Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Do ano que acaba #5: Desafio Bloggers e Gravidez

Neste ano que acabou, começou no blog uma rubrica, que pretendia ser uma partilha de experiências e mostrar que todas as gravidezes são diferentes. Fui desafiando várias bloggers a responder a 10 perguntas acerca da sua gravidez, do parto e da altura do puerpério. As perguntas do desafio foram estas: 1- Gravidez normal ou de risco?   2-Gravidez passada a trabalhar ou de repouso? 3- Diga um alimento que deixou de conseguir comer durante a gravidez e um que se tornou mais apetecido. (...)

No último dia do ano

São 5:15 da manhã. Neste último dia do ano não se dorme. Neste último dia do ano, todas as grávidas parecem começar com contracções. Neste último dia do ano não se descansa - porque, neste último dia do ano, todos os bebés que estavam nas barrigas quentinhas das mães querem nascer. Neste último dia do ano trabalha-se. Muito. Há por aqui muita gente cansada - mas feliz, por tudo terminar bem. Neste último dia do ano, não sonhamos com as 12 passas, a taça de champanhe, o (...)

Do ano que acaba #4: as crónicas de uma interna

Quem me conhece, sabe que sou uma viciada na Anatomia de Grey´s. Antes era o ER. E o Private Practice. Não perco um episódio. Às vezes, dizem-me: passas a vida num hospital, e ainda gostas de ver séries de médicos? Gosto. Reconheço as nossas vidas, os nossos problemas. Vibro na série como na vida real. Adoro a minha profissão. Em particular, tudo o que diga respeito a Ginecologia e Obstetrícia (mas não me importava que houvesse Neurocirurgiões como os da série no meu hospital). Nes (...)

Do ano que acaba #2: coisas de mães

A maternidade não vem com manual de instruções. É uma coisa meio-intuitiva, meio-aprendida. E por cada filho que nasce, mudamos mais um bocadinho. Como mães e como pessoas. Eu gosto de pensar que ficamos melhores - mais confiantes, mais bonitas, mais desenrascadas. Mas muitas das vezes também mais cansadas e com menos tempo para nós. E o difícil é gerir tudo. Mas é possível, uns dias mais facilmente que outros. E o melhor de tudo é mesmo vê-los crescer, sorrir, conquistar o mundo. (...)

Do ano que acaba #1: Convidados Especiais

A alguns dias do fim do ano, em jeito de introspecção acerca do ano que acaba, vou deixar-vos uns flashbacks blogosféricos de 2013 - do que se passou aqui, no Café, Canela & Chocolate, claro. Para começar, relembro os convidados especiais que por aqui foram passando: pessoas decididas, dinâmicas, que marcaram posição nas suas áreas e que fazem a diferença. Se não tiveram oportunidade para ler as entrevistas antes, deixo-vos aqui o top das mais lidas: CONVIDADOS ESPECIAIS (...)

Fight ou Flight

Cada dia que passa fico mais desiludida e acima de tudo, enervada com o que se passa no nosso país. E na área da saúde, aquela que me diz directamente respeito, aumentaram-se taxas moderadoras e tem-se vindo a diminuir tudo o resto : ordenados, qualidade, material, medicamentos. Trabalhar começa a ser difícil. Não há x, falta y, z já deixou de existir há muito tempo e ninguém sabe quando vai voltar a haver. O nosso organismo reage ao perigo com a libertação de catecolaminas - (...)

É hoje.

Caíu um meteorito nos Montes Urais.  Dizem que foi um meteorito, mas bem podemos estar perante uma invasão de ETs.  E nem é preciso ser-se extraterrestre para perceber que as coisas não andam bem neste planeta e estamos a precisar de uma remodelação, um refreshing. Completo. E sem factura. Pelo menos na AR já ouviram a música da mudança. A ver se ao jantar ainda se lembram da letra ou se continua tudo na mesma. E na blogosfera mais um blog  a tornar-se num baby-blog potencial. (...)

O primeiro dia do ano

E chegou 2013.Chegou com mimos e beijos, com panquecas com mel ao pequeno-almoço.Chegou com o nosso pic-nic na praia no primeiro dia do ano.E hoje o P. viu mesmo o mar, pela primeira vez. Primeiro ficou um bocadinho assustado com o barulho e as ondas...mas passado algum tempo, começou a conversar com ele naquela linguagem que só mesmo ele percebe. E sorria.A M., essa, brincou que se fartou na areia, mas o que queria mesmo era ir dar um mergulho (tal como eu!). Mas ainda está friozinho...Esper (...)