que as mães fazem no fim de semana


Sofia Serrano

1. As mães ficam felizes, porque é sexta-feira e o fim de semana está a chegar. Mas depois lembram-se que são mães, e que geralmente, fim de semana significa tudo menos descanso. Mesmo assim, têm esperança que vá ser um fim de semana memorável.

 

2. As mães acordam ainda mais cedo do que num dia da semana, porque os miúdos sabem que é sábado ou domingo e às 6h da manhã já andam a correr pela casa. E mesmo que sejam instruídos para "deixarem os pais dormir", essa regra parece não se aplicar à mãe, que é chamada multiplas vezes com "Mãaaeee, posso ir fazer xi-xi?" , "Mãaaeee temos fome, podes fazer panquecas?!", "Mãeeee a mana não me empresta o brinquedo!", até a mãe se levantar.

 

3. As mães passam o dia de rabo para o ar, a apanhar brinquedos espalhados por todo o lado, depois de repetir mil-e-uma-vezes aos filhos frases como "Por favor arrumem o quarto!", "Quando deixam de brincar com um jogo, arrumem-no primeiro e só depois vão buscar um outro!", "Brinquem no vosso quarto!" . Às tantas, infiltra-se na brincadeira, qual agente secreto, para discretamente ir deixando logo tudo arrumado, antes que a casa se trasnforme num cenário pós passagem de um furacão.

 

 

 

 

d8427823f9f16cd0310f811f80c36ec4.jpg

 

 

 

 

28
Set15

As palavras das mães


Sofia Serrano

Os momentos marcantes na vida dos nossos filhos são momentos marcantes na nossa vida também. Desde pequenos que os queremos proteger do mundo, e ajudá-los a crescerem saudáveis e a serem boas pessoas. A serem felizes.

Há momentos em que temos que confiar que lhes ensinamos as coisas certas e temos que os deixar abrir as asas. Aqueles primeiros dias de escola são um desses momentos importantes. Já partilhei aqui antes o que o meu coração me sussurrou a escrever para que os meus filhos possam ler e reler, e se lembrem sempre do que é verdadeiramente importante.

Hoje, partilho convosco um vídeo onde outras mães, de outros países, mas com muito em comum, dizem aos filhos nesta altura de regresso às aulas.

 

 

 

 

 

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.