Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

23
Jan17

Sim, o TPM existe!


Sofia Serrano

 

O Síndrome pré-menstrual não é um mito. É também conhecido por TPM - Transtorno Pré-Menstrual. E sim, temos razões para aqueles dias de mau humor, ou para nos sentirmos com peso a mais.

 

O que é o SPM?



O síndrome pré-menstrual (SPM) caracteriza-se por uma série de alterações, quer emocionais quer físicas, que ocorrem nos dias anteriores à menstruação. Em algumas mulheres, estas alterações são muito marcadas e interferem com a vida diária.

Ocorre entre o 14º e 24º dia do ciclo (após a ovulação e antes da menstruação). Os sintomas geralmente desaparecem no primeiro dia do fluxo menstrual. Nalgumas mulheres, a SPM só desaparece somente com o fim do fluxo.

Esses sintomas podem ser alterações de humor, com irritabilidade, dificuldade em dormir, tristeza, dores de cabeça, mas também ganho de peso, inchaço abdominal e das extremidades (braços e pernas) e tensão mamária. Pode haver um ganho de peso significativo, entre 2 a 4kg, que desaparece com a menstruação.

A principal causa da SPM é a alteração hormonal feminina durante o período menstrual, que interfere no sistema nervoso central. Parece haver uma ligação entre as hormonas sexuais femininas, as endorfinas (substâncias naturais ligadas à sensação de prazer) e os neurotransmissores, tais como a serotonina.



Captura de ecrã 2017-01-23, às 14.13.10.png

 

 

Os sintomas na SPM podem ser físicos ou emocionais causando desconforto na mulher.

As principais características são:

 

Sintomas Emocionais

Depressão;

Vontade de chorar;

Irritabilidade;

Ansiedade;

Insónia;

Fome em excesso (alimentos doces como o chocolate, ou salgados...) ou falta de apetite;

Sonolência;

Dificuldade de concentração;

Cansaço.

 

Sintomas Físicos:

Dor de cabeça;

Acne;

Aumento de peso;

Inchaço nas mamas;

Dores osteomusculares;

Distensão abdominal

 

Porque nos sentimos inchadas?

Pensa-se que o edema (vulgarmente conhecido como “inchaço”) associado ao síndrome pré-menstrual é causado por um desequilíbrio entre os estrogénios e a progesterone. Devido ao aumento dos estrogénios, há uma maior retenção da água e do sódio no organismo, com aumento de peso e edema generalizado.

Também se aponta como possíveis mecanismos associados ao Síndrome Pré-Menstrual (SPM), como uma resposta anormal do organismo, face às alterações de neurotransmissores neuronais, como as beta-endorfinas. Pode também estar relacionado com a nutrição, a deficiência de vitamina B6, a hipoglicemia e níveis baixos de cálcio ou magnésio.

Há de facto um aumento de peso na ordem dos 2-4 kg. Felizmente que depois acaba por passar e naturalmente voltamos ao peso inicial.

 

Porque é que nestes dias nos apetece chocolate?

Sim, pode ser uma das características da SPM, a dita "fome em excesso" que nos leva muitas vezes a preferir alimentos doces, como o chocolate. Também há quem tenha desejos de alimentos mais salgados.

 

Dicas para combater o SPM

Hidratando e fazendo exercício físico- são as medidas mais eficazes.

Recomenda-se que durante o período pré-menstrual se faça entre quatro a seis pequenas refeições diárias, evitando açúcar refinado, alimentos com muito sal, cafeína e álcool e reforçando consumo de frutas, vegetais e alimentos ricos em fibra.

Devemos evitar alimentos como batatas fritas, cachorros quentes e bebidas como a coca cola, que pioram ainda mais os sintomas. Convém beber muita água e comer frutas e fibras.

O exercício físico também é benéfico, porque melhora os sintomas físicos e reduz o stress.

A corrida ou o yoga são bons aliados nesta fase.

 

 

É boa ideia consultar um ginecologista e falar sobre o problema.

Pode ser necessário iniciar medicação, como por exemplo, a pílula, para melhorar o SPM, ou outro tipo de fármacos.

Também o óleo de onagra tem surgido como um bom aliado para este problema.

