Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

03
Jan14

Desafio Bloggers e Gravidez : Se o meu blogue falasse


Sofia Serrano

Para inaugurar a rubrica "Bloggers e Gravidez" em 2014, o Café, Canela & Chocolate desafiou a Susana - uma mulher do norte, mãe de dois miúdos, divertida, despachada e descomplicada, autora do Se o meu blogue falasse (podem gostar aqui deste blog fantástico, que cala quando quer e fala quando lhe apetece!).




1- Gravidez normal ou de risco? 
Normais, as duas. A primeira super pacifica e a segunda um bocadinho mais atribulada por causa de uma baixa de ferro que me deixava indisposta e sem forças.

2- Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?

A trabalhar, mas não até à última. Fiquei de baixa no último mês, porque as minhas barrigas eram gigantes e eu tinha que fazer muitos kilometros a conduzir e nessa fase passou a ser quase insuportável a posição da condução.

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.
 
Nunca apreciei muito salmão, mas na gravidez enjoei definitivamente. Não posso sequer pensar nele. 
Quanto a um mais apetecido não tinha e nunca fui muito de desejos especiais porque eu já sou assim no meu estado “normal”. Sou muito gulosa e na gravidez tive que fazer um esforço maior para me controlar.


4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?
Na primeira gravidez ainda fazia muitas caminhadas, mas aí era mais fácil porque não tinha nenhuma criança em casa. Na segunda já foi mais complicado por causa do mais velho. Correr atrás dele, subir e descer as escadas de casa conta? 

5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?

Que me lembre não. Nem na alimentação pois fui sempre imune à toxoplasmose.

6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?

É um lugar comum mas é certamente o principal: sentir os meus filhos a mexer dentro de mim. Na gravidez não houve nada de melhor e mais especial. Depois foi ver o desenvolvimento saudável deles a cada semana ou mês que passava. Perceber aquilo que estava a desenvolver-se em cada fase parecia magia a acontecer. Maravilhoso!

7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?
Há coisas incríveis! Eu sempre me imaginei a ter filhos e a pari-los. Mas desde miúda que tinha um medo pavoroso do parto e sossegava os medos a imaginar a possibilidade de cesarianas. Nós somos tão influenciadas pelo que vemos nos filmes e nas novelas e depois criamos ideias completamente erradas. Para o bem e para o mal. Felizmente à medida que fui crescendo e amadurecendo, fui desmistificando muitas ideias que tinha. Fui mudando a forma de pensar e comecei a perceber o parto não apenas como um acto de sofrimento pelo qual mãe e bebé tinham que passar. Um dia percebi realmente como funcionava a analgesia epidural e aí fez-se luz! Se a natureza permitisse os meus filhos nasceriam de parto normal e com epidural.
Duas gravidezes de 41 semanas com partos induzidos com data e hora marcada. Felizmente a Mãe Natureza não me deixou mal e o meu corpo reagiu bem e muito rápido às induções. No primeiro deu tempo para epidural às 14h e ele nasceu às 17h. Na segunda foi tão rápido que não deu tempo para nada. Quase nascia no elevador do hospital durante a transferência do internamento para o bloco. Uma aventura. Estive na posição fetal para levar a analgesia durante 25 minutos intermináveis e obviamente que com contrações terríveis e 7 ou 8 dedos de dilatação foi impossível. Lembro-me apenas de gritar à anestesista para me largar porque a bebé estava a nascer. Assim foi, posicionei-me, um puxo e já estava! Não deu tempo nem do pai assistir!

8- Era capaz de ter um parto em casa?
Adorava, mas não teria coragem!

9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?

Gravidez, pelo estado de graça e pelos mimos, mas puerpério por causa da liberdade e pela sensação de voltar a ter o meu corpo “de volta”. Nunca fui de ficar em casa fechada e ao fim de uma semana ou duas já andava sozinha no hipermercado, com a criança, às compras. 

10- Amamentou? Porquê?

No primeiro filho fui uma ingénua. Sabia a lição de cor e salteado. Mas depois na pratica não foi fácil lidar com um bebé completamente trapalhão e sempre esfomeado. O stress do primeiro filho, as várias opiniões que nos cercam, a minha insegurança fez com que só conseguisse dar de mamar 15 dias. Andei dois meses a tirar leite com a bomba e depois cansei-me e o leite deixou de fluir. Na segunda tudo foi diferente, mais natural, menos stressante e ela foi muito minha amiga. Não sofri com subidas de leite, nem mamas gretadas. Mamou até aos 4 meses até ao dia que quis. De um dia para o outro deixou de querer e quem sofreu fui eu. Fisicamente, porque tinha leite, mas principalmente psicologicamente. Não estava preparada para que ela me “abandonasse” daquela forma!!!



Obrigada Susana por teres aceite o Desafio, e tudo de bom para ti e para a tua família!
01
Jan14

Do ano que acaba #5: Desafio Bloggers e Gravidez


Sofia Serrano

Neste ano que acabou, começou no blog uma rubrica, que pretendia ser uma partilha de experiências e mostrar que todas as gravidezes são diferentes. Fui desafiando várias bloggers a responder a 10 perguntas acerca da sua gravidez, do parto e da altura do puerpério. As perguntas do desafio foram estas:

1- Gravidez normal ou de risco?  
2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.
4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?
5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?
6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?
7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?
8- Era capaz de ter um parto em casa?
9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?
10- Amamentou? Porquê?

Muitas bloggers participaram em 2013 e tornaram esta rubrica um verdadeiro sucesso no blog! Por isso, em 2014 vamos continuar - e já nesta semana vamos ter as respostas de mais uma blogger fantástica! Entretanto, deixo-vos todos os posts do Desafio Bloggers e Gravidez, para lerem (ou relerem) neste primeiro dia do ano. Bom 2014!

Quem aceitou o Desafio Bloggers e Gravidez em 2013:

Cacomae (podem ler aqui)
O Rei vai Nu (podem ler aqui)
Família de 3 e 1/2 (podem ler aqui)
Mum´s The Boss (podem ler aqui)
Entre Biberons e Batons (podem ler aqui)
As Maravilhas da Maternidade (podem ler aqui)
A vida a 4D (podem ler aqui)
Saídos da Concha (podem ler aqui)
Maria Café (podem ler aqui)
By Deva (podem ler aqui)
Jo White Candy (podem ler aqui)
By me (and her)(podem ler aqui)
Estilo Hedónico (podem ler aqui)
A Nuvem de Sofia (podem ler aqui)
Barriga Mendinha (podem ler aqui)
I feel green (podem ler aqui)
Filipa Cortez Faria Kids & Design (podem ler aqui)
Doce Laura (podem ler aqui)
Pipian Atelier (podem ler aqui)
My Baby Blue Blog (podem ler aqui)
Definitivamente são dois! (podem ler aqui)
Maisena (podem ler aqui)
Ansiedades (podem ler aqui)
O Mustang do Enzo (podem ler aqui)



21
Dez13

Desafio Bloggers e Gravidez: O Mustang do Enzo


Sofia Serrano

A blogger desta semana que aceitou o Desafio para responder a 10 perguntas sobre gravidez, parto e puerpério foi a Tânia, que escreve no blog O Mustang do Enzo. 
Ela é mãe apaixonada de um príncipe que a inspira diariamente nas mais pequenas coisas, e descreve-se como optimista por natureza, racional e lutadora. Aprecia a tranquilidade e os momentos de felicidade, simples e pura, e valoriza a gratidão pela vida e a capacidade de dar a volta por cima. Também a podem encontrar no portal sobre maternidade Mãe Querida.



