Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Café, Canela & Chocolate

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

O que importa é que venha com saúde?

08.11.18 | Sofia Serrano

Sempre me lembro de ouvir esta frase, desde pequena, no que a grávidas diz respeito : "Não interessa se é menino ou menina, o que importa é que venha com saúde".

Faz parte do trabalho dos obstetras assegurar exatamente isso. Por isso, quando estou a fazer uma ecografia morfológica tenho uma ordem estabelecida na minha mente para avaliar o bebé de uma ponta à outra sem perder pitada, e poder dizer no final do exame aos pais que, pelo que podemos ver,  "está tudo bem". É sempre desta forma que eu espero terminar um exame, o que infelizmente, nem sempre acontece. Há pequenas alterações que provavelmente não serão nada importante e que poderão desaparecer com o crescimento do bebé, e depois há outras bastante graves, que podem mudar tudo. É um momento de muita responsabilidade e é preciso tempo para avaliar todos os pormenores - e mesmo assim, há situações que não conseguimos diagnosticar durante as ecografias.

 

 

Claro que depois há sempre aquela parte do "quer saber se é menino ou menina, ou prefere que seja surpresa?". Na realidade, estou sempre à espera do tal "o que importa é que venha com saúde". Mas o que tem acontecido cada vez mais frequentemente é este ser o ponto fulcral do exame. 

Isto para explicar que por estes dias, o cenário de destaque na ecografia tem sido o sexo do bebé.

 

 

Casais que querem tanto um menino que vão na quinta gravidez, e assim que lhes confirmo que é outra menina, já estão a fazer contas para saber quando podem engravidar outra vez - e tentar na próxima vez uma técnica matemática complicada que envolve idades dos pais, mês da conceção e mais alguma coisa que já não me recordo, para se assegurarem que o próximo bebé será do sexo masculino. Isto porque já tentaram a teoria dos alimentos ácidos, fases da lua e o calendário chinês e nada resultou.

 

Ou a grávida que vai na sexta gravidez e que me diz logo no início da ecografia que só lhe interessa saber que é uma menina, porque já tem cinco rapazes em casa e o seu sonho desde criança é ser mãe de uma menina. Mesmo sendo daqueles bebés que mostra claramente que é um rapaz na primeira imagem, prefiro demorar-me a avaliar tudo antes de lhe dar essa notícia. E tento enfatizar a parte do "esta tudo bem com o seu bebé" mas ela só ouve o "é um menino". Diz-me imeditamente que a seguir vai juntar uma quantia exorbitante de dinheiro para ir a outro país e poder optar por uma técnica de reprodução medicamente assistida que lhe permite escolher o sexo do bebé. Passam-me pela mente todos aqueles casais que tiveram de ouvir más noticias em relação à saude do seu bebé, e volto a reforçar que o importante é que tem um bebé saudável. Mas ela continua focada no seu sonho de ser mãe de uma menina e não me ouve.

 

Na ecografia seguinte, volto a dar a nótícia errada - é uma menina, e o casal queria muito um menino. É o primeiro filho, mas não se imaginam com uma menina. Há lágrimas até. Volto a insistir no "muitos parabéns, têm um bebé saudável", mas não me ouvem.

 

Quando saem do consultório começo a achar que deviamos ter um livro de trocas de bebés - porque no final do dia, há espaço e amor para todos os bebés, mas parece que para todos estarem felizes seria preciso trocar as famílias.

E eu continuo a achar que o mais importante é que venham com saúde.

 

maxresdefault.jpg

 

 

 

8 comentários

Comentar post