Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Esta coisa de sermos mulheres

Ser mulher é um desafio. Temos de ser fortes, porque queremos vencer no mercado de trabalho e ser boas naquilo que fazemos, marcar a diferença, melhorar o mundo. E ao mesmo tempo somos sensíveis e emotivas e temos um sétimo sentido, que nos guia para lá da razão. Somos mães e fazemos tudo pelos nossos filhos – e ficamos para sempre ligadas a eles, mesmo depois de cortado o cordão umbilical, largado as fraldas, dado o primeiro beijo ou saído de casa. Mas também somos esposas e amantes, com humor efervescente e hormono-dependente, seres apaixonados por natureza. Apaixonantes. Ser mulher é conseguir conciliar o trabalho de 40 horas no hospital com mais urgências e horas extraordinárias com o tempo para os filhos, para os levar à escola, ao futebol e ao ballet, lanchar com as amigas, ajudá-los a fazer os trabalhos de casa, fazer o jantar e ainda ter um copo de vinho tinto à espera do marido, para uns instantes a dois. Adormecê-los com contos de fadas e levantarmo-nos à noite para ter a certeza que estão bem. Acordar com energia depois de uma noite em branco e estarmos bonitas. É conseguir ter garra para fazer uma pós graduação em simultâneo com o ritmo de trabalho diário, e ganhar um prémio num congresso com aquela apresentação que nos deixou tantas horas sem dormir. É não desistir dos sonhos e acreditar que tudo é possível. É sermos workaholics, mães-a-tempo-inteiro, donas-de-casa, apaixonadas. E às vezes é cansativo. Mas somos mulheres, e no dia seguinte, fazemos tudo de novo – com aquele brilho nos olhos.

Podem ler mais aqui.


3 comentários

Comentar post