Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

17
Abr17

Vitamina D


Sofia Serrano

Captura de ecrã 2017-04-17, às 14.56.05.png

 

 

A água está ótima, as praias com pouca gente e há muitas conchas para apanhar! Estamos a aproveitar as férias para repor os níveis de vitamina D, depois de um inverno cinzento e chuvoso. Por mim, tinhamos bom tempo todo o ano!

Sabiam que mesmo num país como o nosso, com muitas horas de sol todo o ano, uma parte importante da população tem défice de vitamina D?

A verdade é que passamos muitas horas dentro de casa ou no trabalho, e quando nos expomos ao sol, geralmente temos protetor solar (mesmo os cremes de rosto hidratantes ou antirugas têm protetor solar!).

A vitamina D é muito importante para o nosso organismo, participando em várias funções. Vários estudos têm relacionado o défice de vitamina D com maior probabilidade de cancro da mama ou de esclerose múltipla, entre outros problemas para a saúde.

O corpo produz vitamina D a partir do colesterol, quando a pele é exposta à luz solar, convertendo o colesterol na tão importante vitamina.  Também é encontrada em certos alimentos, como peixes e produtos lácteos enriquecidos, mas a verdade é que a exposição solar é a maior fonte de vitamina D.

Com isto não quero dizer que nos devemos expor ao sol indiscriminadamente - atenção ao cancro da pele!

No entanto, devemos apanhar pelo menos 30 minutos diários de sol, sem protetor solar, numa altura de "sol bom". E devemos tentar passar mais tempo "lá fora", nos parques, nas esplanadas, na praia, no campo! Faz bem a todos da família, ao corpo e à mente, e a nossa saúde agradece.

 

07
Abr17

O regresso do sarampo


Sofia Serrano

vacina-sarampo.jpg

 

Temos um excelente Plano Nacional de Vacinação no nosso país e felizmente muitas doenças graves têm desaparecido graças a ele. E é muito importante cumprirmos as vacinas nas alturas certas.

 

Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do virus do sarampo no verão passado, ainda que considere que a vacinação continue a ser essencial. Esta doença, provocada por um virus, é altamente contagiosa, a sua evolução é habitualmente benigna, mas, nos raros casos muito graves, pode resultar em sequelas neurológicas ou mesmo morte.

 

A verdade é que desde o início de 2017 já temos 5 casos de sarampo diagnosticados em Portugal, quatro deles no algarve neste último mês. Sabe-se que um dos casos corresponde a um adulto que veio da Venezuela, já infetado, mas as restantes são crianças uma delas com 11 meses, ainda sem idade para ser vacinada.

 

Como se apanha sarampo?

Altamente contagioso, o sarampo é propagado por meio das secreções mucosas (como a saliva, por exemplo) de indivíduos doentes para outros não-imunizados (sem vacina). O período de incubação dura entre 10 e 14 dias. .

Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são:

  • Febre
  • Tosse persistente, conjuntivite

Após estes sintomas, geralmente há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. Além disso, pode causar infeção nos ouvidos, pneumonia, diarreia, convulsões e lesões no sistema nervoso.

 

O reaparecimento do sarampo é preocupante, porque era uma doença eliminada devido ao programa de vacinação, sobretudo das crianças - a vacina é administrada aos 12 meses. É muito importante darmos as vacinas aos nossos filhos,na altura certa, para evitar o reaparecimento destas doenças.

 

 

 

 

01
Jan17

Reveillon


Sofia Serrano

Já passei para o novo ano nas urgências do hospital, umas vezes com a sorte de estar a ajudar a nascer os primeiros bebés do ano, outras com situações mais ou menos complicadas, que felizmente acabaram em bem.

Já tive passagens de ano em que adormeci de cansaço antes da meia noite.

Noutras festejei, umas vezes com amigos, outras com família.

 

Este ano decidimos passar os últimos dias do ano os 4. Juntos, à beira mar.

