Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

04
Fev17

O quê, os teus filhos não te deixam dormir no fim de semana?


Sofia Serrano

Perguntas recorrentes. Dramas familiares.

Ora o mundo divide-se entre aqueles que têm miúdos que desde pequenos dormem até ao meio dia, e que dificilmente acordam cedo, e aqueles que são madrugadores incansáveis, e que mesmo ao fim de semana estão a pé antes das 8 - ou até antes das 7, que curiosamente o fim de semana traz consigo o fenómeno do "acordar-ainda-mais-cedo". 

 

Cá em casa, acreditava piamente que quando tivesse filhos, iam ser exatamente como eu: dormir até ao meio-dia era um dos meus desportos preferidos ao fim de semana, ou até durante a semana se tal fosse possível.

Pronto, estava redondamente enganada.

Mais uma para a lista do "a maternidade-não-te-preparou-para-isto".

 

Desde muito, muito pequenos, acharam que o ideal era acordar por voltas das 7. Durante muito tempo, até acordavam a rondar as 6 da manhã e era impossível fazê-los voltar a dormir. Sabem lá como me custou habituar-me a esta coisa de ter dois pequenos madrugadores em casa.

Portanto, para além de despertares noturnos de origem diversa (desde pesadelos, a xi-xis e etc) que implica aprendermos a dormir instantaneamente em duas horas e termos de acordar frescos que nem uma alface de um instante para o outro (ótimo treino para quem faz urgências noturnas!), tornarmo-nos pais implica mudarmos para a outra metade do mundo.

Deixar os sornas e passar para os madrugadores.

 

Claro que há aqueles pais sortudos.

Aqueles que me dizem de boca cheia: "O quê, os teus filhos não dormem até ao meio-dia sempre que podem? Coitada! O melhor é deixarem de dormir a sesta, ou não os deixar ir dormir tão cedo!"

 

Já testamos esta teoria, que à primeira vista me parece logo dos maiores disparates de sempre, porque meter miúdos na cama cedo (por volta das 20:30) é bom para eles e deixa tempo para os pais. E sestas, enquanto as quiserem dormir, ajudam a tudo, desde crescimento a concentração.

Mas pronto, num daqueles dias de jantares de amigos pode acontecer. Deitamo-nos todos tarde e rezamos para que, no dia seguinte, só acordemos depois do sol já estar bem alto no céu.

O que acontece invariavelmente? Acordam ainda mais cedo. E cheios de energia (ao contrário dos pais, que repentinamente tomam consciência que daqui a nada temos 40 anos, e que esta vida de noitadas já não dá para nós).

 

A solução?

Deitarmo-nos cedo também.

Ou esperar pela adolescência, que me garatem que muda este lado madrugador das crianças.

(a ver vamos!)

 

(não se esqueçam, amanhã vou estar com a Catarina Beato na Fnac do Forum Algarve, ás 16:00, a apresentar o nosso livro, apareçam!)

Captura de ecrã 2017-02-04, às 11.12.27.png

 

12
Dez16

Programa em família: Kidzania


Sofia Serrano

 

k1.png

 

Este domingo fomos, em família à Kidzania.

Foi a nossa primeira visita a esta cidade das crianças - e adorámos, todos!

É uma cidade construída à escala dos mais pequenos, onde eles podem brincar aos adultos, e escolher entre mais de 60 profissões! As atividades onde podem participar são simultaneamente divertidas e pedagógicas, e percebemos que os valores e regras de cidadania estão sempre muito presentes.

Na Kidzania, a moeda oficial é o kidzo, e para ganharem kidzos, os miúdos têm de trabalhar nas profissões que mais gostarem. Depois podem depositar o dinheiro no banco, gastá-lo em várias atividades ou fazer compras na loja dos kidzos.

 

O Pedro e a Mariana estavam maravilhados por poderem fazer tudo "como os crescidos" e experimentaram uma série de profissões:

 

K4.jpg

 

k5.jpg

O Pedro quis ajudar a construir uma casa e adorou!

 

 

29
Nov16

Está na altura de convocar os super heróis


Sofia Serrano

_DSC9116.jpg

 Foto Pau Storch

 

Porque é que eu não gosto do inverno? Porque para além do frio, da chuva, do vento e dos dias pequenos (que me deixam deprimida), começam aquelas doenças dos miúdos, desde ranhos e tosses a viroses e gastrenterites, que deixam crianças em baixo e pais com olheiras.
A solução?
Mudarmo-nos para um pais tropical (talvez o Brasil?)
Ou então espantar toda esta bicharada com muita fruta e o máximo de tempo possível de brincadeiras ao ar livre.
E em caso de emergência, libertar o super-herói que vive em cada um de nós!
(resmungos de uma mãe que já levou com duas viroses desde o fim de semana e espera ansiosamente pelo regresso do verão!)