 

Captura de ecrã 2017-01-23, às 14.14.32.png

 Mais aqui

 

 

05
Out16

Sobre miomas


Sofia Serrano

dores-regia-o-pelvica.jpg

 

Os miomas são formações nodulares que surgem a partir da parede muscular do útero. São tumores benignos, muito frequentes nas mulheres : mais de metade das mulheres com 35 anos ou mais tem miomas.

Nem todos os miomas dão sintomas, sendo que a existência de muitos só é descoberta na consulta de ginecologia de rotina anual. No entanto, os mais frequentes são:

 

- menstruações intensas e prolongadas, muitas vezes com coágulos, que podem levar a anemia, que pode ser grave

- aumento do volume abdominal, com sensação de peso ou pressão na zona pélvica

- sensação de pressão na bexiga, com necessidade de urinar mais frequentemente, ou obstipação

- dor nas relações sexuais

 

imgHandler.ashx.jpeg

 

Os crescimento dos miomas está dependente dos estrogénios, por isso são mais frequentes na idade fértil, e começam a regredir espontaneamente na menopausa. Têm tamanhos diversos e podem ser submucosos, intramurais ou subserosos, dependendo da sua localização no útero.

 

 

 

19
Set16

Sexualidade e Menopausa


Sofia Serrano

sharon.png

 

 

Dizemos que uma mulher "está em menopausa" quando está há 12 ou mais meses sem menstruação, não havendo outra causa (patológica ou fisiológica).

 

Mas afinal o que é isto da menopausa e o que significa em termos de mudanças na vida do dia-a-dia?

A menopausa significa a paragem permanente da menstruação, como resultado da perda da actividade ovárica folicular, ou seja, os ovários vão parando o seu funcionamento, e os níveis de hormonas que produziam vão diminuindo - deixamos de ter menstruação e de poder engravidar. Em média ocorre aos 51 anos, mas pode ser aos 45 ou aos 56, dependendo da mulher.

Esta quebra hormonal vai afetar vários órgãos, desde a pele e cabelo (mais fino e seco) até ao sono (maior dificuldade em dormir) ao humor (maior tendência a tristeza) e também os órgão genitais femininos, infuenciado a sexualidade.

 

 

A sexualidade é parte fundamental do nosso bem estar, em qualquer idade. Podemos continuar a sentir-nos sexy como uma Sharon Stone e a viver a nossa vida em pleno, apesar de, durante muito tempo, ter passado o mito que depois dos 50 anos acabava a vida sexual...

Com a menopausa, surgem de facto alterações a este nível, que são variáveis de mulher para mulher:

- há quem passe a ter mais prazer com o sexo, por desaparecer o receio de uma gravidez não desejada

- a grande maioria das mulheres tem menos desejo e menos prazer devido à diminuição das hormonas produzidas pelos ovários

 

 

01
Ago16

Sobre a pílula, uma novidade


Sofia Serrano

o-SUMMER-PARTY-facebook.jpg

 

Uma das coisas boas desta nossa vida moderna, é podermos escolher quando temos filhos.

A altura ideal para constituir família não é igual para todos, por isso, a contraceção é uma excelente escolha no que toca a uma sexualidade plena, que faz parte do nosso bem estar.

Já ouvimos falar da pílula há muitos anos - entrou no mercado em 1960 e desencadeou uma verdadeira revolução nos hábitos sexuais do mundo ocidental. Ao longo dos anos, tornou-se no método contracetivo mais popular a nível mundial.

As pílulas combinadas contém um estrogénio e um progestagénio, enquanto as mini-pílulas contêm apenas um progestagénio (como a "pílula da amamentação").

As hormonas da pílula previnem a gravidez através de três mecanismos:
- impedem a ovulação (ou seja, impedem que o ovário liberte o óvulo)
- tornam mais fino o tecido que reveste o útero (endométrio), o que evita a implantação de um óvulo fertilizado
- tornam o muco do colo mais espesso, o que dificulta a entrada do esperma do útero

 

 

23
Jul13

A infertilidade (essa coisa que assusta)