E a passagem de ano foi em ambiente de festa, com um jantar de gala, mas sempre num mood muito kids friendly, com menu e brincadeiras para os mais pequenos, enquanto nos deliciavamos com um bom jantar e com música ao vivo. 

Rev4.jpg

 

Rev5.jpg

 

Rev9.jpg

 

Rev7.jpg

 

 Claro que crianças são crianças, e antes da meia-noite, depois de um dia agitado sem sesta, o Pedro adormeceu. O nosso muito obrigada ao staff super simpático e prestável, que improvisou uma cama junto à nossa mesa, para podermos terminar a refeição. A Mariana fez novos amigos e passou uma noite muito divertida!

À meia noite, houve fogo de artifício sobre o mar, e o Pedro acordou. Entrámos juntos no novo ano, com beijos, passas, fogo de artifício, champanhe e sobretudo muito amor.

 

Rev15.jpg

Rev12.jpg

 

E a desejar que 2017 seja um ano com muita saúde !

É que que mais desejo para todos, porque apesar de cliché, a verdade é que com saúde, tudo se vai fazendo.

 

Rev1.jpg

 Um fantástico 2017 para todos!

15
Nov16

Sobre médicos mais humanos


Sofia Serrano

IMG_8348.JPG

 

Fala-se cada vez mais sobre humanização dos cuidados de saúde. Humanização do parto. Humanização do atendimento. Humanização? Mas nós não somos humanos?

A verdade é que o grande desenvolvimento científico e tecnológico dos últimos anos não foi acompanhado pelo respetivo desenvolvimento no "cuidar". Andamos tão focados em números, medicamentos, máquinas de ressonância magnética e robots que fazem uma cirurgia por nós que nos esquecemos de quem somos. 

Mas nós somos humanos. Mesmo com tecnologia e acesso ao último grito da ciência, a humanidade é o que nos define. 

Ser humano implica falarmos com as pessoas. E ouvirmos. E acredito que para sermos bons médicos, temos de dialogar com quem nos procura. Ter tempo, sensibilidade, simpatia.

A humanização não pode ser um item numa lista para um serviço ter uma acreditaçao qualquer. A humanização tem de estar sempre connosco. 

Porque nem os médicos, nem os doentes são máquinas. Temos necessidades básicas, temos emoções, somos complexos e trazemos connosco todo um mundo - desde a nossa cultura, à nossa religião, às nossas convicções.

E enquanto nos respeitarmos mutuamente, e tivermos tempo para dialogar, vamos continuar humanos.

 

[falei sobre Humanização nos Cuidados de Saúde no Congresso Nacional de Estudantes de Medicina no Porto, que se tiverem curiosidade podem ver aqui, e há mais sobre este assunto no livro "Confissões de uma Médica" ]

 

IMG_8351.JPG

IMG_8359.JPG

 

 

19
Set16

Sexualidade e Menopausa


Sofia Serrano

sharon.png

 

 

Dizemos que uma mulher "está em menopausa" quando está há 12 ou mais meses sem menstruação, não havendo outra causa (patológica ou fisiológica).

 

Mas afinal o que é isto da menopausa e o que significa em termos de mudanças na vida do dia-a-dia?

A menopausa significa a paragem permanente da menstruação, como resultado da perda da actividade ovárica folicular, ou seja, os ovários vão parando o seu funcionamento, e os níveis de hormonas que produziam vão diminuindo - deixamos de ter menstruação e de poder engravidar. Em média ocorre aos 51 anos, mas pode ser aos 45 ou aos 56, dependendo da mulher.

Esta quebra hormonal vai afetar vários órgãos, desde a pele e cabelo (mais fino e seco) até ao sono (maior dificuldade em dormir) ao humor (maior tendência a tristeza) e também os órgão genitais femininos, infuenciado a sexualidade.