1- Gravidez normal ou de risco?
A minha gravidez foi normal até às 11 semanas e de risco a partir daí. Fiquei com hipertensão gestacional muito cedo e devido ao risco de pré-eclampsia tive de ter muitos cuidados.

2- Gravidez passada a trabalhar ou de repouso? 
Mais de metade a trabalhar (até às 26 semanas) e depois em repouso forçado até ao final. Tinha o grande desejo de trabalhar até 15 dias antes do parto, mas cedo percebi que nunca seria possível. Hoje vejo que, desde que fiquei em repouso, a gravidez foi totalmente diferente: mais tranquila, mais apaixonada, vivida com menos medos e mais alegria.

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.
Deixei de conseguir comer toda e qualquer iguaria do McDonald’s (o que não foi mau de todo) e a grande novidade foi um desejo incontrolável por morangos, de que nunca gostei e passei a gostar.

4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?
Não fiz grande coisa para além de caminhadas e mesmo essas foram restringidas por indicação médica. Depois no final fiz aqueles exercícios básicos da preparação para o parto. 

5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?
Sim. Passei a ter muito mais cuidado com alimentação e com toda e qualquer actividade que fizesse subir a tensão arterial. Fazia as coisas habituais mas mais devagar. Passei a meditar e a abusar das técnicas de relaxamento. 

6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?
Sentir o bebé mexer, sem dúvida. E adorava ver-me de barriga grávida, passeava a minha barriga com muito orgulho!

7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?
O parto foi uma cesariana marcada por indicação do obstetra, e creio que teria sido, mesmo que não fosse marcada, porque o Enzo estava em posição transversa. Se pudesse escolher, teria escolhido cesariana, tendo em conta as especificidades da minha gravidez, não me sentiria de todo segura com todo o envolvimento de um parto normal. Mas se voltar a ter filhos gostava muito de ter um parto normal.

8- Era capaz de ter um parto em casa?
Não.

9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?
A gravidez para mim foi melhor. Mas o meu puerpério também foi espectacular! Recuperei muito rápido e muito bem. Adorei ambos.

10- Amamentou? Porquê?
Sim, amamentei. Antes de engravidar nunca tinha pensado se um dia que tivesse filhos quereria ou não amamentar, mas quando comecei a entrar no tema logo percebi que não amamentar para mim não era opção. Amamentei porque achei que o leite materno ofereceria maior proteção ao meu bebé e porque adorava dar de mamar, a nível emocional foi muito gratificante também.


Obrigada Tânia, por teres aceite o desafio e um feliz natal para ti e para a tua família!



13
Dez13

Desafio Bloggers e Gravidez: Ansiedades


Sofia Serrano

É conhecida por Niki na blogosfera e é mãe de duas meninas.
Ansiosa por natureza, bem-disposta e desenrascada por opção. Adora inundar a vida das filhas com momentos especiais, marcar ocasiões, por mais banais que possam parecer. Escreve no blog Ansiedades e também escreve no portal do momento sobre Maternidade, o Mãe Querida. E aceitou o desafio de responder a 10 perguntas sobre Gravidez, Parto e Puerpério.
 


 
1- Gravidez normal ou de risco?  
Foram ambas normais até por volta das 26 semanas em que comecei com contracções e tive de passar ao repouso.

2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?
A trabalhar até às 26 semanas.

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.
Nunca deixei de conseguir comer nada, fui mais de enjoar cheiros e até músicas! Na última gravidez tinha muita vontade de comer limão e uma colega levava-me sacos que apanhava do seu limoeiro e que eu devorava enquanto trabalhava!

4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?
Não, sou muito preguiçosa no que toca a exercício!

5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?
Nem por isso, mas talvez possa referir o hábito que criei de andar sempre com sacos de plástico na carteira, porque em ambas vomitei do princípio ao fim da gravidez.

6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?
Cada vez que senti as minhas filhas mexerem. De resto foi tudo muito mau. Sim, pertenço ao grupo minoritário de mulheres para quem a gravidez é apenas o meio necessário para atingir o fim.

7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?
Ambos os partos foram induzidos mas bem rápidos a partir do momento que levei a epidural, que em mim tem o efeito acelerador.
Sempre disse que se pudesse escolheria cesariana, não pelo medo do parto, mas sim pelo medo do que as esperas e demoras do nascimento podiam fazer ao bebé.

Acho que estes receios eram provocados pelas histórias que vamos ouvindo por aí de acidentes que acontecem porque o parto foi demorado.
Hoje sei que mesmo tendo opção de escolha, voltaria a ter um parto normal que para mim custa menos que uma dor de dentes (digo eu aqui em desespero com o meu siso a nascer)

 

8- Era capaz de ter um parto em casa?
Não, jamais!

9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?
Puerpério, sem sombra de dúvida! Eu sofro imenso na gravidez, vomito quase diariamente e praticamente até ao fim, não há nausefe que me valha!

10- Amamentou? Porquê?
Amamentei as duas exclusivamente até aos 4 meses, depois quando regressei ao trabalho continuei a amamentar de manhã e à noite, mas rapidamente o leite foi desaparecendo.

A minha opinião sempre foi bem tranquila em relação ao tema. Eu queria amamentar, por todos os benefícios que são do conhecimento geral e por acreditar que era o melhor para nós, mas também estava preparada para o caso de não o poder fazer e não via o leite artificial como um bicho-de-sete-cabeças.

Obrigada Niki!

06
Dez13

Desafio Bloggers e Gravidez: Maisena


Sofia Serrano

A Francisca é uma mãe galinha de dois rapazes saídos da casca, uma nortenha de sangue e coração apaixonada pelos filhos e por tudo o que gira à volta deles. Para além da sua vida profissional, escreve no blog Maisena e recentemente lançou o Mum&Kids Brands, que se tornou rapidamente num sucesso.
E este sábado vai estar na Vendinha das Mães no Porto - a não perder para quem está a norte!
 



1- Gravidez normal ou de risco?
Duas gravidezes perfeitamente normais e saudáveis, que já deixam uma imensa saudade das barrigonas e do estado de graça!

2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?
Sempre a trabalhar, praticamente até ao último dia, o que nem é mau de todo porque assim quase que nem tinha tempo para pensar no medo do parto e em tudo o que gira à volta do mesmo.

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.
Durante as gravidezes não conseguia parar de comer tangerinas...toneladas de tangerinas! Mas depois os alimentos saudáveis que sempre comi, como por exemplo os bróculos, espargos, beringelas, etc, nas gravidezes enjoavam-me até mais não (mas agora já retomei...)!

