Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

25
Abr17

A corrida das mães!


Sofia Serrano

Dia da Mãe (44).JPG

 

Os dias são uma constante corrida. E a classificação das mães é, quase sempre, esta:

- As mães são sempre as primeiras a ouvir a tosse do filho durante a noite, ou o choro por ter perdido a chucha ou por ter tido um pesadelo.

São as primeiras a chegar juntos dos filhos quando começam a ter febre.

São as primeiras a levantarem-se de manhã, porque mesmo que os filhos já tenham acordado, precisam sempre da ajuda da mãe para ir à casa de banho, vestir-se ou ligar a televisão.

- As mães são sempre as últimas a ficar prontas de manhã - porque primeiro preparam as mochilas dos filhos, ajudam-nos a lavar a cara, os dentes, a pentear-se, fazem o pequeno almoço, ajudam a vestir, resolvem birras matinais e só depois, nuns míseros cinco minutos porque já não há tempo para mais, ficam prontas para sair para o trabalho.

- As mães são sempre as primeiras a saber que o seu filho está a ficar doente, porque mesmo que ainda não tenha febre nem tosse, há alguma coisa que lhe diz que há algo errado.

- As mães são sempre as últimas a terminar uma refeição - porque durante a mesma, serviram os filhos, ajudaram a comer a sopa, cortaram a carne, ajudaram a terminar os legumes e ainda descascaram a fruta.

E só depois conseguiram avançar para o seu prato e terminar a refeição, com a comida já fria, claro.

 

20
Abr17

Dia das profissões na escola do miúdo


Sofia Serrano

18049594_1817931128533962_12722094_o.jpg

 

O mais pequeno está a falar sobre as profissões na escola. Os pais foram convidados a dar a conhecer a sua profissão, e hoje foi a minha vez de lá ir explicar o que era isto de ser médica obstetra.

Ele ajudou-me a preparar a apresentação em casa. Escolhemos umas imagens para explicar a todos os meninos este mundo dos "bebés na barriga" , e ele quis levar uma bola para os amigos perceberem que o pequeno bebé-feijão cresce até um tamanho considerável, mais ainda se forem gémeos! 

Também lhes expliquei que os bebés estavam dentro de "água" (o líquido amniótico) e que "comiam" e "respiravam" pelo cordão umbilical. Depois, brincamos aos médicos obstetras e grávidas :) e todos aprenderam a explicar às futuras mães o que podem comer, a pesá-las e a apontar os números no livro da Grávida.

Experimentaram fazer ecografias e perceberam como nascem os bebés e o que é preciso que o médico faça quando os está a ajudar a nascer.

 

03
Abr17

Sobre o tempo que passa depressa demais (e não volta para trás)


Sofia Serrano

DSC_0433.JPG

 

Ora bem, sou só eu que tenho a sensação de que o tempo está a passar a uma velocidade vertiginosa?

Ainda ontem era Natal e já estamos em abril?

A verdade é que entre consultas, cirurgias, levar e buscar miúdos à escola, atividades, aproveitar dias bons, os dias e as semanas desaparecem num ápice.

Muitas vezes tento desacelerar: só aquele momento de fechar os olhos e respirar. Mas a verdade é que são poucos segundos, porque pouco depois há outra consulta para fazer ou um miúdo a chamar pela mãe, um telefonema para responder ou um compromisso inadiável.

Dou por mim, muitas vezes, a pensar como seria um mundo com calma. Sem horários nem tarefas obrigatórias. Com tempo. Tempo para tudo: para acordar, para fazer um pequenos almoço e comer com calma, em família. Tempo para aprender nas escola, sem metas curriculares nem pressão, a conversar tranquilamente sobre temas interessantes. Tempo para os pais estarem com os filhos. Tempo para os miúdos brincarem sem pressas. Tempo para não fazermos nada e só ficarmos a sentir o quente do sol na pele e a brisa a soprar no cabelo. Tempo para adormecer com os dois no colo, no sofá, depois de uma história daquelas grandes, que lemos durante vários dias, mas que nunca nos apetece parar.

Já tentei mil e uma maneiras para ter mais tempo, mas sinto que ele me escapa por entre os dedos. Sinto que a vida passa depressa demais. Tenho a sensação de estarmos neste carrossel colorido, que tomou balanço e anda cada vez mais depressa.

 

 

 

 

04
Fev17

O quê, os teus filhos não te deixam dormir no fim de semana?


Sofia Serrano

Perguntas recorrentes. Dramas familiares.

