Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Programa em Família: Tróia Resort (I)

O local ideal para umas boas férias deve ser perto, mas suficientemente longe para desligarmos do mundo. Ter natureza e paisagens bonitas, locais interessantes para visitar, boa comida. E claro, praia e piscina! 

Foi assim que acabámos por nos decidir por passar férias em Tróia - e que bela escolha que fizémos!

O Troia Resort tem opções de alojamento para todos os gostos - já tinhamos ficado no Hotel Aqualuz, que é top para famílias e não só, mas desta vez acabámos por ficar numa Ocean Village, uma beach house V2, com espaço para a família, todas as comodidades, e tranquilidade qb.

 

DSC_0764.JPG

DSC_0043.jpg

 

 

Sonhar em GRANDE!

O Amigo Gigante.jpg

 

Vem aí um dos filmes que não queremos perder e que marca o regresso de Steven Spilberg à realização de filmes para toda a família : "O Amigo Gigante"!

O filme conta a história de amizade entre o Amigo Gigante e uma menina órfã, Sofia.

Enquanto os outros gigantes devoram cereais humanos, o Amigo Gigante coleciona sonhos e passa a noite a soprá-los para o quarto das crianças. Juntos embarcam numa aventura para tentar capturar os outros gigantes - com ajuda de Sua Majestade a Rainha de Inglaterra.

Uma história mágica, que nos vai levar a sonhar em grande!

 

 

Como é que nos tornamos "naqueles pais"

 

150324_Carnival_IceCream_387-960x635-2.jpg

 

Pela boca morre o peixe. A frase mais verdadeira de sempre no que toca à maternidade. Ou parentalidade.

Quero com isto dizer que quando somos solteiros e não temos filhos, facilmente emitimos opiniões sobre os filhos dos outros e sabemos sempre como educaríamos os nossos.

Criticamos tudo e mais alguma coisa e temos a certeza absoluta que faríamos melhor. Muito melhor, sem sombra de dúvida.
Por exemplo, quando saíamos para jantar e tínhamos o azar de ficar sentados ao lado de um casal com filhos pequenos, que faziam barulho e atiravam com a comida, tínhamos a certeza que os nossos nunca se portariam assim. Nem fariam birras por não quererem comer a sopa e muito menos utilizaríamos como estratagema para os manter quietos o iphone ou o ipad com filmes do ruca.


Não.

Nós educaríamos os nossos filhos e eles seriam civilizados.

E birras em pleno supermercado, com aquele filme de se atirarem para o chão a espernear?