4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?
Na gravidez do S. fiz Pilates (recomendo vivamente!) até uma semana antes do parto. Na gravidez do M. a minha ginástica foi andar (ou melhor, correr) atrás de um bebé irrequieto e pegar nele ao colo 1000 vezes por dia!


5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?
Sempre aprendi que gravidez não é doença, e por isso sempre fiz a minha vida normal, com as limitações óbvias de uma grávida e cuidados redobrados com a alimentação e o stress.

6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?
O que mais gostei foi, sem dúvida, aquela maravilhosa sensação de borboletas na barriga. Sentir um bebé a mexer dentro de nós é qualquer coisa de tão mágico que não se consegue explicar por palavras.

7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?
Sempre quis ter partos normais (com epidural, mas normais). Na gravidez do S. estava convencidíssima que ia ser um parto normal, só porque sim. Pois bem, depois de 12 horas em trabalho de parto, o bebé começou a entrar em sofrimento e tive de ir logo para o bloco para uma cesariana de urgência...Do M., nem tive hipótese, porque como eles fazem menos de 2 anos de diferença, o médico não me deixou escolher e por isso foi cesariana com data/hora marcada. Mas ainda não perdi a esperança de vir a ter um parto normal.
A lição que retirei daqui foi: nunca se pode querer muito uma coisa, senão sai sempre ao contrário!

 
8- Era capaz de ter um parto em casa?
Antes de ser Mãe, acreditava que os partos seriam como nos filmes.... e até pensei em ter um parto dentro de água, mesmo ao estilo romântico! Mas o parto de romântico não tem nada, e por isso hoje em dia penso que seria incapaz de ter um bebé em casa, porque um parto é sempre um parto, como todos os riscos que acarreta. Aliás, se tivesse tido o M. em casa, não sei como teria corrido, pois o baby nasceu com líquido nos pulmões e foi logo internado à nascença. Por isso, em casa, nunca, só mesmo se nascesse de repente e sem ter tempo para mais nada! Obrigada, modernidade, por teres criado as maternidades .

9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?
Durante as gravidezes estive sempre desejosa de ver a cara do bebé, de o sentir, de o encher de beijinhos. Mas confesso que, muitas vezes, durante a noite, já desejei que os boys voltassem bem quentinhos para dentro da minha barriga, porque assim ao menos dormia melhor. De qualquer forma, a sensação de babyland que temos quando trazemos um recém-nascido para casa, compensa qualquer noite mal dormida. O mundo pode acabar lá fora, porque nós estamos sempre na nossa redoma!

10- Amamentou? Porquê?
O meu maior pânico na primeira gravidez não era propriamente o parto, mas sim o pensar que ia dar de mamar. Nunca me habituei à ideia, e achei que não ia conseguir... Redondamente enganada! Quando o S. nasceu, a Mãe Natureza tomou conta da situação. A primeira semana foi um sofrimento atroz, confesso, e estive quase a desistir. Mas tive a sorte de ter sido acompanhada por uma enfermeira parteira exemplar, que me ajudou nas horas mais difíceis. A partir daí foi sempre uma maravilha, até aos 6 meses (quando o S. não quis mais). Com o M., já tinha a escola toda, por isso foram 6 meses de amamentação sem complicação! Adorei esta experiência! Mas atenção, como tudo na vida, é suposto a amamentação ser uma coisa boa. Com algum sacrifício inicial, mas nada de sobre-humano! Só não podemos levar a amamentação a um extremo tal que nos sintamos culpadas caso não tal não seja possível! Porque tudo se cria!


Obrigada, Francisca, por teres aceite este Desafio, e muitas felicidades para a tua família maravilhosa!
29
Nov13

Desafio Bloggers e Gravidez: Definitivamente são dois!


Sofia Serrano

A Sara é a convidada do Desafio Bloggers e Gravidez desta semana. 
Uma super-mãe de gémeos, que nos conta as suas peripécias no blog Definitivamente são dois! 
Ela partilha connosco a sua experiência relativamente a gravidez, parto e puerpério - em particular as suas aventuras no momento do parto, que com dois tudo é mais emocionante!



1- Gravidez normal ou de risco?
De risco

2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?
A trabalhar até às 20 semanas, em repouso a partir daí.

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.
Não tive nem um nem outro! Sou uma pessoa de desejos, e sempre fui, por isso a gravidez não alterou nada. Os desejos que tive foram os que costumo ter, como uma grande vontade de devorar um chocolate inteiro, ou  uma caixa de Haggen Dazs :)
Deixar de conseguir comer, aconteceu pontualmente, no inicio da gravidez, associado aos cheiros dos cozinhados... por vezes enjoava com o cheiro de determinada comida e já não a conseguia comer. Mas era pontual.

4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?
Nenhum. Não tive autorização médica para isso.

5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?
Muito pouco... deixei praticamente de beber café e deixei de fazer exercício fisico.

6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?
Toda a gravidez! Adorei estar grávida, adorei a barriga a crescer, os bebés a mexerem... pouco depois do parto comecei logo a sentir saudades da minha barriga :)

7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?
Como o Daniel rebentou as águas (com 33 semanas de gestação), o parto foi inevitável. O nascimento deu-se por parto eutócito às 23h01m de dia 18 de Junho de 2012. A Carolina, estava posicionada bastante acima e com o saco gestacional intacto. A equipa tentou que ela nascesse pela mesma via do irmão, mas as manobras não resultaram, e passadas quase 2 horas, colocaram à minha consideração a decisão de fazer cesariana. Exausta de tantas horas em trabalho de parto, e ansiosa por ter os meus dois filhos juntos, aceitei. Nesta decisão, pesou muito o facto de ter o Daniel na incubadora à espera da irmã, para poder dar entrada na neonatologia. Às 1h01m de dia 19, nasceu a Carolina por cesariana. Se pudesse escolher, tinha tido os dois por parto eutócito, mas face às circunstâncias, acabou por ser assim.



 O Daniel (à esquerda) e a Carolina (à direita).


8- Era capaz de ter um parto em casa?
Se não fossem gémeos, talvez. Mas na minha situação não arriscaria.

9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?
Se falarmos de puerpério imediato, prefiro a gravidez. Os primeiros dias após o parto foram terríveis para mim. Uma anemia fortíssima, agravada pelas perdas de sangue do intervalo de tempo entre os dois nascimentos, "prenderam-me" a uma cama, a receber transfusões de sangue quase em contínuo. Os meus filhos estavam internados na neonatologia, 2 pisos abaixo do meu quarto, e só os consegui ver praticamente 48h depois de nascerem. Permaneceram, internados durante 2 semanas, a tentar ganhar peso para poderem levar vacinas, e a aprender a mamar, pois nem esses reflexos estavam ainda desenvolvidos. Por isso, não guardo boas recordações desta fase do puerpério. Se falarmos da fase após a alta médica deles, com 15 dias de vida, já foi mais tranquila, mais satisfatória.

10- Amamentou? Porquê?
Ainda amamento! Os meus filhos têm 17 meses, e mamam sempre pelo menos 1 vez por dia, ao acordar. Considero a amamentação muito importante, em particular até aos 4/6 meses. Sempre quis amamentar, e com bebés prematuros, o leite materno é ainda mais importante no seu desenvolvimento. Não sou, porém, uma daquelas mães que acha que se deve amamentar a todo o custo. Amamentar sim, se for benéfico para a criança e para a mãe. Há limites, e devem ser definidos por cada pessoa. No meu caso, irei amamentar enquanto sentir que faz sentido para mim, e para eles.