 

 

 

20
Out16

Devia ser proibido os nossos filhos ficarem doentes


Sofia Serrano

_DSC6186.jpg

Foto: Pau Storch  

 

 

Se eu mandasse no mundo e pudesse escrever as leis pelas quais nos guiaríamos, uma das que estaria no topo da lista seria:

 

"É proibido a um filho ficar doente. As crianças são a coisa mais precisosa do mundo, têm direito à saúde e à felicidade - constantes, sem exceção."

 

e com esta adenda

 

"caso algum tipo de doença atinja, por engano, uma criança, deve desaparecer rapidamente sem deixar rasto"

 

Isto de sermos pais revoluciona toda a nossa vida. E o nosso coração.

Termos filhos torna-nos, subitamente, em seres emocionais e sensitivos (ou será emotivos e sensoriais?) que andam constantemente com o coração nas mãos - porque os nossos filhos são o mais importante. 

E aquela tosse a meio da noite (que passa rápido, mas...), aquele olhar mais murchinho (hum...), um miúdo demasiado quieto...indiciam que algo não está bem.

As mães percebem logo, cheiram à distância as doenças. 

Intuição ultra-desenvolvida, é o que a maternidade nos traz. E depois a angústia de termos as nossas suspeitas confirmadas, e de não termos uma varinha mágica para pormos os nossos filhos instantaneamente bem.

 

Sim, devia haver uma lei que proibisse os miúdos de adoecerem.

 

 

 

16
Set16

Para a escola e para o outono que aí vem!


Sofia Serrano

 

Os miúdos não cresceram só em altura este verão, os sapatos também deixaram todos de servir!

Por isso, o regresso às aulas também significa que precisam de novos sapatos. Ambos têm farda da escola, por isso é preciso encontrar sapatos que fiquem bem e sejam resistentes para aguentar as brincadeiras no parque.

Tal como noutros anos, acabámos mais uma vez por escolher a Pisamonas, porque tem os sapatos colegiais azuis que ficam perfeitos com a farda dela e são super resistentes, e também ténis que ele adora!

 

pisa3.jpgpisa1.jpg

As meias pelo joelho da M. são Condor, de ótima qualidade, também da Pisamonas. Há cores que ficam bem com a farda, e muitas outras escolhas.

 

 

Mas também já andamos a pensar no outono que aí vem e na roupa para vestir no fim de semana e nas ocasiões especiais.

Por isso, as merceditas com fecho pulseira para a M. e as botas safari para o P. já chegaram e estão no armário à espera do tempo mais fresco.

 

pisa2.jpg

Não são giros?

E já sabem, se os tamanhos não ficarem bem, a Pisamonas troca sem custos adicionais. Uma boa opção para sapatos de qualidade a preços bem simpáticos! 

 

 

 

 

Post escrito em parceria com a Pisamonas

 

13
Set16

Eles cresceram!


Sofia Serrano

 

image.jpeg

 

O verão é uma altura fantastica para os mais pequenos: as rotinas desaparecem, há mais liberdade, brincadeira e bom tempo! E o sol parece ter poderes mágicos.

Quando chega a setembro, apercebemo-nos que eles cresceram imenso, e que muita da roupa deixou de servir. Por isso setembro é o mês da renovação do guarda roupa.

Claro que entre mochilas, livros e outro material escolar, a conta deste mês pesa bastante, por isso, no que toca a roupa, é sempre bom encontrar alternativas com roupa de qualidade a preços baixos. Já conhecia a Showroomprive.pt e é uma excelente opção para as compras para os miúdos!

Algumas sugestões giras que podem encontrar lá:

 

21
Mai16

Arrumações de sábado


Sofia Serrano

59ecce094d50b581f45e3f4226fd416c.jpg

 

Ideias que uma pessoa tem num sábado de manhã: arrumar a roupa dos miúdos, na esperança de que as peças de inverno fiquem bem fechadas nas caixas e as cores de verão tragam boa energia.
Pronto, depois há aquele lado do caos: quarto com montes de roupa por todo o lado, o mais pequeno a saltar de monte em monte, qual jogo de computador, a maior a experimentar tudo e mais alguma coisa, e a suspirar sempre que já não cabe num dos vestidos preferidos - é nestes momentos que me apercebo que eles crescem a uma velocidade vertiginosa!


(desejem-me sorte! com a quantidade de coisas entre este guarda-roupa e as caixas da garagem quase que podia montar mais um mercadito)

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.