Ora o mundo divide-se entre aqueles que têm miúdos que desde pequenos dormem até ao meio dia, e que dificilmente acordam cedo, e aqueles que são madrugadores incansáveis, e que mesmo ao fim de semana estão a pé antes das 8 - ou até antes das 7, que curiosamente o fim de semana traz consigo o fenómeno do "acordar-ainda-mais-cedo". 

 

Cá em casa, acreditava piamente que quando tivesse filhos, iam ser exatamente como eu: dormir até ao meio-dia era um dos meus desportos preferidos ao fim de semana, ou até durante a semana se tal fosse possível.

Pronto, estava redondamente enganada.

Mais uma para a lista do "a maternidade-não-te-preparou-para-isto".

 

Desde muito, muito pequenos, acharam que o ideal era acordar por voltas das 7. Durante muito tempo, até acordavam a rondar as 6 da manhã e era impossível fazê-los voltar a dormir. Sabem lá como me custou habituar-me a esta coisa de ter dois pequenos madrugadores em casa.

Portanto, para além de despertares noturnos de origem diversa (desde pesadelos, a xi-xis e etc) que implica aprendermos a dormir instantaneamente em duas horas e termos de acordar frescos que nem uma alface de um instante para o outro (ótimo treino para quem faz urgências noturnas!), tornarmo-nos pais implica mudarmos para a outra metade do mundo.

Deixar os sornas e passar para os madrugadores.

 

Claro que há aqueles pais sortudos.

Aqueles que me dizem de boca cheia: "O quê, os teus filhos não dormem até ao meio-dia sempre que podem? Coitada! O melhor é deixarem de dormir a sesta, ou não os deixar ir dormir tão cedo!"

 

Já testamos esta teoria, que à primeira vista me parece logo dos maiores disparates de sempre, porque meter miúdos na cama cedo (por volta das 20:30) é bom para eles e deixa tempo para os pais. E sestas, enquanto as quiserem dormir, ajudam a tudo, desde crescimento a concentração.

Mas pronto, num daqueles dias de jantares de amigos pode acontecer. Deitamo-nos todos tarde e rezamos para que, no dia seguinte, só acordemos depois do sol já estar bem alto no céu.

O que acontece invariavelmente? Acordam ainda mais cedo. E cheios de energia (ao contrário dos pais, que repentinamente tomam consciência que daqui a nada temos 40 anos, e que esta vida de noitadas já não dá para nós).

 

A solução?

Deitarmo-nos cedo também.

Ou esperar pela adolescência, que me garatem que muda este lado madrugador das crianças.

(a ver vamos!)

 

(não se esqueçam, amanhã vou estar com a Catarina Beato na Fnac do Forum Algarve, ás 16:00, a apresentar o nosso livro, apareçam!)

Captura de ecrã 2017-02-04, às 11.12.27.png

 

29
Nov16

Está na altura de convocar os super heróis


Sofia Serrano

_DSC9116.jpg

 Foto Pau Storch

 

Porque é que eu não gosto do inverno? Porque para além do frio, da chuva, do vento e dos dias pequenos (que me deixam deprimida), começam aquelas doenças dos miúdos, desde ranhos e tosses a viroses e gastrenterites, que deixam crianças em baixo e pais com olheiras.
A solução?
Mudarmo-nos para um pais tropical (talvez o Brasil?)
Ou então espantar toda esta bicharada com muita fruta e o máximo de tempo possível de brincadeiras ao ar livre.
E em caso de emergência, libertar o super-herói que vive em cada um de nós!
(resmungos de uma mãe que já levou com duas viroses desde o fim de semana e espera ansiosamente pelo regresso do verão!)

 

 

 

24
Nov16

Diz que vem aí a black friday


Sofia Serrano

black-friday-cyber-monday-2015-3d-printer-deals8.j

 

 

O ano passado, nessa tal sexta feira, ao chegar ao shopping, dei por mim a pensar que possivelmente haveria um concerto do Tony Carreira por ali e que ninguém me tinha avisado, tal era o caos no estacionamento. Depois, ao ver filas nas lojas que chegavam à porta, decidi que não era, definitivamente um bom dia para compras.

Este ano não me enganam outra vez.

Black friday é dia de compras on-line: os mesmos descontos, sem filas nem complicações.

Ah, e mais, por exemplo, no Continente há descontos exclusivos para a loja on line! A aproveitar ;)

 

Black-Weekend-Teaser_Continente.jpg

 

 

27
Out16

Programa em família: Roma


Sofia Serrano

Roma1.jpg

 

Roma sempre foi uma das cidades europeias que mais vontade tinha de conhecer.  A cidade eterna! 