Obrigada, Sara, por partilhares connosco estes momentos únicos!
Muitas felicidades para toda a família!
Acompanhem a Sara aqui.




24
Nov13

Desafio Bloggers e Gravidez: My Baby Blue Blog


Sofia Serrano

A Marta é mãe orgulhosa de dois meninos, e vive num mundo azul. Escreve no My Baby Blue Blog e podem também ler as crónicas dela no SAPO Crescer. Ela aceitou participar neste desafio, respondendo às 10 perguntas sobre parto, puerpério e gravidez.


1- Gravidez normal ou de risco?
Duas gravidezes normais, mas com cuidados a partir das 32 semanas.

2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso? 

A trabalhar até as 32 semanas e na segunda gravidez a trabalhar a partir de casa desde das 30 semanas.

3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido. 
Na primeira gravidez enjoei ( e até hoje não consigo comer) bife de peru ou de frango. Na segunda gravidez não enjoei nada. Os alimentos mais apetecidos regra geral eram quase sempre doces e chocolates. Na primeira gravidez passei por uma fase de tangerinas e sumo de laranja. Depois evolui para saladas, mas claro sempre acompanhado de chocolates. Na segunda gravidez passei por uma fase de brigadeiros e tudo o que fosse derivado de brigadeiros.

4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo? 
Nenhum, mas deveria ter feito……

5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia? 
Não, fazia tudo igual, mas mais lento e mais devagar. Como tinha muito sono aproveitava para descansar à hora de almoço e sempre que podia.

6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez? 
Sentir o bebé a mexer.

7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido? 
Foram duas cesarianas. Na primeira gravidez admito que fiz mais “força” para ser cesariana, e depois como o bebé era grande e gordinho o obstetra aconselhou cesariana ( como eu queria). Mas confesso que arrependi-me. A minha recuperação em casa foi pior que péssima, e pensava muitas vezes que teria sido melhor parto normal. Já na segunda gravidez, como estava cheia de medo da recuperação insisti muito com o obstetra para ser parto normal. Mas ele não recomendava, pois o bebé era ainda maior e mais gordo, e teria muita dificuldade.

8- Era capaz de ter um parto em casa? 
Não, nunca.

9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor? 
Na primeira gravidez o melhor foi sem dúvida a gravidez em si. Já na segunda, foi completamente o oposto.

10- Amamentou? Porquê? 
Tentei com o meu primeiro filho, mas não correu bem. Ele estava sempre a chorar ( com fome), tinha pouco leite, depois tivemos que começar a pesa-lo antes e depois de cada mamada (para ver se mamava alguma coisa) e foi um verdadeiro filme e trauma. Ele sempre a chorar, e eu também. Quando começou a intercalar um biberão com as mamadas melhorou, mas comecei a ficar logo sem o pouco leite que tinha. Com o meu segundo filho não amamentei.

Obrigada, Marta por teres aceite este desafio!

29
Abr13

Desafio Leitoras e Gravidez II


Sofia Serrano

Porque o Desafio Gravidez lançado pelo Café, Canela & Chocolate foi também para as leitoras do blog, cá ficam mais partilhas sobre gravidez, parto e puerpério!

Responderam às perguntas:
- a Juca Madureira, é da Maia e tem um filho
- a Ana Henriques, é de Aveiro e tem um filho
- a Mariline Ramos, é de Faro e tem um filho
- a Carla Mesquita, tem três filhos (um filho e as gémeas) e escreve no blog Momentos e tem o Baú de Presentes
- a Filipa Pedro, tem uma filha, e escreve no blog Os bolos da Pipa
- a Ana Valgode, tem dois filhos e escreve no blog anocaslarocas



1- Gravidez normal ou de risco?

Juca Madureira - Tive uma gravidez com tudo para ser normal, às 28 semanas fui abruptamente acordada para uma gravidez de risco - RCIU (restrição de crescimento intra uterina) e teve de sair mais cedo ao fim de semanas, decidiu-se não arriscar mais.
Ana HenriquesGravidez normal depois de três tentativas falhadas 
Mariline Ramos -De "risco" porque foi concebido via FIV.
Carla Mesquita, Momentos  -A primeira normal, a segunda de risco por ser uma gravidez gemelar monocoriónica.
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa - De risco numa fase inicial, até às 12 semanas (pós-ICSI).
Ana Valgode, anocaslarocas - As duas normais, se bem que na segunda estive alguns dias de repouso por causa de contracções muito precoces..


2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?


Juca Madureira - Tive a oportunidade de experimentar as duas vertentes, trabalhei em projectos, mas no final da gravidez estive de repouso.
Ana HenriquesGravidez de 41 semanas, 40 das quais a trabalhar
Mariline Ramos -A trabalhar, até dois dias antes ( depois foi fim-de-semana!)
Carla Mesquita, Momentos  - Ambas a trabalhar, mesmo das gémeas, só fiquei em repouso (de baixa médica) duas semanas antes delas nascerem!
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa - De repouso absoluto até às 12 semanas. Depois regressei ao trabalho até às 38 semanas, altura em que resolvi parar para me preparar para o parto.
Ana Valgode, anocaslarocas - A trabalhar muiiito na primeira e até à véspera, na segunda, estava em casa com a minha filha mais velha, com 2 anos na altura, mas fiz tudo até à última também!


 
 3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.


Juca Madureira -'Blarrrq: salmão; 'Nham 'nham: feijão!
Ana HenriquesNão deixei de comer nada e o mais apetecido talvez tenha sido mesmo o chocolate Milka Daim
Mariline RamosNão houve nenhum alimento que tivesse enjoado. E os apetecíveis foram o chocolate... Era uma tablette por dia ( até tenho vergonha...)
Carla Mesquita, Momentos  - Não deixei de comer nada, que me lembre. Mas depois da gravidez das gémeas passei a gostar muito de melão e pepino, que antes odiava!!!
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa - Não me lembro de nenhum em específico que tenha de deixado de comer, embora tenha deixado de comer muita coisa devido aos enjôos fortes que tive toda a gravidez. O mais apetecido e que me consolava era gelado.
Ana Valgode, anocaslarocas - Deixei de tomar café porque me enjoava, especialmente no 1º trimestre e tudo o que era mais salgado e mais apurado sabia-me divinalmente...



4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?


Juca MadureiraCaminhadas/passeios; exercício de preparação para o parto no Centro de Saúde.
Ana Henriques -Yoga e continuei a andar a pé.
Mariline RamosNão fiz nenhum exercício na gravidez. Tinha iniciado o ginásio na altura em que engravidei e não me senti bem uma vez e desisti. Quase nem andava, o meu trabalho é a menos de 5 minutos a pé.... Era inverno no final da gravidez e não tinha muita vontade de estar ao frio...
Carla Mesquita, Momentos  -Não fiz.
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa -Yoga.
Ana Valgode, anocaslarocas - Nada, só andar e na segunda gravidez brincar com a Carolina.



