Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Como ser uma super-mãe (em 9 passos)


1. Abastecer o armário com muito café - porque vai haver muitas noites em claro por fome, choro, viroses ou pesadelos dos miúdos,e é preciso manter a energia nas 24 horas para dar conta das tarefas no emprego e em casa -  e com chocolate - porque muitos dias não vai ser fácil ser mãe. Vai haver cansaço e desilusão. Mas vai ser uma aventura fantástica. E o chocolate ajuda.

2. Comprar os manuais de instruções certos - desde os livros de Gravidez aos de Pediatria, aos de Psicologia Infantil - mas seguir sempre o instinto. Não está descrita em lado nenhum aquela sensação que nós temos quando o nosso filho não nos parece bem, apesar de não ter febre nem pintas nem tosse - mas que ao fim de algum tempo se verifica que o nosso instinto estava correcto e que afinal ficou mesmo doente. O instinto de mãe é algo ímpar - somos nós, melhor que ninguém, que conhecemos os nossos filhos e sabemos o que é bom para eles.


3. Tirar sempre tempo para os nossos filhos - em caso de emergência (dia louco no trabalho, por exemplo), no mínimo 10 minutos para brincar com eles, ou contar uma história. É deste bocadinho que eles se lembram quando crescerem, do castelo de legos que fizemos juntos, dos penteados das barbies, das corridas com os carros. Faz-nos bem rir e divertirmos-nos com eles - não há nada melhor que chegar a casa de um dia de trabalho e andar a brincar às escondidas com eles, para desligar dos problemas do dia-a-dia.


4. Estar sempre disponível para os ouvir - às vezes até podem ser as dúvidas mais parvas do mundo, mas eles querem sempre saber o que a mãe pensa sobre o assunto, porque afinal, aos olhos deles, já somos super-mães. E explicar-lhes o que não percebem. E não lhes mentir, porque nós somos o seu maior exemplo.


5. Pedir ajuda - temos mil e uma coisas para fazer diariamente, e se queremos ser super-mães, temos de dividir tarefas. Com o marido, com a mãe ou a sogra, com o tio, com a empregada. Não faz mal nenhum admitir que é impossível darmos conta de tudo sozinhas. E sabe sempre bem ter as pessoas de quem gostamos a participar nas tarefas da família.


6. Fazer as coisas que gostamos e que nos fazem felizes - e isto aplica-se ao trabalho, ao tempo para ir ao ginásio ou correr, ir tomar café com as amigas, ir ao SPA, ir com os miúdos ao parque, ir ao cinema com o marido ou passar um fim-de-semana fora. Se a mãe estiver feliz, então toda a família vai ficar muito mais feliz, e os mais pequenos sentem isso.


7. Ter uma varinha mágica ou uma bimby, ou algo do género - porque os miúdos gostam sempre de sopa bem passada e é a maneira ideal de os fazer comer os legumes sem grande alarido. E as vitaminas são fundamentais para o crescimento e desenvolvimento deles, e para a concentração na escola.


8. Mostrar-lhes o certo e o errado. E saber dizer que "não" quando é preciso. Eles vão aprender - e nós vamos ajudá-los a serem boas pessoas quando crescerem.


9. Acreditar que vamos conseguir - porque há dias em que estamos cansadas e sem paciência. Nessas alturas, é boa ideia parar uns instantes e contemplar nos nossos filhos (a brincar, a dormir...) para nos lembrar-mos como eles estão crescidos e como conquistam algo novo a cada dia - com a nossa ajuda.









11 comentários

Comentar post

Pág. 1/2