Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

A festa dos 7 anos

Registar para não esquecer:) A festa dos 7 anos teve direito a um lindo dia de sol, insufláveis com água, trampolins e um campo de futebol. Mas a melhor coisa mesmo foi ter os amigos presentes! O bolo foi o preferido dele: pão de ló com doce de ovos (diz que é o melhor de sempre!). O Songoku também marcou presença, porque há coisas que atravessam gerações ;) Que sejas sempre um miúdo feliz!  

Sete

Eu não sou supersticiosa, mas sete é um bom número!  Já passaram sete anos (num ápice!) desde que nasceste. Sempre foste um miúdo sorridente e de bem com a vida. E eu torço sempre para que ela te sorria de volta. Parabéns meu Pedro que nasceste no dia de Santo António :)

Quando achas que já ouviste tudo...

"- Dra, por favor diga aqui ao meu marido, que ele não acredita em mim. Como eu tenho tanto desejo de leite com chocolate, o bebé pode nascer com a pele escura, não pode?"   (socorro!!!)  

Hat trick

Só para não nos esquecermos que foi hoje a primeira vez que marcou 3 golos num jogo - e tão feliz que ficou ;)   Estamos pelo instagram.

No Dia da Criança

Lembro-me sempre de aguardar com ansiedade que chegasse o dia 1 de junho. Não era por nenhum presente especial, era mesmo porque onde eu morava, as crianças não pagavam bilhete de autocarro nesse dia - e já se sabe, aproveitávamos todos para subir e descer de autocarros, nem que fosse a distância de uma paragem para a outra. Acredito que as memórias são os melhores presentes que podemos dar aos nossos filhos. Por isso, o nosso dia da criança foi feito de experiências para mais (...)

Não se vive só de bola

A miúda que sonha ser cantora, atriz e modelo vai dando, entretanto, uma perninha na ginástica acrobática. Porque nem só de bola se vive por aqui.   Podem seguir-nos no instagram, aqui.  

Confissões de uma médica: os verdadeiros heróis

  Sou uma médica chata. Daquelas que repete muitas vezes a mesma coisa. Em particular, quando chegamos ao 3º trimestre de gravidez, faço questão em repetir em todas as consultas antes da grávida/casal/família sair a mesma lengalenga:   "Por favor estejam atentos aos movimentos do bebé - é a maneira de sabermos que ele está bem. E se houver perda de sangue ou de líquido, contrações de 10 em 10 minutos durante 1 hora, dores de cabeça fortes, alterações da visão, inchaço (...)

Craque

É isto. Acorda a sonhar com bola, joga à bola todo o dia, vai aos treinos e ainda termina a dizer ‘Mas mãe! Joguei tãooooo pouco hoje! Posso ficar mais um bocadinho a jogar com os meus amigos??? Por favor!!!!” Pois claro, vou ficar até às 11 da noite à espera que te fartes de bola....not! Esta coisa de crescerem e quererem seguir o seu próprio caminho não é fácil.   Se ao menos o clube do coração fosse o Sporting como a mãe e não o Benfica do pai, podíamos negociar (...)

As verdadeiras razões porque os médicos se atrasam nas consultas

  Gosto de chegar a horas a todo o lado. Aliás, sempre tentei chegar um bocadinho antes do combinado aos meus compromissos. Gosto de ter tudo organizado, e acho que a maternidade ainda fez com que viva o meu dia a dia com um horário mais apertado e sem grande margem de manobra entre escola, trabalho, refeições, ginásio, futebol, ginástica e afins. Mas sei que há coisas que não consigo controlar. E aprendi com o tempo que tenho de ser flexível e adaptar-me, para poder ser a (...)