5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?


Juca MadureiraNenhuns. Ou melhor, a casa de banho passou a ser a minha melhor amiga, tinha de haver sempre uma por perto.
Ana Henriques -Sim, fez com que deixasse de fumar, com que tivesse mais cuidado com a alimentação
Mariline RamosSim... Deitar muito mais cedo, deixar de fumar....
Carla Mesquita, Momentos  - Claro, completamente!!! Então com o nascimento das gémeas, a minha vida tornou-se um verdadeiro circo! 
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa - Sim, reduzi muito os horários de trabalho, passei a chegar a casa mais cedo e deixei de trabalhar ao fim-de-semana. O resto da rotina manteve-se.
Ana Valgode, anocaslarocas - Não, nada, só tinha bastante mais sono.



6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?


Juca MadureiraA evolução da barriga. Registei semanalmente e amei ver como cresce(mos)!
Ana HenriquesDiria tudo, mas em especial o facto de não saber se era rapaz ou rapariga.
Mariline RamosDa barriga e de sentir o bebe a mexer!
Carla Mesquita, Momentos  - Gostei muito da gravidez, mas para responder a esta questão, a primeira coisa que me ocorre é: as ecografias! Ver as meninas, sentir o seu coração é um momento inesquecível!
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa - De ter barriga e de sentir a minha bebé.
Ana Valgode, anocaslarocas - Ver a barriga a crescer e sentir as bébés.


7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?


Juca MadureiraEstava focada e convencida que teria um parto normal, era o que tinha escolhido. Mas o útero deixou de dilatar e passou a contrair, criando edema. Estava exausta e fui à faca. 17h depois de entrar em trabalho de parto, o meu filho nascia de cesariana.
Ana Henriques Foi cesariana e não foi nada como idealizado. Queria um parto 100% natural e acabou por ser cesariana.
Mariline RamosParto normal, com epidural. Graças a deus a epidural! Se não a tivesse teria optado por cesariana... Qualquer coisa que me tirasse as dores das contracções!
Carla Mesquita, Momentos  - Ambos os partos foram cesarianas. Na primeira gravidez, porque tinha a bacia estreita e o bebé não passava. Na segunda gravidez, porque tive uma pré-eclâmpsia. Se pudesse, escolheria parto normal, sem dúvida!
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa - Foi parto normal mas complicado. Se pudesse escolher agora tinha escolhido cesariana.
Ana Valgode, anocaslarocas - Ambos parto normal, mas o da Carolina com epidural e o segundo, da Luísa normal, natural, sem nada!



8- Era capaz de ter um parto em casa?


Juca MadureiraNão me parece. A 'cagufa' assiste-me e muito. E sabendo que o parto pode complicar, imprevisivelmente, não arriscaria. Penso muitas vezes nas heroínas que deram à luz há séculos e décadas atrás, sem anestesias, nem cuidados básicos. Upa upa, não é qualquer uma.
Ana HenriquesClaro que sim.
Mariline RamosSim, sempre foi uma ideia, mas não deve ser fácil... Tens os seus pros e contras... Sem anestesia não o faria! ( mas só sei isso agora!)
Carla Mesquita, Momentos  - Nunca pensei nessa possibilidade a sério, por isso não sei responder...
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa - Jamais.
Ana Valgode, anocaslarocas - Na segunda gravidez e porque o parto foi em Inglaterra colocaram-me a questão, mas acho que, apesar de ter tido partos maravilhosos e sem médicos, me sinto mais confortável e segura num hospital.


9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?


Juca MadureiraA gravidez mentaliza-nos e faz-nos desejar o puérperio. Logo, o puerpério é um estado a que desejamos chegar durante 9 meses (sem saber o que nos espera). Definitivamente gozamos mais a gravidez de forma consciente; por sua vez, o puerpério, passamos em piloto automático à mercê dos horários desestruturados do nosso puérperio, completamente ensonadas, e a única lufada de ar fresco é o sorriso de um filho! Não saberia o que escolher.
Ana HenriquesCada fase tem os seus encantos.
Mariline RamosSem querer ser egoísta, gostei mais da gravidez. O puerpério foi um sofrimento... Cansada, sem me poder sentar, com pontos infectados, com um bebe que não sabia mamar....
Carla Mesquita, Momentos  - São ambas fases da vida de uma mulher muito intensas. Mas melhor é o puerpério, porque já temos connosco os bebés, por muito doloroso que isso possa ser para nós, mães e mulheres!
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa -Ambos. São acontecimentos diferentes igualmente com coisas boas e outras menos boas.
Ana Valgode, anocaslarocas - O puerpério, sem dúvida! A partir do parto tudo é melhor para mim, até porque não sou grande fã dos últimos meses de gravidez. É tão bom termos os nossos bébés no colinho! Adoro, adoro, adoro!



10- Amamentou? Porquê?


Juca MadureiraSim, durante 8 meses, até que meu filho começou a recusar o peito. Perdi leite naturalmente e no espaço de uma semana (coincidência ou não, quando se assinalava a semana da amamentação!). Tive o privilégio de ter leite e poder amamentar. Acho que são as primeiras defesas do bebé e a herança imunitária que a mãe lhe transmite. Sou pró-aleitação por todas as vantagens e mais algumas, e tenho lido vantagens em prolongar até aos 12 meses de vida, se possível. Quando deixei de amamentar, percebi que as vantagens mais óbvias eram: o leite está sempre pronto, à temperatura ideal e não tem validade, é imediato e super económico. Tem os seus desconfortos (por exemplo, verter muito leite e ter sempre de usar absorventes que teimavam em sair do sítio), mas para mim, as vantagens superaram.
Ana Henriques -Amamentei até aos 9 meses, porque só vejo vantagens na amamentação. Do factor económico, ecológico, prático.
Mariline RamosAmamento! Porque acho que cria um elo enorme entre Mae e filho e além disso é o mais saudável para o bebe! Espero conseguir amamentar em exclusivo até aos 6 meses... Ja tenho uns litros de leite no congelador!
Carla Mesquita, Momentos  - Amamentei os meus três filhos, porque me parece natural! Amamentei as gémeas em exclusivo, até aos 2 anos, porque decidi parar por ocasião de um antibiótico qualquer que tive de tomar (mas poderia ter continuado, só que achei que seria a altura ideal para tomar essa decisão!).
Filipa Pedro, Os bolos da Pipa -Sim. Porque era o melhor para a minha filha nos mais variados aspectos.
Ana Valgode, anocaslarocas -Sim, das duas até aos 6 meses, porque acho muito bom para o bébé e felizmente sempre tive leite e nunca tive dificuldades a amamentar. Se podia, porque não? Foi o que pensei...


Obrigado por terem aceite o desafio!

Podem ler aqui o Desafio Leitoras e Gravidez I.

Os outros Desafios:

Para seguir o Café, Canela & Chocolate no Facebook é aqui.