E felizmente, não me desiludiu, muito pelo contrário, vim absolutamente apaixonada - bem como toda a família. E não me importava de ficar mais algum tempo na dolce vita!

Deixo-vos aqui um pouco da nossa viagem, com algumas dicas que podem ajudar a planear a vossa ;)

 

IR

Fomos os quatro até Roma, em setembro, numa altura em que ainda estava um tempo maravilhoso.

Voámos de Lisboa pela TAP (digam o que disserem, prefiro sempre a TAP aos low cost em termos de serviço), voo direto, em 2:30 estamos em itália.

Claro que eles adoraram mais uma vez andar de avião e até visitaram o cockpit.

Atenção que se optarem por apanhar um taxi do aeroporto para o hotel, confirmem a tarifa máxima que vos podem cobrar para não serem enganados (está afixado no aeroporto).

 

Roma2.jpg

Roma5.jpg

Roma6.jpg

 

 

21
Set16

8 coisas que vão fazer os nossos filhos felizes


Sofia Serrano

_DSC0635.jpg

Foto : Pau Storch

 

Os nossos filhos são o melhor do mundo.

E há pequenas coisas que os ajudam a crescer felizes, e que eles nunca vão esquecer (e crianças felizes significam pais felizes e famílias felizes!):

 

1. Serem acordados por um beijo e um sorriso dos pais - mesmo nos dias mais difíceis.


2. Termos, todos os dias, tempo para eles - mesmo que sejam só 10 minutos, mas 10 minutos só deles. Para brincar com as bonecas, construir legos, jogar às escondidas ou fazer corridas de carrinho. Ou só para conversar.

 

3. Ouvi-los. Ter paciência para ouvir o que eles nos querem contar e ajudá-los sempre que preciso. Às vezes só é mesmo preciso ouvir.

 

4. Ensiná-los: a dizer "por favor" e "obrigada". Ensiná-los o respeito, pelos outros e por nós próprios.

 

30
Ago16

Comprar os livros escolares


Sofia Serrano

imagem.jpg

 

Setembro está mesmo aí a chegar!

Está na altura de começar a preparar o regresso às aulas. Já temos a habitual lista de material e de livros para comprar. Gosto de percorrer com eles os corredores do hipermercado e escolher o material escolar, porque era assim que há alguns anos atrás fazia com os meus pais e o meu irmão, e lembro-me sempre que era uma altura de emoções boas.

Os livros eram encomendados numa papelaria local e demoravam sempre uma eternidade a chegar. Quase sempre comecávamos as aulas e ainda faltavam alguns.

 

Agora, para a miúda, que vai para o 3º ano, descobri uma maneira ótima de encomendar os livros escolares, no Continente Online. É muito simples e cómodo, porque posso encomendar em alguns minutos, a partir do computador de casa ou do trabalho (escolhe-se o ano, a zona do país e a escola, bem como as disciplinas que queremos encomendar), e para além disso tem outras vantagens:


· temos 10% de desconto para usufruir nas compras de supermercado

· não é preciso sinalizar a reserva

· pode-se pagar só no ato de levantamento da encomenda

· pode-se usufruir do serviço de encadernação

· pode-se pagar com cheque ensino no levantamento em loja Continente

 

Uma boa dica :) E se ainda ficaram com dúvidas sobre esta opção, podem saber mais aqui.

Bom, livros tratados, vamos às compras do restante material escolar! 

 

 

02
Ago16

Sem redes


Sofia Serrano

 

Beach-friends.jpg

 

 

Factos: estou de férias.
Agosto é o mês de reduzir trabalho e tornar-me numa mãe que leva os filhos à praia, que faz almoços e jantares, tranças no cabelo, dá banhos e constrói sonhos e aventuras.
E a verdade é que hoje esteve um dia de praia tão maravilhoso, e com uma companhia tão boa, que nem sequer me lembrei de tirar fotos, abrir o facebook ou o Instagram. Não levei a minha máquina, nem o iPad e o telefone esteve sem rede.
Possivelmente, nos dias que correm, é um daqueles dias especiais, onde os bons momentos fazem esquecer tudo o resto.
Que possamos sempre ter dias assim - daqueles que não ficam registados nas redes sociais mas no nosso coração.

Os meus livros

Captura de ecrã 2016-09-20, às 20.46.51.png

capa_formato_real-04.jpg

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D