Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Programa em família : Porto Côvo

28.03.16 | Sofia Serrano

 

DSC_0847.JPG 

A Costa Alentejana tem um charme e uma energia únicas.

Porto Côvo é um desses lugares especiais, que ficou famoso com a música do Rui Veloso. Eu vou para lá de férias desde pequena, foi onde eu e o R. nos conhecemos, e agora é também um dos lugares preferidos dos nossos filhos.

 

 

Páscoa no alentejo

25.03.16 | Sofia Serrano

image.jpeg

 

Vir a este cantinho alentejano é regressar a casa. Há tranquilidade e uma energia revigorante, em simultâneo. Há este mar único. Espaço para correr, praia para brincar, relva para ficar só a apanhar sol. Frio (muito frio) à noite, e o calor dos amigos e dos petiscos.

É Porto Côvo. 

O nosso sítio especial. De sempre, para sempre.

 

 

 

Gémeos a caminho

24.03.16 | Sofia Serrano

 

image.jpeg

 

Foi um sonho.

O segundo sonho esta semana. Daqueles em que acordamos e nos lembramos de todos os pormenores.

Eu, com uma barriga enorme, grávida de gémeos.

Um rapaz e uma rapariga, sentia-os mexer na minha barriga.  Já tinha uma cesariana programada pela minha Obstetra, mas achava que estava tudo a correr tão bem que às tantas ainda nasciam de parto normal. Lembro-me de andar a fazer a minha vida perfeitamente normal, eu e a minha barrigona. Fui de avião ao Porto apresentar um trabalho. Chegou a uma altura em que era preciso ir para o hospital, para eles nascerem, e me apercebi que não tinha preparado as malas com as primeiras roupas dos bebés. Mas não me parece que stress fosse coisa para existir naquele meu sonho e tranquilamente fui procurar às gavetas dos mais velhos as roupas fofinhas dos primeiros dias.

É nesta altura que aparece o P. no meu quarto, a resmungar por ter o nariz entupido (já é mal disposto ao acordar, mas se há ranho pelo meio é de fugir).  O sonho foi-se, mas ficou aquela sensação quase real.

E como foi o segundo sonho do género, senti-me na obrigação de informar pai e irmãos que...nunca se sabe 😊

 

 

Porque é que comemos folares na Páscoa?

23.03.16 | Sofia Serrano

thumbs.web.sapo.io.jpeg

 

Eu confesso que gosto de saber as histórias que dão origem às tradições.

Para quando os meus filhos me fazem aquelas perguntas do tipo “Mãe, porque é que comemos folar e ovos de chocolate na Páscoa?”, eu ter uma resposta, e até poder contar uma história gira, da qual eles não se esqueçam mais (nem eu).

 

Das coisas difíceis

21.03.16 | Sofia Serrano

Why-Do-Stars-All-Look-Almost-the-Same-Size-ftr.jpg

 

Aprendemos desde cedo o ciclo da vida. Uns nascem, outros morrem. É mesmo assim, a vida.

Mas esta coisa de andarmos neste fantástico planeta tem uma carga emocional intensa, e as ligações que temos uns com os outros são marcantes. E o amor é aquela coisa indescritivel, que não se vê nem se palpa, mas que está lá, que nos liga intensamente uns aos outros. 

 

 

O trabalho mais importante do mundo

19.03.16 | Sofia Serrano

DSC_0095.JPG

Há muitas coisas que tem de ser a mãe. Mas o amor pelo pai é uma coisa maravilhosa. E quando os vou buscar à escola, já perguntam se o pai já estará em casa. Para lhe contarem as aventuras do dia, para mostrar as cartas novas da coleção, para brincarem. É o pai que ensina a jogar à bola, que brinca com as caricas que andamos a guardar religiosamente, que joga ao berlinde. Que se esconde melhor quando andamos pela casa a brincar às escondidas. Que os atira ao ar para os fazer rir à gargalhada e os apanha em segurança.

 

 

The Now Family thermometer

16.03.16 | Sofia Serrano

Os velhinhos termómetros de mercúrio já desapareceram há algum tempo - a bem da nossa saúde e do ambiente. Mas lembro-me perfeitamente de estar doente e de ver a minha mãe agitar o termómetro, para o depois colocar debaixo do meu braço e esperarmos - até a um instante em que achávamos que já estaria a temperatura certa (porque não havia apitos nem outros avisos sonoros).

Depois era ler na escala.

 

Nos dias que correm, é inevitável não andarmos rodeados de tecnologia.

E agora, até medir a temperatura mudou.

O Oblumi tapp é um termómetro que se incorpora no telemóvel, e que permite avaliar a temperatura na fronte ou no canal auditivo, por infravermelhos.