Sofia Serrano

Ter filhos parece ser o curso normal da vida. 
O passo seguinte naquele percurso de crescer-estudar-trabalhar-casar. 
Quando somos novos não pensamos muito nisso, encaramos como um evento natural que vai surgir mais cedo ou mais tarde na vida. 
E depois do curso, queremos um trabalho estável, um sítio para viver, progredir na carreira. Deixamos os filhos lá mais "para a frente", quando a altura for ideal. 
E depois, quando parece que surgiu o momento ideal, passa um mês, 2 meses, 1 ano, dois anos...e o tão desejado filho não chega. Começa a ansiedade. A incompreensão. A dúvida. O "porquê nós"? E nem sempre é fácil para o casal admitir que precisa de ajuda para perceber o que se passa.
Na verdade, a fertilidade feminina começa a diminuir a partir dos 30 anos, e mais marcadamente a partir dos 35. E apesar de historicamente a mulher ser "a culpada" do casal não conseguir ter filhos, sabemos que na sociedade actual, factor feminino e masculino contribuem de forma muito idêntica para o número de casais inférteis a nível mundial - estima-se que no mundo ocidental ronde os 15%.
Quando não se consegue uma gravidez e se recorre a ajuda médica, embarca-se numa luta. Uma luta para perceber o que não está bem - e isso implica muitos exames, muitas angústias, mas também e acima de tudo, muita esperança de se conseguir a gravidez tão desejada. Nalguns casos é necessário tomar medicamentos para induzir a ovulação, noutros é necessário cirurgia, noutros ainda é preciso recorrer à FIV (fertilização in vitro) e outras técnicas de procriação medicamente assistida (3 a 4% das crianças que nascem na Europa são fruto destas técnicas). E é preciso tentar uma vez, duas vezes, três vezes. 
É preciso coragem e é preciso uma pitada de sorte, para que tudo resulte naquele momento mágico, que é ver o 2º tracinho no teste de gravidez.


Para seguir o Café, Canela & Chocolate no facebook é aqui.
14
Mar13

Coisas de mulheres #1: a pílula


Sofia Serrano

A pílula começou a ser utilizada como método contraceptivo na década de 1960 e é actualmente um dos métodos contraceptivos mais populares em todo o mundo.
As pílulas combinadas contém um estrogénio e um progestagénio, enquanto as mini-pílulas contêm apenas um progestagénio (como a "pílula da amamentação").




As hormonas da pílula previnem a gravidez através de três mecanismos:
- impedem a ovulação (ou seja, impedem que o ovário liberte o óvulo)
- tornam mais fino o tecido que reveste o útero (endométrio), o que evita a implantação de um óvulo fertilizado
- tornam o muco do colo mais espesso, o que dificulta a entrada do esperma do útero

Existem muitos tipos de pílulas disponíveis, que variam no tipo e na dose dos seus componentes hormonais, na forma como são tomadas e nos seus efeitos não relacionados com a contracepção.
Quando tomada como indicado, a pílula é um dos métodos mais eficazes para prevenir uma gravidez não desejada : é importante tomar a pílula todos os dias, por volta da mesma hora (ou ao acordar ou ao deitar). O alarme do telemóvel pode ser um bom amigo para evitar esquecimentos. Se houver falha da pílula, deve-se consultar o folheto informativo ou um profissional de saúde, para saber como proceder.

Para além dos clássicos comprimidos, também é possível optar por este método sob a forma de adesivo/patch (troca semanal) ou anel vaginal(troca mensal) - podem ser boas opções para quem se esquece de tomar a pílula (como a Pipoca Mais Doce contou aqui).



Para seguir o Café, Canela & Chocolate no facebook é aqui.
31
Dez12

Dicas para as grávidas no Café, Canela & Chocolate


Sofia Serrano

E pronto.
Nos últimos posts já foram percebendo que as grávidas e bebés são o meu mundo - the beautiful Ob/Gyn world!

Resolução para 2013: o Café, Canela& Chocolate vai ter posts com dicas e conselhos para as futuras mamãs. 
Acham boa ideia? Não só de Obstetrícia, mas também de Ginecologia.



Espero que sejam úteis.
Se quiserem deixar sugestões de temas a abordar, escrevam para:
msofiaserrano@gmail.com

E todas as outras rubricas vão continuar: os convidados, o preferido da semana, os posts sobre a família e outros que vão surgindo.
Espero que em 2013 continuem por aqui!
Um bom ano :)

Para seguir o Café, Canela & Chocolate no facebook é aqui.

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D