25
Abr13

Desafio Bloggers e Gravidez VII


Sofia Serrano

Em dia de revolução, e porque a gravidez, parto e puerpério também são mudanças importantes na nossa vida, cá fica mais um Desafio!
Mais três mães bloggers que aceitaram o Desafio do Café, Canela & Chocolate : a Filipa, do blog Filipa Cortez Faria Kids & Design, a Susana do blog Doce Laura e a Patrícia, pipian atelier





1- Gravidez normal ou de risco?

Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Na gravidez do S. tive um susto logo no início e mais tarde tive de ir para casa às 32 semanas devido a contracções repetidas que começaram antes das 20 semanas. A da C. foi normal, se bem que nasceu com baixo peso.
 Susana, Doce Laura - A 1ª completamente normal,mas a 2ª, 8 anos depois foi uma gravidez de risco desde as 14 semanas. A 3ª esta a ser um espectáculo mesmo ... sem qualquer complicação.
Patrícia, pipian atelierNormal.


2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?

Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - A do S. a trabalhar até às 32 semanas e a da C. até às 37. Na gravidez da C. estiquei muito a corda e o resultado foi nascer com baixo peso. Trabalhei imenso, mais do que deveria, hoje em dia sei que foi um disparate querer provar aos outros que conseguia.
 Susana, Doce Laura - Na primeira trabalhava num banco, mas o meu contrato foi rescindido e portanto aos 6 meses estava em casa,. Na 2ª trabalhava e continuei até ter de ficar em casa devido a um descolamento de placenta. Agora nesta 3ª, já não estava a trabalhar devido ao problema cardíaco da minha 2ª filha, que me obrigou a ficar em casa a acompanha-la.
Patrícia, pipian atelier - A trabalhar até às 38semana. Nessa altura já sentia cansaço principalmente porque ainda tinha de conduzir uma boa distância até ao trabalho, e por indicação
médica não trabalhei mais até ao parto. A M. acabou por nascer 1
semana depois.


3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.



Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Deixei o queijo fresco por ser um alimento "perigoso" para as grávidas, depois comprei um da Matinal ultrapasteurizado e estava estragado. Não voltei a tocar em ambas as gestações. Tive náuseas até as 12 semanas do S. e até às 16 semanas da C. Andava sempre enjoada, de manhã à noite, esta foi a parte pior! Do S. adorava beber sumo de laranja natural e pão de sementes crocante com fiambre e manteiga :) e da C. bolachas com recheio de chocolate (muito mau!!). Em ambas adorava comer (muito de vez em quando porque a consciência pesa) fatias douradas, ou seja, pão alentejano coberto com ovo mexido e frito... em óleo Becel, que faz toda a diferença!
 Susana, Doce Laura - Manga!! Nao consigo! So olhar me incomoda!!!!! No inicio da 2ª gravidez, so me apeteci comer gelatina!!! E fruta.... apetece-me comer todo o tipo de fruta...
Patrícia, pipian atelier - Não tive nenhum que deixasse de comer, tirando um maior cuidado com marisco e saladas fora, mas apenas por precaução. Por vezes tinha uma vontade imensa de fast food ;) e gelado.



4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?


Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Nenhum porque não praticava com regularidade e por isso mesmo não fui aconselhada a iniciar.
Susana, Doce Laura - Só mesmo caminhada.
Patrícia, pipian atelier - Caminhadas, sempre que o tempo deixava.


5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?


Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Sim, passei a pôr creme todos os dias por causa do pânico de ter estrias, comecei a comer fruta ao pequeno-almoço, bebia 3L de água por dia, deixei de ir à praia nas horas de mais calor e no geral foi isso. Ah, e sono, muito sono, por isso adormecia cedíssimo!
Susana, Doce LauraSó mesmo a 2ª. Obrigou-me a estar em casa mais tempo do que aquele que queria.... estive de repouso alguns meses e portanto, não aproveitei metade do que teria aproveitado noutras circunstancias.
Patrícia, pipian atelier - Apenas algum cuidado maior com a alimentação e descansar mais, pois principalmente no início sentia muita sonolência.


6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?


Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Sentir que tinha vida dentro de mim, os pontapés.
Susana, Doce LauraConfesso que não sou uma mulher muito saudosista da gravidez. Adoro sentir o bebe, os movimentos, mas por outro lado quando já se tem filhos, uma gravidez tolda-nos os movimentos e torna-nos mais "lentas"; assim sendo, acho que só vivi de facto intensamente a minha 1ª. Na 1ª, era só eu e ela... só eu e o meu bebé .... nada mais importava. A partir daí já havia mais em que pensar O focus não era a minha barriga, mas a minha filha que já existia, e nesta 3ª então confesso que tinha de verificar varias vezes as consultas e exames porque até me esquecia.
Patrícia, pipian atelier - A barriga a crescer e sentir a M. a mexer. Sem dúvida uma sensação única e inigualável.


7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?


Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Ambos cesariana. Inicialmente não queria cesariana do S., fiquei com "medo" porque sabia que se trata de uma cirurgia com alguns riscos. Hoje em dia, não me faz confusão nenhuma! A C. foi novamente cesariana porque fiz os dois partos com menos de 24 meses de intervalo e adorei. Em ambas tive uma recuperação super rápida, quando fui para casa mexia-me lindamente e podia fazer "tudo".
Susana, Doce LauraAmbos os partos foram normais, mas induzidos. Se pudesse ter escolhido, teriam ambos começado de forma natural, sem indução, mas ainda assim, estou bastante contente com eles. Correu tudo muito bem, fui tratada de uma forma fenomenal, e as meninas nasceram, bem, que no fundo é a maior preocupação da mãe. Neste 3º não sei ainda como poderá ser, mas tenho indução marcada para a semana.... esperemos que ele queira sair pelo "pé dele". 
Patrícia, pipian atelier - Cesariana, pois a pequenota não conseguiu encaixar. Mas tentou :)) Se pudesse escolher o tipo de parto,escolhia normal.


8- Era capaz de ter um parto em casa?


Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Nunca na vida, a não ser que fosse obrigada pelas circunstâncias. Não acho minimamente seguro, acho que não faz sentido. Caso surja uma complicação não há quase nada a fazer.
Susana, Doce Laura -Programado e pensado para ter em casa, não. Se acontecesse, enfim, tudo faria para que fosse o melhor possível, mas não me vejo a ter um parto em casa, com ou sem acompanhamento. Sinto-me bem em ambiente hospitalar, é onde me sinto mais segura, e tenho sempre afirmado que apesar de ambas as minhas filhas terem nascido no hospital, foram sem duvida nenhuma partos muito humanizados, onde ate direito a carinhos tive.
Patrícia, pipian atelier - Se tivesse de ser sim, mas nunca
uma opção própria.


9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?


Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Boa pergunta, gostei de ambos, mas talvez o puerpério por já ter os meus filhos nos braços. 
Susana, Doce Laura -Ambas as fases tem as suas coisas boas e más .... mas no puerpério já temos o nosso bebé, logo o encanto é maior. Ainda assim, e como uma não existe sem a outra, há que tirar o melhor proveito das duas.
Patrícia, pipian atelier -  Ambas, com sensações diferentes. Adorei estar grávida, mas depois temos a nossa estrelinha que é o nosso orgulho. Felizmente tive uma boa recuperação pós parto,
o que também me permitiu aproveitar desde logo todos os momentos, e dar os cuidados necessários.


