Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Halloween

31.10.18 | Sofia Serrano

 

 

Captura de ecrã 2018-10-31, às 20.19.46.png

Eu sou das que gosta do Halloween e já adotei esta tradição anglo saxonica. Eles claro que adoram porque envolve máscaras e doces. Por isso mesmo com chuva e frio, saltaram da cama cedo para encarnarem estes personagens assustadores. E por aí, são fãs do Halloween ?

 

 

 

Confissões de uma médica #20

20.10.18 | Sofia Serrano

Captura de ecrã 2018-10-20, às 20.48.27.png

 

Quando era interna do primeiro ano da especialidade, um dos médicos mais velhos com quem eu fazia urgências disse-me que, na realidade, o nosso trabalho mais importante era saber esperar. Obstetricia vem do latim obstetrix, que significa “estar ao lado”. Não valia a pena apressarmos as coisas nem sermos demasiado interventivos.

Eu tinha o entusiasmo de um interno recém chegado à especialidade, queria ajudar, fazer, marcar a diferença. Ele apontou para um banco que estava na sala de parto e disse-me que aquele era um dos nosso melhores amigos. Disse-me para respirar fundo e para me sentar. Estar ali a vigiar, ter paciência, esperar.

Na verdade, a maioria dos partos precisam de muito pouco dos médicos e enfermeiros, porque mãe e bebé sabem o que fazer. Por isso, ao longo do tempo, fui aprendendo a ter paciência. Se tudo estiver bem, temos de dar tempo ao tempo. E a parte boa é sermos recompensados com o choro forte de um bebé saudável e o sorriso incondicional dos recém pais 🍀

(a foto sou eu, apanhada desprevenida de salto alto por um trabalho de parto na última noite, um daqueles mesmo bonitos)

 

 

As adolescentes cá de casa

13.10.18 | Sofia Serrano

Captura de ecrã 2018-10-13, às 11.47.43.png

Mariana & Ninja 

 

Estão as duas a crescer num ápice. A humana com as suas flutuações de humor, a felina a desafiar novos limites. Alternamos entre momentos de responsabilidade e choraminguices. Estão as duas cada vez mais giras e crescidas.

Em suma, tenho uma série de carregadores de telemóvel destruídos e mais um molho de cabelos brancos. Diz que faz parte desta coisa de ter filhos e animais à nossa responsabilidade ;)

 

Instagram

 

 

 

 

Temos jogador

07.10.18 | Sofia Serrano

Captura de ecrã 2018-10-07, às 12.32.05.png

 

Já andávamos a evitar este assunto há algum tempo - o de começar no futebol. O pai achava que ele ainda era pequeno e que o que era importante era brincar na rua, jogar à bola com os amigos sem pressões nem regras. Ora o pai jogou futebol muitos anos e foi treinador de infantis, por isso eu sempre achei que ele tinha toda a razão.

Já o miúdo cá de casa não descansou enquanto não o levámos a um treino - um treino a sério, como ele dizia, com os amigos que também já lá andavam. É que o miúdo cá de casa acorda a sonhar com futebol, pontapeia tudo o que lhe aparece, chega da escola e quer ir jogar à bola para a rua, e acha sempre que precisa de mais uma bola para a sua coleção.

 

 

Estamos no instagram, aqui.

 

 

 

Baby brain: o que muda no cérebro das mães

02.10.18 | Sofia Serrano

Sabemos que ficar grávida é entrar num novo mundo: o que podemos e devemos comer, o que vestir, como cuidar do nosso bebé, que cremes usar, os carrinhos ideais para os passeios, as camas que garantem um melhor sono, e muito, muito mais. Amigos, familiares e até desconhecidos adoram dar-nos palpites e opiniões, comentar experiencias de parto, falar das noites sem dormir, do quanto devemos engordar.

 

Mas ainda há um assunto muito pouco falado: o baby brain. E o que é isto?

 

Durante a gravidez, sabemos que há mudanças importantes no corpo das mães: há um aumento de peso, as ancas alargam, as mamas aumentam. Mas, e então a mente? Será que o nosso cérebro também muda durante a gravidez?

A resposta é sim. O cérebro das grávidas muda - em termos de função e de estrutura. Tanto, que os investigadores designam estas mudanças como "baby brain".

 

 

Quantas grávidas não notam que se esquecem do lugar onde deixaram as chaves de casa ou o telemóvel? E de levar os exames para a consulta? Se até há pouco tempo estas alterações de memória eram tidas como um mito da gravidez, são cada vez mais levadas bem a sério. Pensa-se que cerca de 80% das grávidas têm alterações da função cognitiva!

 

Foi publicado este ano um estudo no Medical Journal of Australia que comprova isso mesmo -  mulheres grávidas e não grávidas realizaram uma série de tarefas, incluindo testes de memória, e foram comparadas relativamente aos resultados. Conclusão: as grávidas tiveram piores resultados nos testes de atenção, tomada de decisões, planeamento e memória.

Os investigadores concluiram também que não parece haver impacto importante no dia a dia (por exemplo interferência com trabalho) mas a grávida nota que as suas capacidades estão diferentes.

Imagem2.png