Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Decisões

Ultimamente, andam-me a perguntar se estou grávida. Se vem aí mais um elemento para a família, porque nalguns post atrás falei em coisas importantes e decisões. Não, por enquanto não há novidades nesse campo. E provavelmente, vamos ficar bem assim, num equilíbrio de quatro.

Mas há, sim, decisões importantes. Decisões de parar temporariamente, para estar com os meus filhos. Vai ser pouco tempo, é o que a lei prevê que se possa gozar até aos 5 anos dos filhos. Vão ser 3 meses sem aventuras e peripécias obstétricas, mas com episódios de vida de mãe. 3 meses para aproveitar o tempo com eles ao máximo, porque eles crescem a um ritmo alucinante, e o tempo não espera nem volta para trás. 
Quando digo que vou por uma licença, perguntam-me se vou conseguir. Se não vou ter saudades do trabalho. Provavelmente vou ter algumas. Mas os meus filhos são sempre a minha prioridade, e está na altura de ter mais tempo para eles. Para os levar a museus, à praia, ao parque. Para os ensinar a cozinhar, a escolher os legumes no mercado. Para lermos juntos os livros do corpo humano, aprender sobre a história do nosso país. Sem horários, nem pressões. Sem correrias. Com tempo para fazermos gelados e bolos, para passearmos na aldeia e dizer "bom dia!" aos vizinhos.
Sim, vou tirar uma licença para ser mãe a tempo inteiro (e muito provavelmente, é muito pouco tempo). Porque os meus filhos são o melhor do mundo.
 
                               
     

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2