10- Amamentou? Porquê?


Filipa, Filipa Cortez Faria Kids & Design - Sim, até aos 6 e 4 meses respetivamente. Porque é fisiológico e porque faz bem ao bebé. Já todos sabem dos benefícios por isso, apesar de haver alguns momentos que não gostei, o saldo foi positivo.
Susana, Doce Laura -Sim. Na 1ª gravidez e por ignorância amamentei apenas ate aos 4 meses sensivelmente .... na 2ª infelizmente amamentei apenas no 1ª mês, pois devido à cardiopatia congénita com que a Laura nasceu, ela não tinha força para mamar. Ainda assim, consegui fazer um armazenamento bastante grande de leite que ainda deu ate aos 5 meses mais ou menos.... Deste 3ª tenciono amamentar bastante mais tempo, assim ele mo permita.
Patrícia, pipian atelier - Sim. Porque para além de sempre ter sentido esse desejo, é o melhor para o bebé e sem dúvida adorei! Apesar das dificuldades que por vezes possam surgir, e no inicio são muitas. Mas um conselho, confiar sempre em nós como mães, escutar, mas saber filtrar as inúmeras opiniões que chegam até nós. Tive bastante apoio do meu marido e da maternidade, que quando tinha alguma duvida ligava e lá estavam as queridas enfermeiras prontas a ajudar.



Obrigado por terem aceite o desafio!

Para seguir o Café, Canela & Chocolate no Facebook é aqui.

19
Abr13

Desafio Leitoras e Gravidez I


Sofia Serrano

O Café, Canela & Chocolate tem lançado um Desafio sobre gravidez, parto e puerpério - porque esta é uma fase importante na vida da mulher, do casal, da família. Porque partilhar experiências ajuda.
E desta vez, foram as leitoras do Café, Canela & Chocolate que responderam ao desafio. 

Neste post, vamos conhecer:

- a Sara Coelho Casqueira, tem duas filhas e mora em Portalegre
- a Cláudia Rodrigues, tem dois filhos, é dos Açores e escreve no blog micromacropuzzle
- a Mariana Seabra de Sousa, tem uma filha, é do Porto e escreve no blog Tia Cocas
- a Ana Feliciano, tem duas filhas




1- Gravidez normal ou de risco?


Sara As duas super normais. Na segunda só me senti mais cansada devido ao facto de ter uma miúda de 1 ano em casa.
Cláudiamicromacropuzzle -  Duas gravidezes normais – separadas por menos de 2 anos -, planeadas, desejadas e passadas com muito boa disposição, sem quaisquer restrições e sem “os aspectos” negativos que estão descritos.
Mariana Tia Cocas - Normal e muito tranquila.
AnaAmbas foram normais... A 1ª após a eco morfológica e como se supeitava do colo do útero curto estive 1 mês de baixa, mas depois veio a confirmar-se que foi falso alarme. Na 2ª estive os 2 últimos meses de baixa porque a tensão estava alta devido ao stress no trabalho e por precaução devido à minha doença hereditária de rins poliquísticos. O único sinal de que estava grávida de ambas as vezes foi a ausência de menstruação (e na 2ª nem isso me alertou, tão distraída que sou... pensava que estaria de umas 7/8 semanas e fui fazer a eco endovaginal: afinal estava de 11 semanas, ups!) e a barriga que entretanto começou a crescer. Não sofri de um único enjoo, má disposição.

2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso?



SaraAs duas a trabalhar, excepto no ultimo mês. O peso da barriga era tanto que eu mal me mexia.
Cláudiamicromacropuzzle - Felizmente a trabalhar quase até ao fim – fiquei em casa no início do 9º mês nos dois casos.
Mariana Tia Cocas - A trabalhar, com viagens para Lisboa e a enjoar um pouco no comboio.
AnaTirando estas situações que atrás referi foram sempre a trabalhar. Na 1ª foi até ao último dia... de manhã ainda fui ao banco e aos correios e no caminho para o banco tive a primeira contracção... acabou por nascer às 23h20m. Na 2ª apesar de não trabalhar nos últimos 2 meses, continuava a ser mãe e dona de casa, como todas as mães!!


3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido.


Sara Nas duas deixei de conseguir beber café. É o primeiro sinal de que estou grávida.
Na primeira gravidez a vontade de comer sushi era de tal ordem que eu tinha de ir a Lisboa de 15 em 15 dias. Na segunda gravidez passei a amar Laranja. Comia tidos os dias, eu que sempre detestei laranja. Nem podia sentir o cheiro.
Cláudiamicromacropuzzle - Confesso (já que a minha obstetra não me ouve e correu tudo bem) que não fiz restrição nenhuma… vá… o sushi era cozido.
Mariana Tia Cocas - Acho que não deixei de comer nada, a única coisa que enjoei foi o cheiro de um perfume (ainda hoje não o consigo cheirar). Alimento mais apetecido, laranja e também manga.
AnaNa 2ª gravidez deixei de conseguir comer favas (aliás, depois dessa tentativa nunca mais consegui comer favas com chouriço e coentros), mas não tive nenhum alimento que se tenha tornado mais apetecido.



4- Fez exercício durante a gravidez? Que tipo?



SaraNa primeira fiz hidroginástica, que me fazia sentir nas nuvens. Na segunda não fiz nada.
Cláudiamicromacropuzzle - Exercício é que não: nem grávida, nem não-grávida. Sou alérgica. O exercício de andar diariamente nos corredores intermináveis do meu hospital, esse sim!
Mariana Tia Cocas -  Nada…apenas caminhava.
Ana Só continuei a fazer caminhadas e os de preparação para o parto (curso).



5- A gravidez fez com que mudasse hábitos do dia-a-dia?


SaraNão. Fiz sempre a minha vida normal.
Cláudiamicromacropuzzle -  Não: sempre levei uma vida regrada, sem excessos ou consumos não aconselhados. No entanto habituei-me a ingerir mais água – hábito que mantenho ainda hoje; ando sempre de garrafa atrás – no mínimo dos mínimos 1,5L/ dia.
Mariana Tia Cocas - Não. Nunca deixei de conduzir, trabalhar, passear, viajar…aliás fiz uma lista de coisas que queria fazer antes da minha filha nascer e que sabia que nos primeiros meses não iria conseguir fazer. Claro que no final do tempo a barriga era grande a mobilidade menor, mas nada de transcendente.
AnaSim, na alimentação: obriguei-me a cumprir a regra de não passar mais de 2 horas sem comer e de beber quase 2 litros de água por dia.


6 - Qual foi a coisa que mais gostou da gravidez?


SaraNa primeira foi tudo, do principio ao fim. Mas principalmente da atenção e dos mimos.
Na segunda foi poder partilha-la com a minha filha mais velha.
Cláudiamicromacropuzzle - Das fotos de barriguinha, da 1ª vez que ouvi o coração dos babies, de todas as ecos e saber que estava tudo bem.
Mariana Tia Cocas - Sentir a minha filha a mexer, falar com ela…sim eu falava com ela ;-)
AnaA espera... o gostar de alguém mesmo sem o conhecer... depois o sentir que realmente está lá alguém... e a preocupação quando passamos mais de x horas sem sentirmos um único pontapé... Acho que todas as mulheres ganham uma luminosidade... só comparável às mães! Acho que todas as mulheres grávidas e mães ficam lindas!!



