Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

28.12.14

Aventuras da Noite de Natal


Sofia Serrano
A Noite de Natal é aquela altura mágica em que tudo pode acontecer - muito mais quando se tem dois miúdos por perto e um grupo de adultos empenhados em manter a ideia de que o Pai Natal vai descer a chaminé para deixar presentes aos meninos que se portam bem. O problema é quando nem tudo corre de acordo com o planeado.


Ora portanto, estamos em plena Ceia de Natal - miúdos ansiosos, meio ensonados, sem vontade de comer grande coisa do tradicional bacalhau (ou do polvo, a alternativa para os pais-que-não-gostam-de-bacalhau). 
Miúda preocupada, porque tem dúvidas se o Pai Natal saberá que não estamos na nossa casa, mas sim em casa dos tios. 
Miúdo num misto de ansiedade pela chegada do senhor das barbas e pânico pela possibilidade de ele lhe poder levar a chucha (tínhamos andado a tentar convence-lo a dar a chucha ao Pai Natal em troca de uma prenda, mas o amor à dita-cuja é mais forte). 
Adultos entre comes e bebes, a delinear o plano da chegada do Pai Natal.

Miúdos decidem que está na hora de ir preparar as bolachinhas e os copos de leite para o Pai Natal - escolhem as de chocolate, e preparam dois pratinhos e dois copos de leite, que pedem para aquecer, porque está frio e o Pai Natal precisa de aconchego. E o mais pequeno lá se lembra que as renas também vão querer comer, e vão buscar umas cenouras. Deixam tudo numa mesinha no jardim, porque de certeza que o Pai Natal vai ter de estacionar o trenó algures por ali, e só depois é que vai subir à chaminé. E às tantas ele ainda se apercebe que a lareira está a funcionar e resolve deixar por ali os presentes, para não correr o risco de se queimar.


Ora estamo-nos a aproximar da meia-noite, eles estão sentados no sofá mas de vez em quando vão à janela ver se está a acontecer alguma coisa. Mãe resolve dizer que se calhar o Pai Natal está ocupado, e pode vir só mais tarde - mas  mesmo que adormeçam, não tem problema, que amanhã de manhã vão ver se ele deixou alguma coisa.  



Miúdos ficam distraídos a brincar com a avó, pai decide avançar com a chegada do Pai Natal: leva as duas prendas para colocar no jardim e prepara-se para comer as bolachas, beber o leite e levar as cenouras. Mas não contava com o mini-cão feroz dos tios, que estava a dar o seu passeio nocturno, e que o tomou por um intruso, ainda por cima com más intenções, a tentar comer as bolachinhas do Pai Natal!  Mini-cão decide atacar o "Pai Natal" e ladra ferozmente. Mãe espreita pela janela para controlar operações e vê o "Pai Natal" a tentar livrar-se do cão, e em simultâneo a tentar dar conta das bolachinhas, do leite e das cenouras, e a escrever os nomes nas prendas que ali ia deixar, enquanto sobre à cadeira para se livrar de uma dentada nas canelas.
Ouvem-se latidos em casa, o que causa grande excitação nos miúdos, porque o cão não costuma ladrar. "Deve ser o pai Natal!" gritam eles, e correm para a janela. E eis que estão dois belos embrulhos no sítio onde deixaram o lanchinho para o Pai Natal - e só se avistam migalhas no prato, nada de leite nem cenouras. O cão está lá por perto, mas já não ladra. Não se vê trenó, renas ou um senhor de barbas brancas. 

Prende-se o cão, os miúdos saem para ver se ainda conseguem avistar o trenó, e reparam que as prendas têm o nome deles. 
"Vês, mãe, portámo-nos bem, portámo-nos bem!". 
Entram em corrida pela casa a gritar "O Pai Natal veiooooo!". 
Sentam-se em frente à lareira e desembrulham os presentes em grande euforia. E depois, caras de espanto: "Hum? Mãe? O Pai Natal deu-me um carro?" - diz a M. "Mamã, tenho a prenda da mana! E ele não levou a chucha!"- diz o miúdo. 
A miúda lá resolve o problema : " Acho que o pai natal se assustou com o cão e até trocou os embrulhos! Não faz mal, nós trocamos os presentes!".

E pronto. Noite feliz. 
Entretanto lá entra um pai esbaforido pela outra porta.
Bolas, adoro o Natal.

2 comentários

Comentar post