Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Upgrade doméstico

Esta coisa de ser mãe multi-funções nem sempre é fácil. Entre gerir miúdos, casa e trabalho, às vezes escapam coisas. Ou pelo menos, há coisas que não saem tão espectaculares como pretendido. 
E confesso que o que fica mais para trás é esta coisa da vida doméstica. Se há pouco tempo de manhã e o quarto deles está um caos, a prioridade é levar os miúdos à escola e chegar a tempo ao trabalho ( e lá se passa a tarde a arrumar a casa quando se volta, para instantes depois estar tudo na mesma, que os miúdos que desarrumam de manhã são os mesmos que cá moram à tarde!). Se há pouco tempo para fazer o jantar depois da correria entre escolas-ballet-e-supermercado, descongela-se uma canja e junta-se uma salada de frutas. 
Mas neste capítulo das comidas, até gostava de optimizar mais o tempo e cozinhar uns pratos jeitosos para o jantar, que cozinhar é uma coisa que me dá gozo. 
E essa coisa do poupar tempo é o principal argumento que me está a fazer pensar em comprar uma Bimby ou outra parecida.
Confesso que nunca fui muito fã do conceito dos robots de cozinha - aprendi a cozinhar com o meu pai, e a "mão" sempre foi o principal truque que aprendi - e intuitivamente, os ingredientes vão-se juntando e é quase como arte, cozinhar. 
Portanto, para passar a ter uma coisa tecnológica na cozinha, tem de ser MESMO um espectáculo. De preferência que tenha o jantar já pronto quando eu chegar a casa. Isto existe?
Então contem-me lá, qual é a melhor escolha: Bimby? Yammi? Ou uma tal do Pingo Doce que por aí vem?
Contem-me tudo que daqui a nada estamos no Natal e eu tenho uma carta para enviar para o Pólo Norte.




9 comentários

Comentar post