7- Como foi o parto? Se pudesse escolher o tipo de parto, o que teria escolhido?

SaraAmbos foram normais, mas na primeira foi preciso usar ventosa.
Não alterava em nada os partos. Gosto tanto que saio da sala de partos sempre a dizer que quero mais outro filho.
Cláudiamicromacropuzzle -  O 1º parto demorou 16 horas e acabou por ser distócico – uso de ventosa. O 2º levou metade do tempo, desde a 1ª contracção dolorosa e foi eutócico. Com epidural nas duas vezes a meu pedido e fiquei super fã. Recomendo a todas! A ruptura da bolsa foi sempre feita no hospital e não perdi rolhão mucoso – tudo muito limpinho! Não poderia desejar melhor, de facto. O Simão nasceu na data exacta prevista do parto e o Francisco a 20 minutos de entrar no dia 21 de Março, a sua data prevista – no entanto, os colegas do hospital quiseram acelerar a coisa… não fosse isso, ele nasceria também no dia em que eu faria 40 semanas!
Mariana Tia Cocas - Cesariana. Mas queria que fosse natural, só que depois de um dia inteiro nunca tive dilatação suficiente.
Ana Ambos foram partos naturais sem epidural, por opção. Se pudesse escolher, teria escolhido o que acabou por acontecer.Mas o parto da primeira gravidez foi mau... senti tudo, é verdade... mas quando deveria estar a sentir: ver a minha princesa nos braços do pai... estava mais para lá do que outra coisa... só passada uma meia hora é que assimilei que aquela coisinha pequena era a minha, a nossa filha... ou seja estava extenuada e não consegui viver e aproveitar o momento após a expulsão. Na 2ª gravidez aproveitei e consegui “viver” o momento... lindo... e claro que por ser a 2ª não foi tão extenuante... Se houvesse a 3ª acho que poderia mesmo dizer que seria fácil, não? Quem sabe!?


8- Era capaz de ter um parto em casa?




SaraNão. A segurança do hospital para mim é fundamental. Se algo correr mal sei que estou no sítio certo.
Cláudiamicromacropuzzle - Ai, isso não. Sou um pouco medricas e quero epiduraaaaaallll!!!!
Mariana Tia Cocas  -  Não.
AnaNão... nunca! Confio na medicina, algo que temos a sorte de ter à nossa disposição nos dias de hoje e que milhões não o tiveram no passado.


9- Gravidez ou puerpério - o que é melhor?


SaraPuerpério. Sou uma pessoa que preciso de controlar tudo, e saber se está tudo bem. A gravidez deixa-me ansiosa, não consigo tolerar muito bem a espera entre as ecografias e a espera do momento do parto. Daí apreciar muito mais quando eles estão cá fora. Adoro o cheiro, adoro o toque, adoro ter o meu bebé nos braços e poder cuidar dele. Ver as suas feições e a sua perfeição, deixa-me super feliz.
Cláudiamicromacropuzzle -  Gravidez, claro… os primeiros dias de puerpério são completamente dispensáveis!
Mariana Tia Cocas -  Muito diferentes as 2 realidades. A fase gravidez é fantástica porque transportámos uma vida, o nosso filho, porque é só nosso. Depois de nascer tem que ser “partilhado” com os restantes, mas não deixa de ser fantástico, já está cá, já lhe conhecemos o rosto, o choro, as expressões, o cheiro, enfim…Adorei estar grávida, mas no final da gravidez estava ansiosa que nascesse. Mas confesso que apesar de adorar pegar na minha filha recém nascida, acho que a partir dos 3 meses é muito mais giro.
AnaMelhor...hummmmm... A gravidez é mais calma e o puerpério apesar de termos os nossos bebés connosco. Os primeiros 3 meses são um stress: dúvidas, ansiedades... estamos a fazer bem??? Então porque não pára de chorar???... cólicas... depois do 3º mês é maravilhoso... tudo!!! ... e cada mês que passa ainda é melhor e mais gratificante!!!


10- Amamentou? Porquê?


SaraNas duas Amamentei apenas 15 dias.
Não me condenem mas amamentar não é a melhor coisa do mundo. Para além disso, o meu leite não as deixava satisfeitas. Daí optar por introduzir o suplemento logo nos primeiro dias e ao fim de 15 dias estão a beber o leite e super felizes. E a mãe também!
Cláudiamicromacropuzzle - Completamente apologista da amamentação: o Simão foi amamentado 7 meses (deixei de me empenhar nessa tarefa quando recomecei o trabalho, por ser difícil fazê-lo, e acabou naturalmente; nunca me adaptei aos extractores de leite, logo, em todo esse tempo as minhas maminhas estiveram sempre disponíveis para o meu filho, ia comigo para todos os sítios e mamava sempre da “fonte”). O Francisco está quase com 1 mês, só maminha, e enquanto estiver de Licença será, espero, a mesma história. Depois logo se vê.
Porquê? Porque é, sem dúvida, o melhor para eles e, em muitos aspectos, para nós também, as mamãs. É um “sacrifício” (sim, não digo que é “um mar de rosas”) que os filhotes merecem.
Mariana Tia Cocas - Sim. Tinha leite e uma vez que o leite materno é a melhor opção, porque não fazê-lo. Acho que é também um momento de muita proximidade entre Mãe e filho, mas se não desse para amamentar não seria por isso que a proximidade não existiria. Deixei de amamentar aos 3 meses e confesso que em determinadas coisas foi um alivio.
Ana Sim de ambas em exclusivo até aos 4 meses e pouco, e depois da introdução dos sólidos até aos 10 meses. Em 1º lugar porque é o melhor para o bebé... é o mais natural... depois porque dizem que é bom para a recuperação da mãe (o certo é que em ambas só recuperei a minha forma após 2 anos...). Acho que as coisas estão a mudar, mas acho que existe pouco apoio às mães que não estão a conseguir amamentar... falo por mim, especialmente na primeira gravidez... acho que se não tivesse encontrado a SOS Amamentação na net e ter falado com as voluntárias não teria conseguido pois no Centro de Saúde só me diziam para introduzir o suplemento... tem pouco leite... enfim, estamos muito inseguras. Na 2ª correu tudo muito bem ela mamava bem e em 5/10 minutos... às vezes com interrupções... tinha de a tirar da mama para ir pôr a mais velha a fazer xixi...Apesar de todo o progresso... amamentar é voltarmos às origens... é sermos novamente... animais... a alimentar as suas crias da maneira mais natural possível!!! É lindo... enquanto for bom para a mãe... caso contrário deve-se ter em conta as alternativas...




Obrigado por terem aceite o desafio!
E obrigada às outras leitoras que têm partilhado as suas experiências - mais posts para breve!


Para seguir o Café, Canela & Chocolate no Facebook é aqui.


Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.