 

Captura de ecrã 2016-03-15, às 20.15.29.png

 

 

A Mariana e as fadas

14.03.16 | Sofia Serrano

 

Não aprendeu a ler antes de tempo - com "antes de tempo", quero dizer antes de ter entrado para o 1º ano. Achámos que as coisas acontecem naturalmente, e aconteceram com a entrada para a escola.

Antes do Natal do 1º ano sabia ler, ao ritmo da turma e da professora, e desde então, nunca mais parou.

Acima de tudo, gosta de se perder nas histórias, e agora gosta de as escrever, de imaginar princesas e fadas, de sonhar que entra nos livros.

A nova paixão: As Fadas Mágicas. (da mesma autora da Princesa Poppy, que já era uma das preferidas)

Histórias mágicas e maravilhosas, e ilustrações para pintar a imaginação.

 

Nem para o pequeno almoço larga o livro. 

(sim, provavelmente sai à mãe)

 

Captura de ecrã 2016-03-14, às 21.45.49.png

 

 

 

Domingo é dia de panquecas

13.03.16 | Sofia Serrano

Os domingos são para saborear devagarinho. Com panquecas e conversas em família.

 

 Estas que eu faço são muito fáceis e rapidas (e feitas a olho).

- um copo cheio de farinha com fermento (hoje juntei aveia)

- um ovo

- um copo de leite

- duas colheres de açúcar amarelo

- uma pitada de sal

- uma pitada de canela.

 

Depois, uma boa frigideira antiaderente (uso um pouco de azeite) e uma boa espátula e já está.

 

Por aqui juntamos creme de chocolate a avelãs, frutos secos, canela ou mel.

Um bom domingo!

 

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

 

 

 

Um filho bem comportado? O nome importa.

09.03.16 | Sofia Serrano

image.jpeg

 

 

Escolher o nome para o filho é das tarefas mais difíceis para os futuros pais. Há quem encontre rapidamente um nome que ambos adoram, mas depois há o significado do nome, a letra porque começa e o possível lugar na escola, a opinião da família e tantos outros factores. Agora surge uma nova variável nesta escolha: foi feito um estudo para perceber quais os nomes mais frequentes nas crianças "bem comportadas" e quais os nomes mais frequentes dos "pestinhas".

 

Um sistema de recompensa chamado School Stickers pediu a cerca de 60.000 crianças para gravarem digitalmente os adesivos que receberam na escola para bom comportamento. Foi depois monitorizado o comportamento das crianças com base num milhão de entradas e, depois de analisar os dados, divulgou uma “lista rebelde” das crianças com maior probabilidade de se comportarem mal.

 

Top 10 das Meninas mal-comportadas

1. Alice

2. Sofia

3. Beatriz

4. Laura

5. Júlia

6. Ágata

7. Gabriela

8. Rafaela

9. Sara

10. Ana

 

Top 10 dos Meninos mal-comportados

1. Vasco

2. Artur

3. Gabriel

4. Bernardo

5. Guilherme

6. Pedro

7. Miguel

8. Gustavo

9. Henrique

10. Rafael

 

Top 10 das Meninas bem-comportadas

1. Bruna

2. Isabel

3. Mariana

4. Juliana

5. Diana

6. Débora

7. Jessica

8. Raquel

9. Joana

10. Érica

 

Top 10 dos Meninos bem-comportados

1. David

2. Nuno

3. Daniel

4. Eduardo

5. Bruno

6. Tiago

7. João

8. Samuel

9. Diogo

10. Hugo

 

 

Confirmam?

Por aqui tenho um Pedro e uma Mariana, e parece-me que ambos têm dias em que são perfeitos anjinhos, e outras alturas deixam-me os cabelos em pé :)

 

5 coisas que os pais deixam de fazer depois de terem filhos

05.03.16 | Sofia Serrano

15629e4e79a77261f30ac3667db8563f.jpg

 

Ter filhos é uma coisa fantástica - há momentos extraordinariamente belos, outros assustadores. Acima de tudo, sermos pais significa embarcarmos numa gigantesca aventura.

A verdade é que a vida muda por completo. E é quase certo que quando nos tornamos pais, há coisas que deixamos de fazer:

 

1. Nunca mais conseguimos dormir as horas que entendermos. Primeiro há um bebé que acorda de 3 em 3 horas, depois há miúdos madrugadores, chuchas perdidas durante a noite, pesadelos. E quando chega a sábado e achávamos que iamos dormir (finalmente!) até mais tarde, às 6:00 da manhã os miúdos já estão acordados e não descansam enquanto não levantam toda a família. Pais = dormir o que se pode, quando se pode.

 

 

Pág. 1/2