 

 

A sexualidade é parte fundamental do nosso bem estar, em qualquer idade. Podemos continuar a sentir-nos sexy como uma Sharon Stone e a viver a nossa vida em pleno, apesar de, durante muito tempo, ter passado o mito que depois dos 50 anos acabava a vida sexual...

Com a menopausa, surgem de facto alterações a este nível, que são variáveis de mulher para mulher:

- há quem passe a ter mais prazer com o sexo, por desaparecer o receio de uma gravidez não desejada

- a grande maioria das mulheres tem menos desejo e menos prazer devido à diminuição das hormonas produzidas pelos ovários

 

 

12
Jun16

3 perguntas (e respostas) sobre SPM


Sofia Serrano

81a632644e5c97e6668a974cf0f8.jpg

 

Não é um mito. O SPM - Síndrome Pré-Menstrual- existe mesmo. Temos razões para aqueles dias de mau humor, ou para nos sentirmos com peso a mais. Ficam aqui 3 perguntas e respostas importantes sobre este tema:

 

É verdade que a síndrome pré-menstrual pode originar um aumento de peso na ordem dos 2-4 kg, mas que depois passa?

Sim, é verdade. O Síndrome Pré-menstrual (SPM) caracteriza-se por uma série de alterações, quer emocionais quer físicas, que ocorrem nos dias anteriores à vinda do período. Em algumas mulheres, estas alterações são muito marcadas e interferem com a vida diária. Geralmente os sintomas manifestam-se durante a segunda fase do ciclo (entre o 14º e o 28º dias do ciclo) e desaparecem quando aparece a menstruação. Esses sintomas podem ser alterações de humor, com irritabilidade, dificuldade em dormir, tristeza, dores de cabeça, mas também ganho de peso, inchaço abdominal e das extremidades (braços e pernas) e tensão mamária. Pode haver um ganho de peso significativo, entre 2 a 4kg, que desaparece com a menstruação.

 

 

 

 

04
Fev16

É preciso mudar - dos estetoscópios às estrelas


Sofia Serrano

Já (quase) todos sabem que a saúde em Portugal está numa fase muito complicada. Há dificuldades para todos: para os profissionais que trabalham na área, para os utentes. Acima de tudo, tenho pena que não haja um maior esforço para mudar, para melhorar. Que não se invista no que é mais importante para a vida - a saúde. Que se mantenham as velhas mentalidades, que bons profissionais acabem por sair por ser impossivel trabalhar nas condições que temos nos dias que correm.

Mas não é só a saúde que precisa de ser renovada, é a ciência, em geral. O pilar da saúde, da alimentação, do dia-a-dia. As áreas científicas em portugal estão estagnadas, presas a velhos hábitos, a velhos sistemas. Tal como a saúde.  É preciso abrir os armários cheios de mofo e deixar entra ar fresco, luz do sol. Temos excelentes cientistas, e estamos a oferecê-los, de mão beijada, a outros países, onde são reconhecidos, ondem podem trabalhar, onde podem ir mais longe cada dia que passa.

O David é um desses cientistas fenomenais, que descobriu a galáxia CR7, com as primeiras estrelas que se formaram após o Big Bang. O David é fenomenal, apaixonado pelo seu trabalho, incansável, e digo isto à distância possível de irmã. Mas acima de tudo, sei que o David tem um enorme potencial para chegar muito, muito longe, mais ainda do que a CR7. Tenho muito orgulho nele, e muita pena que o nosso país não o estime, a ele e a tantos outros. Mais um ganho para o Reino Unido, que neste momento está cada vez mais recheado dos nossos cientistas, enfermeiros e médicos.

É preciso mudar, é urgente mudar. 

 

david-sobral-lancaster-university-looking-at-teles

 

Podem de ler abaixo a entrevista do David Sobral, atualmente a trabalhar na Universidade de Lancaster, na área que é a paixão dele, a Astrofísica. A entrevista original aqui.

 

 

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.